The role of pharmacists in tuberculosis patient care: integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24246

Keywords:

Mycobacterium Tuberculosis; Tuberculosis; Evidence-based pharmaceutical practice.

Abstract

The pharmacist is responsible for monitoring the patient with tuberculosis to assess the use of drugs and possible misuses, their effect iveness and possible adverse effect son the body. Thus, the study sought to carry out na integrative review on the role of the pharmacist in the care of patient swith tuberculosis and asking: "What does the literature show about the role of the pharmacist in the care of patient swith tuberculosis?" The search for articles was performed in the following databases: LILACS (Latin American and Caribbe na Literature in Health Sciences), MEDLINE (Medical Literature Analysis), IBECS (Spanish Bibliographic Index in Health Sciences), BDENF (Database in Nursing), Scientific Electronic Library Online (SCIELO) and CAPES Journal Portal (PPC). Using the descriptors in Health Sciences (DeCS): Multiple Drug-Resistant Tuberculosis and the irrespective synonyms; Pharmaceutical care; Quality of Health Care; Antituberculosis; Mycobacterium tuberculosis; Pulmonary Tuberculosis; tuberculosis; Multiple Bacterial Drug Resistance. A total of 1112 publications were collected for screening, of which 5 were included in the integrative review. The studies carried out, they addressed pharmaceutical care in the care of patients with tuberculosis, investigated the knowledge of pharmacists about tuberculosis and evaluated the pharmaceutical services provided in Primary Health Care. The pharmacist needs to know about the disease, its therapeutics chemes, drug interactions and adverse reactions, however, the lack of publications related to the topic was pointed out and this highlights the need for the pharmacist's engagement to contributed to eradication of this disease.

Author Biographies

Lucas Paulo Silva Borges, Faculdade Cosmopolita

Discente do Curso de Farmácia da Faculdade Cosmopolita

Ana Carolina Oliveira Vilhena, Faculdade Cosmopolita

Discente do Curso de Farmácia da Faculdade Cosmopolita

Chris Simone dos Santos Nepomuceno, Faculdade Cosmopolita

Discente do Curso de Farmácia da Faculdade Cosmopolita

Edina Raquel Meneses Silva, Faculdade Cosmopolita

Graduada em Farmácia Bioquímica pela Universidade Federal do Pará (2000). Mestra em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários pela Universidade Federal do Pará (2014), Especialista em Farmácia Clínica pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar (2015), Especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica - Universidade Federal de Santa Catarina (2015) e Especialista em Farmacologia Clínica pelo Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e Extensão (2011). Tem experiência (9 anos) em Farmácia Comunitária como Responsável Técnica e Supervisora. É servidora efetiva na Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará desde 2008 atuando em: a) Farmácia Hospitalar (2008 - 2015) Chefia da Farmácia, membro de comissões técnicas: Comissão de Farmácia e Terapêutica, Comissão de Controle de Infecção Hospitalar e outras. b) Análises Clínicas (2015 - 2019), no Laboratório Central do Pará, Lab. Tuberculose, no diagnóstico, supervisão e treinamentos da rede pública e privada de laboratórios e como monitora do Teste Rápido Molecular para Tuberculose (TRM-TB) no Pará pelo Ministério da Saúde. c) Assistência Farmacêutica, Coordenadora de Logística no Departamento Estadual de Assistência Farmacêutica - DEAF ((2019 - atual). Também atua na docência em Instituição de Ensino Superior privada, em cursos da área da saúde (Farmácia, Enfermagem e Biomedicina).

References

Brasil. Ministério da Saúde (2019). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de vigilância das doenças transmissíveis. Coordenação geral do programa nacional de controle da tuberculose. Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde (2021). Secretária de vigilância em saúde. Boletim epidemiológico. Número especial.

Brasil. Ministério da Saúde (2017). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de vigilância das doenças transmissíveis. Brasil Livre da Tuberculose: Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública. Brasília: Ministério da Saúde.

Fiocruz. Fundação Oswaldo Cruz (2013). Agência Fiocruz de Notícias. https://agencia.fiocruz.br/glossario-tuberculose.

Furlan, M. C. R., dos Santos, A. G., & Marcon, S. S. (2017). O vínculo com o profissional de saúde no tratamento de tuberculose: percepção dos usuários. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, (7), e1934. https://doi.org/10.19175/recom.v7i0.1934.

Galvão, T. F., Pansani, T. D. S. A., & Harrad, D. (2015). Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 24, 335-342. https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

Giacometti, M. T., Andrade, L. G. Pugliese, F. S., & da Silva, M. S. (2021). Atenção farmacêutica no tratamento de tuberculose. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, 7(8), 296–309. https://doi.org/10.51891/rease.v7i8.1885

Lima, G. R. C. C. (2015). Avaliação da resistência aos tuberculostaticos de primeira linha em cepas do complexo Mycobacterium tuberculosis isolados no Distrito Federal (Doctoral Dissertation). Repositório Institucional da UNB (Universidade de Brasília). (110), 7. http://dx.doi.org/10.26512/2015.12.T.19596.

Moreira, J. L., Ceccato, M. D. G. B., Lima, M. G., Carvalho W. da Silva., Rocha, G. S. S., Ribeiro, K. C., & Silveira, M. R. (2020). Conhecimento dos farmacêuticos da atenção primária à saúde de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil sobre tuberculose. Infarma Ciências Farmacêuticas, 32(3), 243-253. http://dx.doi.org/10.14450/2318-9312.v32.e3.a2020.pp243-253.

Murray, R. P., Rosenthal, S. K. & Pfaller, A (2010). Microbiologia médica. (6ed.). Ed. Elsevier.

Nicoletti, G. P., de Araújo Antunes, A., Gurgel, J. A. R., da Silva Costa, S., & Brandão, G. H. A. (2020). A importância do profissional farmacêutico no processo de cura da tuberculose. Brazilian Journal of Development, 6 (11), 85213-85238. https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-078.

Oliveira, L. C. F. D., Assis, M. M. A., & Barboni, A. R. (2010). Assistência farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à atenção básica à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 15, 3561-3567. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000900031.

Rabahi, M. F., Silva, J. L. R. D., Ferreira, A. C. G., Tannus-Silva, D. G. S., & Conde, M. B. (2017). Tratamento da tuberculose. Jornal brasileiro de pneumologia, 43, 472-486. https://doi.org/10.1590/S1806-37562016000000388.

Rocha, P. B. (2016) Instituto de Microbiologia Paulo de Góes UFRJ. Tuberculose: panorama geral e a situação no Brasil. https://www.microbiologia.ufrj.br/portal/index.php/en/graduacao-2/informe-da-graduacao/438-tuberculose-panorama-geral-e-a-situacao-nobrasil#:~:text=Seu%20agente%20etiológico%20é%20o,medicamentos%20para%20combater%20a%20infecção.%.2020

Rodrigues, F. D. F., Aquino, R., & Medina, M. G. (2018). Avaliação dos serviços farmacêuticos na Atenção Primária à Saúde no cuidado ao paciente com tuberculose. Saúde em Debate, 42(2), 173-187. https://doi.org/10.1590/0103-11042018S212.

SESPA (2020). Secretaria de Estado de Saúde Pública. Governo do Estado do Pará. Sistema Único de Saúde. Diretoria de Vigilância em Saúde. Coordenação do programa de controle da Tuberculose. Plano estadual do programa de controle da Tuberculose.

Silva, D. B., da Costa, G. S., Rosa, L. F. B., Guilherme, M. dos S., de Oliveira, S. A., & Cavalcanti, R. L de S. (2017). Assistência farmacêutica a pacientes com tuberculose pulmonar: uma revisão integrativa. Revista Presença, 3(7), 83-106. https://revistapresenca.celsolisboa.edu.br/index.php/numerohum/article/view/103

Silva, D. R., Rabahi, M. F., Sant’Anna, C. C., Silva-Junior, J. L. R. D., Capone, D., Bombarda, S., ... & Mello, F. C. D. Q. (2021). Diagnosis of tuberculosis: a consensus statement from the Brazilian Thoracic Association. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 47(2), 1-13. https://dx.doi.org/10.36416/1806-3756/e20210054.

Soko, R., Burke, RM, Feasey, H., Sibande, W., Nliwasa, M., Henrion, M .... & MacPherson, P. (2021). Effects of Coronavirus Disease Pandemic on Tuberculosis Notificações, Malawi. Emerging Infectious Diseases, 27 (7), 1831-1839. https://doi.org/10.3201/eid2707.210557.

Wendling, A. P. B., Modena, C. M., & Schall, V. T. (2012). O abandono do tratamento da tuberculose sob a perspectiva dos gerentes de diferentes centros de saúde de Belo Horizonte-MG, Brasil. Texto & Contexto-Enfermagem, 21, 77-85. https://doi.org/10.1590/S0104-07072012000100009.

WHO (2021). World Health Organization. Global Tuberculosis Report. https://www.who.int/teams/global-tuberculosis-programme/tb-reports.

Published

20/12/2021

How to Cite

BORGES, L. P. S.; VILHENA, A. C. O. .; NEPOMUCENO, C. S. dos S. .; SILVA, E. R. M. . The role of pharmacists in tuberculosis patient care: integrative literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e21101724246, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24246. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24246. Acesso em: 29 may. 2022.

Issue

Section

Health Sciences