First Experiences of Tapeba School Education: memories and stories

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24346

Keywords:

Indigenous Schooling; Educational Experiences; Differentiated Teaching.

Abstract

The article deals with the first experiences of tapebas schooling in the municipality of Caucaia, aiming to understand the aspects that led the tapeba indigenous people to start their schooling process. To support this study, we sought to base ourselves on theorists, laws and articles that address the indigenous theme. The choice of this topic was due to the master's belonging to the Tapeba ethnic group, who also had the guidance of Dr. Andrea Moura da Costa Souza and Dr. Anna Erika Ferreira Lima, professor of the Professional Master's Degree in Teaching and Teacher Training course UNILAB- IFCE. The methodology used in parts the bibliographical research, having as a qualitative approach in which it was used the application of a questionnaire (Google Forms) answered by three tapebas professors. During the readings for the writing of the work, we realized that the authors have an accurate look at the subject and that the teachers who participated in the questionnaire have a perception in line with the theoretical framework, leading us to understand in a comprehensive way the beginning of tapeba schooling, their struggles and demands.

References

Bissaro, D. Z. ., Elias, E. M. C., Becevelli, S. L. ., Costa, S. M. ., & Costa, T. G. F. da . (2021). Evasão e abandono escolar: os desafios de conter seu avanço, as causas e consequências- estudo de caso na Escola Municipal “João Mendonça”, em Teixeira de Freitas- Bahia. Research, Society and Development, 10(4), 34810412463. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.12463

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Centro Gráfico, 1988.

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº9.394. Brasília; MEC.

Brasil. (2001). Plano Nacional de Educação. Brasília; MEC.

Brasil. (2019). Cresce o número de estudantes indígenas nas universidades. Website da Funai. http://www.funai.gov.br/index.php/comunicacao/noticias/4720-cresce-o-numero-de-estudantes-indigenas-nas-universidades

Campos, C. R. D., & Godoy, M. A. (2013). Relações interpessoais: um desafio para o gestor escolar.Seminário Internacional de Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação e Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente, 2.

Ceará. (2003). Resolução n. 382/2003. Dispõe sobre a criação e o funcionamento de escola indígena no Sistema de Ensino do Ceará e dá outras providências. https://www.cee.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/49/2011/08/RES-0382-2003.pdf.

Ceará. (2010). Histórico das escolas indígenas. Website Seduc Ceará. https://www.seduc.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/37/2010/05/historico_escolas_indigenas.pdf.

Magalhães, T. C., Diaz-Rodriguez, F. M., Fagundes, D. D. A. ., Santos, M. O. F. dos ., Prado-Netto, A. ., Xará, G. M. S. ., Xará, F. B. do N. S. ., Walhbrinck, E. R. ., & Porto, R. S. de O. . (2021). Educação inclusiva: autoconceito profissional de professores . Research, Society and Development, 10(11), e248101118719. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i11.18719

Ferreira, T. F., Evêncio, K. M. de M., Sousa, A. P. P. de, & Souza, L. P. (2021). Considerações sobre os desafios da escola básica atual: reflexões para uma sociedade mais plural. Research, Society and Development, 10(4), e29210414036. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14036

Marra, M. L. M. P. (2014). Inclusão-exclusão: o aluno indígena no cenário da universidade pública: reflexões sobre o sistema de cotas universitárias. Rev.Eletrônica Pesquiseduca. 6(11), 216-230.

Meliá, B. (1979). Educação indígena e alfabetização. São Paulo: Edições Loyola. (Coleção “Missão Aberta”). 50 p.

Minayo, M. C. S. (2016). O desafio da pesquisa social. In S. M. Maria Cecília (org.), F. D. Suely, G. Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Série Manuais Acadêmicos. pp. 9-28.Vozes.

Mota, P. A. T. ., Dantas, C. W. M., Fernandes, L. S. L. ., & Dublante, C. A. S. . (2021). Democratização da gestão escolar: mecanismos de participação na escola. Research, Society and Development, 10(12), e374101220297. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20297

Nascimento, R. G. D. (2009). Rituais de Resistência: Experiências pedagógicas Tapebas. Natal: Teses (Doutorado em Ciências da Educação) – Programa de Pós – Graduação em Educação do Centro de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 209 p.

Sacavino. Susana Beatriz. (2020). Interculturalidade e Práticas Pedagógicas: construindo caminhos Revista do Centro de Educação UFMS. 45(1). 1-18.

Severino, A. J. (1984). Metodologia do trabalho cientifico: diretrizes para o trabalho didático cientifico na Universidade. São Paulo: Cortez Editora. 11, 195 p.

Silva, M. F. D. (1994). A conquista da escola: Educação escolar indígena e movimento de professores indígenas no Brasil. Brasilia: MEC/INEP. XIV(63), 38-53.

Veiga, I. P. (2007). Projeto Político-Pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas, São Paulo: Papirus, 23. 11-35.

Walsh. Catherine. (2019). Interculturalidade e Decolonialidade do Poder: Um pensamento e posicionamento “outro” a partir da diferença colonial Revista Eletrônica da Faculdade de Direito da Unversidade Federal de Pelotas. 05(1), 6-39.

Published

22/12/2021

How to Cite

LOPES, K. C. C. de M.; SOUZA, A. M. da C.; LIMA, A. Érika F. First Experiences of Tapeba School Education: memories and stories. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e156101724346, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24346. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24346. Acesso em: 21 may. 2022.

Issue

Section

Educational Objects