Analysis of prescriptions in intensive care units in a public hospital in the north region of Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24485

Keywords:

Intensive Care Unit; Hospital pharmacy; Patient safety.

Abstract

The present study analyzed a set of prescriptions in two adult intensive care units in a public hospital in northern Brazil. A cross-sectional, quantitative, documentary and descriptive research was carried out, considering 270 shape prescriptions. The analysis was performed by a qualified pharmacist, using a questionnaire with seventeen assertive questions as an instrument for data collection. This research was carried out in adult intensive care units with a total of eighteen beds in the period from April 1st to 15th, 2021. In this research, divergences in the indicators were identified: patient weight, medical record number, dosage, schedule, Denomination Common Brazilian, form of dilution, infusion rate and use of the expression if necessary. Prescription errors have become common nowadays, being evidenced as a risk to the health and life of patients. Considering the divergence index in prescriptions, it is necessary for the pharmacist to work in an integral way for the analysis of prescriptions and pharmaceutical interventions, thus seeking to ensure a better pharmacotherapy for patients.

References

Abreu, F. G. S. D. (2013). Trabalho na conclusão de curso (TCC) na graduação de enfermagem. Universidade de Brasília. Faculdade de Ceilândia.

Alvim, B. A. (2015). Trabalho na conclusão de curso (TCC) em ciências farmacêuticas. Centro Universitário Luterano de Palmas.

Amaro, S., Tavares, E.L. I. A. N. E., Simões, A. P., & Ribeiro, J. (2017). Prática Profissional Farmacêutica em Unidades Oncológicas: uma reflexão no trabalho. Revista da Jornada de Pós-Graduação e Pesquisa-Congrega Urcamp, 196-217.

Brasil. Ministério da Saúde. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente / Ministério da Saúde; Fundação Oswaldo Cruz; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. RESOLUÇÃO-RDC Nº 17, DE 2 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre o registro de Medicamento Similar e dá outras providências.(2007).

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria N° 529. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP).2013.

Brasil. MINISTÉRIO DA SAÚDE Anexo 03: Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. 2017.

Carvalho, V. T., & Cassiani, S. H. D. B. (2000). Erros na medicação: análise das situações relatadas pelos profissionais de enfermagem. Medicina (Ribeirão Preto), 33(3), 322-330.

CardinaL, L. D. S. M., & Fernandes, C. S. (2014). Intervenção farmacêutica no processo da validação da prescrição médica. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, 5(2).

Costa, D. A. Segurança do Paciente. São Paulo: Martinari.2017

Coren- SP, Conselho Regional de Enfermagem. A qual profissional compete determinar a velocidade da infusão de medicamento injetável. São Paulo: COREN,2014.

Couto, R. C., Pedrosa, T. M. G., Roberto, B. A. D., & Daibert, P. B. (2017). Anuário da segurança assistencial hospitalar no Brasil. Observatório do cuidado.

CRE-SP, Conselho Regional de Enfermagem. Uso seguro de medicamentos: guia para preparo, administração e monitoramento. São Paulo: COREN, 2017.

Cunha, S,R,F.,(2018). O papel do Farmacêutico na reconciliação terapêutica.Repositório Institucional da Universidade Fernando Pessoa.

Da Silva, G. C. A., Pascoa, H., & Gama, A. R. (2020). Riscos e problemas relacionados aos erros de prescrições médicas: uma revisão bibliográfica. Saúde & Ciência em ação, 6(2), 134-148.

De Lima, A. P. D., Rios, A. D., Borges, J. S. S. S., Ferreira, J. M., & Rute, R. (2013). Consulta farmacêutica e análise de problemas relacionados à medicação em um hospital da regional oeste do estado de Goiás. Revista Eletrônica Faculdade Montes Belos, 6(1).

Jacobsen, T. F., MUSSI, M. M., & SILVEIRA, M. P. T. (2015). Análise de erros de prescrição em um hospital da região sul do Brasil. Revista brasileira de farmácia hospitalar e serviços de saúde, 6(3).

Marquis, B. L., & Huston, C. J. (2015). Administração e liderança em enfermagem: teoria e prática. Artmed editora.

Melo, D. O. D., & Castro, L. L. C. D. (2017). A contribuição do farmacêutico para a promoção do acesso e uso racional de medicamentos essenciais no SUS. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 235-244.

Nacul, F., Japiassú, A., & Salluh, J. (2009). Manual de medicina intensiva 1a edição. Elsevier Brasil.

Néri, E. D. R., Gadêlha, P. G. C., Maia, S. G., Pereira, A. G. D. S., Almeida, P. C. D., Rodrigues, C. R. M., ... & Fonteles, M. M. D. F. (2011). Erros de prescrição de medicamentos em um hospital brasileiro. Revista da Associação Médica Brasileira, 57, 306-314.

Pena, M. M. (2015). Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário. Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo.

Pires A. O. M, Ferreira M. B.G, Nascimento K.G, Felix M.M.S, Pires P.S, Barbosa M.H. (2017). Elaboration and Validation of the Medication Prescription Safety Checklist. Rev. Latino-Am. Enfermagem.

Pelliciotti, J. D. S. S., & Kimura, M. (2010). Erros de medicação e qualidade de vida relacionada à saúde de profissionais de enfermagem em unidades de terapia intensiva. Revista Latino-Americana de Enfermagem , 18 , 1062-1069.

Tania, A,A., Mário, B,R.,Hessem, M,N., Maria, A,P,M.(2010).Fármacia Hospitalar

Toffoletto, M. C., & Padilha, K. G. (2006). Conseqüências dos erros de medicação em unidades de terapia intensiva e semi-intensiva. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 40, 247-252.

Published

22/12/2021

How to Cite

GRETZLER, V. da S. .; SILVA, E. G. de O. e .; ZUMACK, T. D.; SAITO, D. M. .; CUNHA, S. R. S. de M. .; PORTELA, F. L. M. L. .; FUZARI, W. M. P. Analysis of prescriptions in intensive care units in a public hospital in the north region of Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e149101724485, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24485. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24485. Acesso em: 17 jan. 2022.

Issue

Section

Health Sciences