Nursing care for orthopedical patients in a public hospital in west Pará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24536

Keywords:

Nursing care; Traumas; Orthopedics.

Abstract

The Patient Classification System characterizes the patient's need and degree of dependence on the care of the team, being the tool that helps in the systematization of care, contributing to the development of individualized and comprehensive care. Thus, the study aimed to investigate the role of nurses according to the degree of dependence of the patient victim of orthopedic trauma. This is a descriptive, cross-sectional, and qualitative study, with 4 nurses participating. Qualitative data were treated using the IRAMUTEQ software (R Interface for Multidimensional Text Analysis and Questionnaires). The text corpus gave rise to six thematic classes, which were grouped and titled according to their approach, supporting the construction of four categories of analysis: the view and practice of nurses in the face of the patient classification system, the practice of nurses in front of to staff dimensioning, the reflection of the reduced number of professionals in care and guidance directed to the patient at hospital discharge.

Author Biographies

Sílvia Maria Farias dos Santos, Universidade Estadual do Pará

Possui Bacharelado em Enfermagem pela Faculdades Integradas do Tapajós (2016). Enfermeira Especialista em Atenção Integral em Ortopedia e Traumatologia pelo Programa de Residência Multiprofissional da Universidade do Estado do Pará (2020). Especialista em Saúde Pública com Ênfase na Atenção Básica pela Faculdade da Amazônia (2018). Atuou como docente no Centro Profissionalizante de Ensino- CEPROEN no curso Técnico de Enfermagem, nas disciplinas: Urgência e Emergência, Noções de Administração em Enfermagem, Psicologia Aplicada a Ética e Assistência de Enfermagem a Criança, Adolescente, Jovem e a Mulher, Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico. Tem experiência como preceptora de estágio supervisionado na referida instituição em: Enfermagem em Saúde Coletiva.

Maria Monica Machado de Aguiar Lima, Universidade Estadual do Pará

Possui graduação em Enfermagem pela Fundação Educacional Edson Queiroz (1980), Especialização em Saúde Pública (1992), em Ensino Superior (1995), em Enfermagem Obstétrica (1998) e Mestrado em Doenças Tropicais pela Universidade Federal do Pará (2013). Atualmente é Professora Assistente I da Universidade do Estado do Pará - Campus Santarém no curso de Enfermagem. É, Enfermeira no Núcleo da Secretaria Executiva de Saúde Pública,na unidade de Referência Especializada , atuando principalmente no seguinte tema: Enfermagem

Antenor Matos de Carvalho Junior , Universidade Estadual do Pará

): Possui graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Pará (2007). Especialista em Urgência e Emergência pela FIBRA (2009), ONCOLOGIA (2016), UTI neonatal/pediátrica/adulto (2018) pela instituição CESUPEG e em Saúde Pública com Ênfase em ESF pela FAVENI (2020). Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos - UFPA. Atua profissionalmente como Enfermeiro no Hospital Regional do Baixo Amazonas(HRBA), onde trabalha desde 2008. Coordenador do Curso de Técnico de Enfermagem do CEPROEN. Professor de Clínica Médica e Oncológica e Biossegurança e Preceptor de estágio supervisionado da UNAMA, no curso de Enfermagem; na Pós-Graduação do Instituto Esperança de Ensino Superior e da UNAMA, no curso de Urgência e Emergência. Atuou como Professor no curso de Medicina, em Habilidades Profissionais e Preceptoria de GIESC, na Universidade Estadual do Pará.

References

Araújo, F. S. R. (2012). O planejamento da alta hospitalar pelo enfermeiro aos clientes das unidades clínicas e cirúrgicas: perspectiva da complexidade em saúde numa atitude transdisciplinar. Dissertação (Mestrado em Ciências do cuidado em saúde) – Escola de enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense. Niterói. https://app.uff.br/riuff/handle/1/1042.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Edições 70.

Barros, A. L. B. L. & Lopes, J. L. (2010). A legislação e a sistematização da assistência de enfermagem. Revista Enfermagem em Foco. 1(2), 63-5. http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/17/18.

Brito, A. P; Guirardello, E. B. (2012) Nível de complexidade assistencial dos pacientes em uma unidade de internação. Revista brasileira de enfermagem. v. 65, n. 1, p. 92-6, http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672012000100013.

Coelho, M. A. (2013) Dimensionamento de profissional de enfermagem nas unidades de internação de adultos de um hospital de ensino da região Centro-oeste do Brasil. Tese (Doutorado) – Faculdade de enfermagem, Universidade de Goiás. Goiânia, https://ppgenf.fen.ufg.br/up/127/o/Maria_Alice_Coelho.pdf?1391019483.

COFEN. (2009) Resolução COFEN nº 358/2009, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências. In: Conselho Federal de Enfermagem [legislação na internet]. Brasília; http: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen 3582009_4384.html.

COFEN. (1986) Lei n 7.498/86, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. In: Conselho Federal de Enfermagem [legislação na internet]. Brasília; http://www.cofen.gov.br/lei-n-749886-de-25-de-junho de-1986_4161.html.

COFEN. (2017) Resolução nº 543 de 18 de abril 2017. Atualiza e estabelece parâmetros para o Dimensionamento do Quadro de Profissionais de Enfermagem nos serviços/locais em que são realizadas atividades de enfermagem. In. Conselho Federal de Enfermagem [legislação na internet]. Brasília. http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen 5432017_51440.html.

Ferreira, P. C. et al. (2017). Classificação de paciente e carga de trabalho da enfermagem em terapia intensiva: comparação entre instrumentos. Revista Gaucha de Enfermagem,v. 38, n. 2, p. 1-7, http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n2/0102-6933-rgenf-1983-144720170262782.pdf.

Fugulin, F. M. T. et al. (2012). Tempo de assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva: avaliação dos parâmetros propostos pela Resolução COFEN nº293/04. Revista Latino-Americana de Enfermagem. v. 20, n. 2, p. 325-32. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104- 11692012000200015&script=sci_arttext&tlng=pt.

Gaidzinski R. R. (1994). O dimensionamento do pessoal de enfermagem segundo a percepção de enfermeiras que vivenciam esta prática. Tese (Doutorado) - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo. São Paulo. https://repositorio.usp.br/item/000741601.

Goulart, L. L. et al. Carga de trabalho de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva de trauma. Revista eletrônica enfermagem, v. 16, n. 2, p. 346- 51, 2014. Disponível em: https://deploy.extras.ufg.br/projetos/fen_revista/v16/n2/pdf/v16n2a10.pdf. Acesso em: 02 Dez. 2019.

Horta, Wanda de Aguiar (1979). O processo de Enfermagem. São Paulo: EPU/Edusp.

Kfuri J. M. (2011). O trauma ortopédico no Brasil. Revista Brasileira de Ortopedia [online], v. 46, suppl 1 [Acessado 15 Novembro 2021] , Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-36162011000700003>. Epub 10 Ago. ISSN 1982-4378. https://doi.org/10.1590/S0102-36162011000700003.

Moraes, M; Linch, G.F.C; Souza, E.N. (2012) Classificação de pacientes internados em uma unidade traumatológica. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 33, n. 2, p. 52-59. http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v33n2/09.pdf.

Martins, A. C. S; silva, J.G; Ferraz, L.M. (2013). Orientações de enfermagem na alta hospitalar: contribuições para o paciente e cuidadores. . In: Convibra - Congresso Virtual Brasileiro de Administração. anais do Convibra. http://www.convibra.com.br/UPLOAD/PAPER/2013/70/2013_70_7857.PDF.

Negreiros, R. V; Lima, V.C.B. (2018). Importância do estágio supervisionado para o acadêmico de enfermagem no hospital: compartilhando experiências vivenciadas com a equipe de trabalho. Revista Unincor, v. 16, n. 2, p. 1- 7. http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/4359/pdf_819.

Prodanov, C. C.; Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale.

Tannure, M.C; Pinheiro, A.M. (2013). Sistematização da Assistência de Enfermagem. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

Veiga V. Rojas SSOR, Morais EASM, Santos ECA, Cruz OO, Marchesini AM, et al. (2009) Protocolo pós- operatório de cirurgia ortopédica. 2009. http://www.ineti.med.br/pdf%5Cdiretrizes%5Cdiretrizes20.pdf .

Vigna, C. P; Perroca, M.G. (2019). Utilização de sistema de classificação de pacientes e métodos de dimensionamento de pessoal de enfermagem. Revista Arq Ciênc Saúde. v. 14, n.1, p. 8-12, 2007. http://repositorio-racs.famerp.br/racs_ol/vol-14-1/id215.pdf.

Published

24/12/2021

How to Cite

SANTOS, S. M. F. dos .; LIMA, M. M. M. de A. .; SANTOS, L. A. dos .; SILVA, E. M. R. da .; CARVALHO JUNIOR , A. M. de .; MATOS, R. R. C. de . Nursing care for orthopedical patients in a public hospital in west Pará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e180101724536, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24536. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24536. Acesso em: 24 jan. 2022.

Issue

Section

Health Sciences