Characterization of Brazil mine tailings dams

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2478

Keywords:

Tailings dam; Mineral processing; Risk category; Environmental damage.

Abstract

The beneficiation methods used by Brazilian mining companies make the country have a significant number of dams. In this context, this work aimed to characterize these structures according to height, volume, risk category and environmental damage. For this study, we used a quantitative approach and document analysis, which consisted of examining the dam inventory for the year 2019, provided by the National Mining Agency. The results obtained indicate that in Brazil there are 769 registered dams, most of which are in the states of Minas Gerais (45.6%) and Pará (13.5%). It was noted about volume and height that small dams are the majority, corresponding, respectively, to 74.2% and 64.5% of the registered structures. In addition, it was observed that most of the tailings deposited in the dams come from clay and / or sand mining. It was noted that 53.4% of the dams were built in a single stage, however, it is noteworthy that 81 dams have no indication of the construction method employed. Regarding the risk category and associated potential damage, 217 dams are included in class “B” and 44.7% do not have this information. Miners are often required to monitor these structures along with technical inspections to reduce the risk of rupture and increase dam safety.


References

Agência Nacional de Mineração (ANM). (2019). Classificação oficial ANM 19-02-2019. Acesso em 05 março de 2019 em http://www.anm.gov.br/assuntos/barragens/pasta-cadastro-nacional-de-barragens-de-mineracao/classificacao-oficial-anm/view.

Araújo, C. B. (2006). Contribuição ao estudo do comportamento de barragens de rejeito de mineração de ferro. Dissertação (Mestrado em Ciências em Engenharia Civil) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Botelho, J. M. & Cruz. V. A. G. (2013). Metodologia científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Brasil. Lei nº 12.334, de 20 de setembro de 2010. Estabelece a Política Nacional de Segurança de Barragens destinadas à acumulação de água para quaisquer usos, à disposição final ou temporária de rejeitos e à acumulação de resíduos industriais, cria o Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens e altera a redação do art. 35 da Lei no 9.433, de 8 de janeiro de 1997, e do art. 4o da Lei no 9.984, de 17 de julho de 2000. Acesso em 15 de março de 2019 em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12334.htm.

Brasil. Portaria nº 70.389, de 17 de maio de 2017. Cria o Cadastro Nacional de Barragens de Mineração, o Sistema Integrado de Gestão em Segurança de Barragens de Mineração e estabelece a periodicidade de execução ou atualização, a qualificação dos responsáveis técnicos, o conteúdo mínimo e o nível de detalhamento do Plano de Segurança da Barragem, das Inspeções de Segurança Regular e Especial, da Revisão Periódica de Segurança de Barragem e do Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração, conforme art. 8°, 9°, 10, 11 e 12 da Lei n° 12.334 de 20 de setembro de 2010, que estabelece a Política Nacional de Segurança de Barragens – PNSB. Acesso em 15 de março de 2019, em http://www.dnpm.gov.br/portaria-dnpm-n-70389-de-17-de-maio-de-2017-seguranca-de-barragens/view.

Brasil. Resolução nº 13, de 8 de agosto de 2019. Estabelece medidas regulatórias objetivando assegurar a estabilidade de barragens de mineração, notadamente aquelas construídas ou alteadas pelo método denominado "a montante" ou por método declarado como desconhecido e dá outras providências. Acesso em 10 novembro de 2019 em http://www.in.gov.br/web/dou/-/resolucao-n-13-de-8-de-agosto-de-2019-210037027.

Chaves, A. P. (2002). Teoria e prática do tratamento de minérios. 2. ed. v.1. São Paulo: Signus Editora.

Galo, D. B. (2017). Análise de risco em barragens de rejeito com o uso de técnicas semiprobabilísticas de estabilidade de taludes - Um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental Urbana) - Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Gerhardt, T. E. & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Coordenado pela Universidade do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Lacaz, F.A.C.; Porto, M.F.S. & Pinheiro, T.M.M. (2006). Tragédias brasileiras contemporâneas: o caso do rompimento da barragem de rejeitos de Fundão/Samarco. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo. Acesso em 18 de março de 2019 em https://www.redalyc.org/pdf/1005/100550852011.pdf.

Minas Gerais. Deliberação Normativa do Conselho Estadual de Política Ambiental (COPAM) nº 62, de 17 de dezembro de 2002. Dispõe sobre critérios de classificação de barragens de contenção de rejeitos, de resíduos e de reservatório de água em empreendimentos industriais e de mineração no Estado de Minas Gerais. Acesso em 15 setembro de 2019 em http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=5008.

Nodari, R. O. & Guerra, M. P. (2001). Avaliação de riscos ambientais de plantas transgênicas. Brasília: Caderno de Ciências e Tecnologia, v. 18, p. 81-116.

Pereira, O. F. M. (2016). Análise da classificação de barragens de contenção de rejeitos no Brasil, quanto ao critério de categoria de risco. Dissertação (Mestrado Profissional em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais). Instituto Tecnológico Vale Desenvolvimento Sustentável, Belém, Pará.

Perovano, D. G. (2016). Manual de metodologia da pesquisa científica. Curitiba: InterSaberes.

Pimentel, A. (2001). O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 179-195, novembro/2001.

Prodanov, C. C. & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, Feevale.

Ribeiro, J. C. J. & Silva, L. C. N. (2018). A Mineração no Estado do Pará e as Barragens de Rejeito: o Paradigma Entre a Exploração e os Impactos Negativos Decorrentes. In: COSTA, Beatriz Souza (Org.). Anais… “V Congresso Internacional de Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Pan-Amazônia – Integrar e Proteger” e do “I Congresso da Rede PanAmazônia”. Belo Horizonte: Dom Helder, p. 122-139.

Robertson, A. M. (2017). Managing risk: doing, checking and checking the checkers for tailings, water and waste management. Acesso em 23 de setembro de 2017 em http://www.eticaeventos.net.br/sngb2017/apresentacoes/sgbr/abertura.pdf.

Sabbo, G. R.; Assis, M.M.G. & Berterquini, A.B.T. (2017). Barragens de retenção de rejeitos de mineração. Revista Engenharia em Ação. UniToledo, v. 2, n. 1, Araçatuba.

Soares, L. (2010). Barragem de rejeitos. Rio de Janeiro: CETEM.

Vale. (2019). O que são barragens. Acesso em 10 de março de 2019 em http://www.vale.com/brasil/PT/aboutvale/servicos-para-comunidade/minas-gerais/atualizacoes_brumadinho/Paginas/Entenda-as-barragens-da-Vale.aspx.

Valerius, M. B. (2014). Cadastro e análise do potencial de risco das barragens de rejeito de mineração do estado de Goiás. Dissertação (Mestrado em Geotecnia) – Universidade de Brasília, Brasília.

Verol, A. P. (2010). Simulação da propagação de onda decorrente de ruptura de barragem, considerando a planície de inundação associada a partir da utilização de um modelo pseudo-bidimensional. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Wallingford, H. R; Roca, M.; Murphy, A.; Walker, L. & Vallesl, S. (2019). A review of the risks posed by the failure of tailings dams. Reino Unido, n. 1, p. 5-59, 1 nov. 2019.

Wise Uranium Project. (2019). Chronology of major tailings dam failures. Acesso em 22 de março de 2019 em http://www.wise-uranium.org/.

Published

29/02/2020

How to Cite

BARCELOS, G. J. N.; LAGE, J. R. D.; CORDEIRO, J. S. Characterization of Brazil mine tailings dams. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e135932478, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i3.2478. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/2478. Acesso em: 21 sep. 2021.

Issue

Section

Engineerings