Interpretive trail for promotion of environmental education in Funcesi, Itabira Minas Gerais

Authors

  • Cibele Andrade Alvarenga Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira https://orcid.org/0000-0001-7161-2782
  • Cecília Maria Viana Camilo de Oliveira Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • André Luís Rossoni Ferreira Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Patrícia Bárbara Santos Silva Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Fabrine Stephane Fonseca Gregório Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Gabriele Cristina de Lima Cesar Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Luana Andrade Ribeiro Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira

DOI:

https://doi.org/10.17648/rsd-v7i1.103

Keywords:

Environmental interpretation; Biodiversity; Urban forest.

Abstract

The interpretive trail in urban forest can be considered an important means for the promotion of environmental education. The trail allows direct contact with the natural environment and for sharing scientific information on ecology local. The objective of this study was to report the results obtained from the environmental education project, “Interpretive trail in Funcesi’s campus”, developed in this institution of higher education. Participants were students and teachers from public and private schools in Itabira and nearby cities. Visitors were guided by monitors who instigated them to develop a new perception of the natural space through direct observation, questioning and tactile and visual sensibility. Between 2013 and 2017, 67 guided trails were conducted, and approximately 1952 people from 16 schools participated. 407 questionnaires were applied to the visitors to evaluate the satisfaction of the group at the end of the activity, with 83% evaluating the trail as "Very good". In addition to offering participants the opportunity to learn in the natural environment, the trail provided an exchange of knowledges and experiences among students, teachers and monitors of Funcesi.

References

ALVES, K. T.; DE LIMA, L. C. Trilhas interpretativas como instrumento de ambientalização universitária na área de abrangência do Aquífero Guarani Curitibanos (SC). 2012. 16 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade de Contestado, Santa Catarina, 2012.

BARCELLOS, M.; MAIA, S.; MEIRELES, C.; PIMENTAL, D. Elaboração de uma Trilha Interpretativa no Morro das Andorinhas: uma proposta de educação ambiental no Parque Estadual da Serra da Tiririca, RJ. I Encontro Fluminense sobre Uso Público em Unidades de Conservação: Gestão e Responsabilidades, 2013, Niterói. Anais do Encontro Fluminense sobre Uso Público em Unidades de Conservação: Gestão e Responsabilidades, 2013.

BERTUCCI, J. L. O. Metodologia básica para elaboração de trabalho de conclusão de curso. São Paulo: Editora Atlas, 2008

CARVALHO, F. N.; WACHTEL, G.; SANTO, I. P. E.; DINIZ, M. G.; CARVALHO, P. G. S.; CARMO, V. A. & MOURA, V. Manual de Introdução à Interpretação Ambiental. Belo Horizonte: SEGRAF, 2002. Projeto Doces Matas.

COLOMBO, A. G. KUHNEN, C. F. C.; SPONCHIADO, D.; BORTOLUZZI, R. C.; CORRÊA, K. C. S. R.; ROCHA, M. C. Trilhas interpretativas: a inserção da prática em educação ambiental no campus da URI de Frederico Westphalen, RS. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI, Erechim, v. 11, n. 20, maio 2015. Disponível em: < http://www.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero_020/artigos/pdf/Artigo_11.pdf > Acesso: 10 mar. 2016.

DIAS, G. F. Atividades interdisciplinares de Educação Ambiental. 2 ed. São Paulo: GAIA (Global), 2006.

DIAS, G. F. Dinâmicas e instrumentação para a Educação Ambiental. São Paulo: GAIA (Global), 2010.

FERREIRA, A. L. R.; ALVARENGA, C. A. Biodiversidade do Campus da Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, Itabira, MG. Café com Ciência 2015, Caderno de Resumo. FUNCESI/CEPPE, Itabira, 2015. p.66.

FOLMANN, A. C.; PINTO, L. C.; GUIMARÃES, G. B. Trilhas Interpretativas como instrumentos de Geoturismo e Geoconservação: caso da trilha do Salto São Jorge, Campos Gerais do Paraná. Geo UERJ, Rio de Janeiro, ano 12, n. 21, v. 2, 2 sem. 2010. Disponível em:< http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/geouerj/article/view/1487. Acesso em: 10 mar. 2016

GOOGLE. Google Earth. 2015. Itabira, Minas Gerais, Brasil.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Itabira. 2016. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=mg. Acesso em: 06 maio 2016.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Itabira. 2017. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=mg. Acesso em: 12 dezembro 2017.

MARTINS, J. F. C; TEIXEIRA, E. C.; SCHERER, A. L.; TEIXEIRA, E. C.; SAUL, P. F. A. Trilha integração: integrando estudantes, visitantes e ambientes no campus da Unisinos, Biodiversidade Pampeana, Uruguaiana, v. 5, n. 1, jul 2007. Disponível em: < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/biodiversidadepampeana/article/view/2605. Acesso em: 11 mar. 2013.

METTE, G.; SILVA, J. C. D.; TOMIO, D. Trilhas interpretativas na Mata Atlântica: uma proposta para educação ambiental na escola; Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 25, jul a dez 2010. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/3376. Acesso em: 24 jun. 2015.

NASCIMENTO, L. M.; ARRUDA, A. P. D. V.; SANTOS, U. M. F. Trilhas autoguiadas e guiadas: instrumento de educação ambiental do Jardim Botânico do Recife, Brasil. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 34, n. 1, 2017. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/6539 . Acesso em: 27 dez. 2017.

NASTRI, A. M.; CAMPOS, M. J. O. A escola e as áreas livres em seu entorno como laboratórios para o ensino de ciências, com ênfase em temas relacionados com educação para a biodiversidade. 33 a 48p. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso em Ecologia) – Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2005.

OLIVEIRA, T. L. F.; VARGAS, I. A. Vivências integradas à Natureza: por uma educação ambiental que estimula os sentidos. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v.22, jan a jul 2009. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/2829/1600. Acesso em: 11 mar 2013.

PAIVA, A. C.; FRANÇA, T. L. Trilhas Interpretativas Reconhecendo os elos com a Educação Física. Rev. Bras. Ciência e Esporte, Campinas, v. 28, n. 3, p. 109-124, maio 2007. Disponível em: http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view Article/26. Acesso em 05 jun 2017.

PIAGET, J. Genetic epistemology. In: DRIVER, R. et al. (Ed.). Construindo o conhecimento científico na sala de aula. São Paulo: Química Nova na Escola, 1999. p. 31- 40.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABIRA (PMI). Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. Departamento de Geoprocessamento (DEGEO). Itabira, 2014.

SANTOS, M. C.; FLORES, M. D., ZANIN, E. M. Trilhas interpretativas como instrumento de interpretação, sensibilização e educação ambiental na APAE de Erechim/RS. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI, Erechim, v.7 n. 13, out. 2011. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero_013/artigos/artigos_vivencias_13/n13_21.pdf. Acesso em: 11 mar 2013.

SCHRADER, G. W.; FRENEDOZO, R C. Espaços não formais de aprendizagem: a elaboração de uma trilha interpretativa como ferramenta para a educação ambiental. Encontro de Produção Discente PUCSP/Cruzeiro do Sul, v. 2, n. 1, 2014. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/epd/article/view/924. Acesso em: 21 set 2016.

SILVA, F. B.; CECCON, S.; RISSATO, C. G.; SILVEIRA, T. R.; TEDESCO, C. D.; GRANDO, J. V. Educação Ambiental: interpretação na Campus Universitário através de trilha ecológica. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 17, jul a dez, 2006. Disponível em: < https://www.seer.furg.br/remea/article/view/3022> Acesso em: 11 mar 2013.

VASCONCELLOS, J. M. O. Educação e Interpretação Ambiental em Unidades de Conservação. Curitiba: Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. Caderno de Conservação. Ano 3, n. 4, 2006, 86p.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 10. São Paulo: Atlas, 2009.

ZANIN, E. M. Projeto trilhas interpretativas: a extensão, o ensino e a pesquisa integrados à conservação ambiental e à educação. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI, Echerim, ano 1, n. 2. maio 2006. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero%20002/artigos/area_meio_ambiente/area_meio_ambiente_01.htm. Acesso em: 11 mar 2013.

Published

13/02/2018

How to Cite

ALVARENGA, C. A.; OLIVEIRA, C. M. V. C. de; FERREIRA, A. L. R.; SILVA, P. B. S.; GREGÓRIO, F. S. F.; CESAR, G. C. de L.; RIBEIRO, L. A. Interpretive trail for promotion of environmental education in Funcesi, Itabira Minas Gerais. Research, Society and Development, [S. l.], v. 7, n. 1, p. e1271186, 2018. DOI: 10.17648/rsd-v7i1.103. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/255. Acesso em: 28 sep. 2021.

Issue

Section

Articles