Description of the epidemiological profile: patients hospitalized for stroke in an intensive care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i3.26170

Keywords:

Stroke; Cerebral ischemia; Subarachnoid hemorrhage; Critical care; Health care networks.

Abstract

General purpose: To describe the incidence and profile of the population affected by stroke admitted to the adult intensive care unit (ICU) of a Public Hospital in the city of São Paulo. Methods: Cross-sectional, quantitative, analytical and prospective research. Data collection performed through a questionnaire, information from medical records and completed by the patient or guardian. The sample selected for convenience, composed of 21 individuals hospitalized in the ICU with a diagnosis of stroke, from august to october 2021. Results: 261 patients were hospitalized, 21 (8.17%) with a diagnosis of stroke; 14 (66.67%) with EVA, male (57.14%), 7 (33%) with EVA, female (57.14%), both were prevalent in people over 60 years old (76%), of the white race (61%). 61% of patients with previous health follow-up, prevalent in the public health service (85%). The highest demand for health service prior to hospitalization was the IS (64.28%). Among the strokes, 18 had comorbidities (SAH 66.67%, smoking 42.46%, DM 33.33%, heart disease 19.05%) and 83% were previously treated. Regarding the knowledge that comorbidities can lead to CVA, 52.38% knew about the subject. EVA with 85.71% of discharge and EVA 57.14% of death. The average hospitalization days were: AVEI 24.64 days and AVEH 14.14 days. Conclusion: This research found trends in accordance with the literature, showing the incidence of ischemic stroke, susceptible in people over 60 years of both sexes, with one or more CNCDs, and it has evidenced the importance of RAS to the health care system.

References

Arruda, C., Lopes, S. G. R., Koerich, M. H. A. D. L., Winck, D. R., Meirelles, B. H. S., & Mello, A. L. S. F. D. (2015). Redes de atenção à saúde sob a luz da teoria da complexidade. Escola Anna Nery, 19, 169-173.

Brasil. (2014). Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, & Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica. Cadernos de Atenção Básica, (35).

BRASIL. (2020). Ministério da saúde. Linhas de cuidado do acidente vascular cerebral no adulto (AVC). http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/LC_AVC_no_adulto.pdf.

CEInfo. (2021). Boletim Saúde da Coordenação de Epidemiologia e Informação. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/publicacoes/Boletim_CEInfo_Dados_2020.pdf.

COSEMSSP. (2015). Apresentação. Coordenadoria Regional de Saúde Sudeste. http://www.cosemssp.org.br/downloads/Apresentacao-Karina-coordenadoria-sul.pdf.

de Sousa Rodrigues, M., Fernandes, L., & Galvão, I. M. (2017). Fatores de risco modificáveis e não modificáveis do AVC isquêmico: uma abordagem descritiva. Revista de medicina, 96(3), 187-192.

de Oliveira, G. G., & Waters, C. (2021). Perfil epidemiológico dos pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico/Epidemiological profile of patients with stroke. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, 66(1u), 1-5.

Frazão, D. A. L., de Andrade, O. G. C., Muniz, G. G., Bächtold, G. A. B., & de OG Santos, J. R. (2020). Prevalência de intubação orotraqueal no serviço de emergência em hospital secundário do Distrito Federal. Brazilian Journal of Development, 6(6), 39137-39148.

Gouvêa, D., de Paula Gomes, C. S., de Melo, S. C., do Nascimento Abrahão, P., & Barbieri, G. (2015). ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: UMA REVISÃO DA LITERATURA. Ciência Atual–Revista Científica Multidisciplinar do Centro Universitário São José, 6(2).

Gomes, C. S. P., Melo, S. C., Abrahão, P. N. & Barbieri, G. (2015). Acidente vascular encefálico: uma revisão de literatura. Rev. Científica Multidisciplinar das Faculdades São José. 6(2): 2-6.

Helder, H. A. J., do Nascimento, A. F. A., Alves, A. W., Barbosa S. J., Costa, L. L., & Nunes, A. S. M. (2015). ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: ENFOCANDO AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE. Journal of Nursing UFPE/Revista de Enfermagem UFPE, 9(11).

Hoffmann, M. C. C. L., & Lobo, M. C. D. A. (2014). Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS: proposta de modelo de atenção integral.

Kaup, A. O., Dos Santos, B. F, Victor, E. S., Cypriano, A.S., Lottenberg, C.L., Cendoroglo Neto, M., & Silva, G.S. (2015). Georreferenciando óbitos por AVC em São Paulo: um cinturão de AVC intramunicipal?. International Journal of Stroke , 10 , 69-74.

Kalaria, R. N., Akinyemi, R., & Ihara, M. (2016). Stroke injury, cognitive impairment and vascular dementia. Biochimica et biophysica acta, 1862(5), 915–925.

Mamed, S. N., Ramos, A. M. D. O., Araújo, V. E. M. D., Jesus, W. S. D., Ishitani, L. H., & França, E. B. (2019). Perfil dos óbitos por acidente vascular cerebral não especificado após investigação de códigos garbage em 60 cidades do Brasil, 2017. Revista Brasileira de Epidemiologia, 22.

Medeiros, C. S. P. D., Silva, O. A. P. D., Araújo, J. B., Souza, D. E. D., Cacho, E. W. A., & Cacho, R. D. O. (2017). Perfil social e funcional dos usuários da Estratégia Saúde da Família com Acidente Vascular Encefálico. Revista brasileira de ciências da saúde, 21(3), 211-220.

MENDES, E. V., (2011). As redes de atenção à saúde. Organização Pan-Americana da Saúde.

Ministério da Saúde (BR). (2013). Diretrizes de atenção à reabilitação da pessoa com acidente vascular cerebral.

Mourao, A. M., Vicente, L. C. C., Chaves, T. S., SantAnna, R. V., Meira, F. D. C., Xavier, R. M. D. B., ... & Teixeira, A. L. (2017). Perfil dos pacientes com diagnóstico de AVC atendidos em um hospital de Minas Gerais credenciado na linha de cuidados. Rev Bras Neurol, 53(4), 12-16.

Mateus, A. P., Ruivo, E. A. B., & Brito, W. A. (2017). Mobilização precoce intra-hospitalar em pacientes após acidente vascular cerebral: revisão sistemática. Arq. Ciênc. Saúde, 08-13.

Radu, R. A., Terecoasă, E. O., Băjenaru, O.A. & Tiu, C. (2017). Classificação etiológica do AVC isquêmico: Onde estamos? De neurologia clínica e neurocirurgia, 159, 93-106.

Roxa, G. N., Amorim, A. R. V., Caldas, G. R. F., Ferreira, A. D. S. H., de Alencar Rodrigues, F. E., Gonçalves, M. O. S. S., & da Silva, C. R. L. (2021). Perfil epidemiológico dos pacientes acometidos com AVC isquêmico submetidos a terapia trombolítica: uma revisão integrativa. Brazilian Journal of Development, 7(1), 7341-7351.

Sartoretto, E. R., da Silva, G. S., Schein, A. E., & Madeira, K. (2019). Contraindicações ao uso de Trombolítico em Pacientes Acometidos por Acidente Vascular Cerebral Isquêmico num Hospital de alta complexidade do sul Catarinense no período de 2012 a 2014. Arquivos Catarinenses de Medicina, 48(1), 108-117.

Schmidt, M. H., Selau, C. M., da Silva Soares, P., Franchi, E. F., Piber, V. D., & Quatrin, L. B. (2019). Acidente vascular cerebral e diferentes limitações: uma análise interdisciplinar. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 23(2).

SEADE. (2021). Portal de estatísticas do Estado de São Paulo. https://www.seade.gov.br/.

SP. (2015). Dia Mundial de Combate ao AVC leva conscientização à Avenida Paulista. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Saúde. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=206029.

SP. (2017). Análise em saúde e vigilância das doenças não transmissíveis. Governo do Estado de São Paulo. http://svs.aids.gov.br/dantps/centrais-de-conteudos/paineis-de-monitoramento/mortalidade/gbd-brasil/principais-causas/.

SP. (2019). Hospital Tatuapé completa 50 anos com maior capacidade de atendimento. Governo do Estado de São Paulo. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=270429.

SP. (2020). Entenda o que é AVC, como identificar e se proteger. Governo do Estado de São Paulo https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=306023.

SP. (2021). Número de Estabelecimentos/Serviços próprios da SMS por Coordenadoria Regional de Saúde Município de São Paulo. Governo do Estado de São Paulo. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/EstabServicos_da_SMS_por_CRS_Marco_2021.pdf=.

Vieira, D. C. D., Callegaro, C. C., Bittencourt, V. L. L., da Silva, T. P., & Winkelmann, E. R. (2017). Reabilitação de acidente vascular encefálico: revisão de literatura. Revista de Atenção à Saúde (ISSN 2359-4330), 15(52), 89-95.

Published

14/02/2022

How to Cite

MATA, K. A. da .; CASSAVIA, C. S. P. .; MALAQUIAS JUNIOR, J. . Description of the epidemiological profile: patients hospitalized for stroke in an intensive care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 3, p. e9511326170, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i3.26170. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26170. Acesso em: 20 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences