The nurse's role in risk classification through the Manchester Protocol in urgency and emergency services

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i3.26592

Keywords:

Emergency nursing; Nursing; Triage.

Abstract

The Manchester Protocol (MP) is an indispensable tool directed mainly to the management of emergency services in Brazil and in other countries, where patients are classified in triage by color scales, using signs and symptoms as a basis, thus observing the degree of complication, and waiting time until care. This study aimed to conduct an active search in the literature on the role of nurses in risk classification using the Manchester Protocol in urgency and emergency services. This is a descriptive study, using the Integrative Literature Review (ILR) technique, together with the PICO strategy for formulating the guiding question. The search was conducted between March and May 2021 in the indexed databases of the Virtual Health Library (VHL): LILACS, BDENF and MEDLINE by joining four Health Descriptors (DeCS) crossed with the Boolean operator "AND": Emergency Nursing AND Emergency Medical Services AND Nursing AND Triage. 479 articles were found in total. When adding the criteria of articles published in the last five years (2016 to 2021) within the Portuguese and English languages, this number reduced to 89. After reading and analyzing the research, 11 articles were selected to compose this study. The risk classification has numerous benefits for its users, with greater emphasis on reducing risks and preventable deaths, prioritization of care after evaluation of clinical criteria, extinction of triage by unqualified operation. Given the exposed information, it was verified the importance of the nursing professional facing the risk classification through the Manchester protocol in urgency and emergency units, being the professional directed and trained to perform the customer assessment.

Author Biography

Italo Everton Bezerra Barbosa, Universidade de Federal de São Paulo

Mestrando em Ciências da Saúde pelo programa de Pós-graduação da Escola Paulista de Enfermagem (EPE) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Especialista em Docência do Ensino Superior e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, Pediátrico e Neonatal, pela Faculdade de Tecnologia de Curitiba (FATECPR), por meio do Instituto Educacional líder. Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário Metropolitano de Manaus (CEUNI - FAMETRO). Possui experiência na organização de eventos científicos como o I Workshop de Saúde do Idoso: Os desafios do cuidar (2019) e atuou como monitor e membro da comissão organizadora do 71° Congresso Brasileiro de Enfermagem - CBEN (2019). No decorrer da graduação realizou cinco monitorias acadêmicas institucionais (FAMETRO), nas disciplinas de Anatomia Humana, Fisiologia Humana, Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), Semiologia e Semiotécnica e Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Realizou apresentação de artigos em congressos e eventos científicos, dentre eles o I Congresso Nacional de Iniciação Científica em Saúde (CONICS) e I Mostra de Iniciação Científica - Piauí (IMIC PI), sendo recebidas duas Menções Honrosas no eixo Enfermagem e Saúde Pública. Ex-Membro/Coordenador de Pesquisa e Extensão da Liga Acadêmica de Curativos (LAC). Membro do grupo de pesquisa em Sono, Ambiente e Saúde Mental (SleepEMent) da UNIFESP. Idealizador do projeto de extensão intitulado "A higienização das mãos como prevenção ao novo coronavírus". Tem interesse em pesquisas que estejam relacionadas a Qualidade de vida, Carga de Trabalho, Síndrome de Burnout, Sono, Estresse, Ansiedade, Saúde Mental e Lesão Por Pressão (LPP).

References

Acosta, A. M., Duro, C. L. M., & Lima, M. A. D. D. S. (2012). Atividades do enfermeiro nos sistemas de triagem/classificação de risco nos serviços de urgência: revisão integrativa. Revista gaúcha de enfermagem, 33, 181-190.

Aguiar, B. R. D. S. (2019). A importância da implantação do protocolo de Manchester nas unidades de pronto atendimento: uma revisão bibliográfica.

Camara, R. F., Paulino, T. S., da Costa Pereira, F. C., de Souza Rocco, I. C. A., Rocha, K. M., & Neto, L. I. (2015). O papel do enfermeiro no processo de classificação de risco na urgência: uma revisão. Revista humano ser, 1(1), 99-114.

Campos, J., & Souza, V. S. (2015). A percepção dos usuários do serviço de urgência e emergência em relação à classificação de risco pelo protocolo de Manchester. Unimontes Científica, 16(1), 17-25.

da Silva Bohn, M. L., da Silva Lima, M. A. D., Duro, C. L. M., & de Abreu, K. P. (2015). < b> Percepção de enfermeiros sobre utilização do protocolo do sistema de classificação de risco manchester/Nurses’ perception on the use of the manchester risk classification system protocol< b. Ciência, Cuidado e Saúde, 14(2), 1004-1010.

de Castro Soares, Z. B., de Souza Lima, M., de Souza, N. P., Amaro, A. Y. G., Nascimento, Â. C. B., & Neves, F. L. A. (2021). Protocolo de triagem Manchester: a relevância de implementação nos atendimentos de urgência e emergência. Facit Business and Technology Journal, 1(26).

de Souza, C. C. (2017). Atuação do enfermeiro na classificação de risco em serviços de urgência e emergência e a segurança do paciente. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, 7.

de Moura, M. D. A. A., Watanabe, E. M. M., dos Santos, A. T. R., Cypriano, S. R., & dos Santos Maia, L. F. (2014). O papel do enfermeiro no atendimento humanizado de urgência e emergência. Revista Recien-Revista Científica de Enfermagem, 4(11), 10-17.

de Oliveira Campos, R. L., de Lira, N. C. D., de Santana, M. R., Café, L. A., de Souza, L. N., da Silva, A. E. G., & da Silva, A. D. (2020). Humanização da assistência de enfermagem na classificação de risco nos serviços de urgência e emergência. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, 5, e5036-e5036.

de Paula, M. I. P., & Andrade, U. V. (2017). Classificação de risco segundo o protocolo de manchester: uma proposta de humanização nos serviços de urgência e emergência. Revista Mosaicum, (25).

Degasperi, A., Lohmann, P. M., da Costa, A. E. K., & Lavall, E. (2020). O uso de protocolos nas unidades de urgência e emergência: uma revisão integrativa. Research, Society and Development, 9(11), e64691110140-e64691110140.

do Carmo, B. A., & de Souza, G. (2018). Atuação do enfermeiro na classificação de risco através do protocolo de manchester: uma revisão da literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde/Electronic Journal Collection Health

dos Santos, E. T. S., Freitas, A. A. S., & de Lima Oliveira, D. M. (2018). Acolhimento com avaliação e classificação de risco: frente a superlotação dos seviços hospitalares de urgência. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-SERGIPE, 5(1), 187-187.

dos Santos, S., Gomes, D. C., dos Santos, M. A. A. C., Bezerra, D. G., & dos Reis, R. P. (2020). A atuação do enfermeiro na classificação de risco de pacientes em unidade de emergência: um enfoque no protocolo de Manchester. Revista Eletrônica da Estácio Recife.

Lopes, J. B. (2011). Enfermeiro na classificação de risco em serviços de emergência: revisão integrativa.

Moraes-Filho, I. M., Bahia, F. S., Oliveira, V. A., Santos, D. F., da Silva, R. M., & Santos, O. P. (2018). O papel do enfermeiro frente à implantação Protocolo de Manchester nos serviços de urgência e emergência. Vita et Sanitas, 12(1), 37-46.

Pagliotto, L. F., Souza, P. B. D., Thomazini, J. O., Ortega, A. B. D. A., & Vavra, S. M. D. F. (2016). Classificação de risco em uma unidade de urgência e emergência do interior paulista. Cuidarte Enferm, 10(2), 148-55.

Pereira, K. C., & da Silva Ferreira, W. F. (2020). Classificação de riscos no atendimento de urgência e emergência: contribuição do enfermeiro. Revista Jurídica Uniandrade, 31(1), 43-55.

Pereira, K. C., & da Silva Ferreira, W. F. (2020). Classificação de riscos no atendimento de urgência e emergência: contribuição do enfermeiro. Revista Jurídica Uniandrade, 31(1), 43-55.

Reis, E. A. D. Desafios dos enfermeiros na aplicação do Protocolo de Manchester: uma revisão da literatura.

Roncalli, A. A., de Oliveira, D. N., Silva, I. C. M., Brito, R. F., & da Fonseca Viegas, S. M. (2017). Protocolo de Manchester e população usuária na classificação de risco: visão do enfermeiro. Revista Baiana de Enfermagem‏, 31(2).‎

Soares, A. C. L., Brasileiro, M., & de Souza, D. G. (2018). Acolhimento com classificação de risco: atuação do enfermeiro na urgência e emergência. Revista Recien-Revista Científica de Enfermagem, 8(22), 22-33.

Souza, J. R. D. (2014). Protocolo de manchester: percepção dos enfermeiros classificadores de risco.

Published

08/03/2022

How to Cite

SAMPAIO, E. C. .; BRITO, T. P. P. de .; BARBOSA, I. E. B. .; MOTA, B. de S.; FONSECA, A. R.; REIS, F. S. dos; PEREIRA, S. L. da S. .; MELO, F. de S.; FRANÇA, I. F.; FERREIRA, M. R. .; ROCHA, I. C. da .; PIRES, P. J. da S. .; COSTA, A. P. F. da .; GIMAQUE , C. T. R. .; LINDOSO, R. V. . The nurse’s role in risk classification through the Manchester Protocol in urgency and emergency services. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 3, p. e58011326592, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i3.26592. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26592. Acesso em: 13 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences