Self-care practices of adolescent pregnant women: literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2665

Keywords:

Self-care; Teenage pregnancy; Adolescent behavior.

Abstract

According to the Ministry of Health, teenage pregnancy is assessed as a public health problem, considered to be a high risk factor and related to biological and social complications in maternal and fetal conditions. Self-care provides the necessary recognition that adolescents need to be actively involved in the pregnancy process. This article aims to identify the self-care practices of pregnant adolescents. This is an integrative literature review. In the results, most adolescents reported having a steady partner (73.3%), did not show body dissatisfaction (82.1%), lived in peripheral neighborhoods, with a large number of people with low income and low education. Greater self-care was evidenced in relation to the consumption of toxic substances, such as alcohol and drugs, hygiene, rest and food. Care, such as physical exercise, sunscreen and breast care, were not considered priorities by pregnant women. From the study carried out, it was possible to understand how the care of pregnant women is with them, showing considerable deficiencies in their self-care, be it emotional, physical or mental, suggesting great reflections on the theme.

Author Biographies

Maria Helena dos Santos Moraes, Universidade Estadual do Maranhão

Enfermeira Residente em Saúde da Família na Universidade Estadual do Maranhão

Amanda Cibelle de Souza Lima, Universidade Estadual do Maranhão

Nutricionista Residente em Saúde da Família da Universidade Estadual do Maranhão.

Antonia Fernanda Lopes da Silva, Universidade Estadual do Maranhão

Farmacêutica Residente em Saúde da Família da Universidade Estadual do Maranhão.

References

Alves, D. L., & Oliveira, F. B. M. (2017). Relação entre a sobrecarga de trabalho e erros de administração de medicação na assistência hospitalar. Revista Ciência & Saberes-Facema, 2(4), 325-334.

Araujo, N. B. D., & Mandú, E. N. T. (2016). Produção de sentidos entre adolescentes sobre o cuidado de si na gravidez. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 20, 363-375.

Azevedo, W. F. D., Diniz, M. B., Fonseca, E. S. V. B. D., Azevedo, L. M. R. D., & Evangelista, C. B. (2015). Complicações da gravidez na adolescência: revisão sistemática da literatura. Einstein (São Paulo), 13(4), 618-626.

Brito, A. C. D., de Abreu, D. D. S., Cabral, N. A. L., Silva, M. B., de Sousa Gomes, R., & Ribeiro, V. S. (2016). Consumo de frutas, verduras e legumes por gestantes adolescentes. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 29(4), 480-489.

Buendgens, B. B., & Zampieri, M. D. F. M. (2012). A adolescente grávida na percepção de médicos e enfermeiros da atenção básica. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 16(1), 64-72.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde (2013). Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Recomendações para a Atenção Integral a Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids.

Cabral, C. S. (2015). Reprodução e sexualidade juvenil: a paternidade na adolescência em foco. E-book, 2, 313-324.

Gurgel, M. G. I., Alves, M. D. S., Vieira, N. F. C., da Costa Pinheiro, P. N., & Barroso, G. T. (2008). Gravidez na adolescência: tendência na produção científica de enfermagem. Escola anna Nery revista de Enfermagem, 12(4), 799-805.

Maia, J. A., Pereira, L. A., & de Alcântara Menezes, F. (2016). Consequências do uso de drogas durante a gravidez. Revista Enfermagem Contemporânea, 4(2).

Melo, M. M., Soares, M. B. O., & da Silva, S. R. (2015). Orientações recebidas por gestantes adolescentes durante o pré-natal/Guidance provided to teen pregnancy during the prenatal. Ciência, Cuidado e Saúde, 14(3), 1323-1329.

Melo, M. C. P. D., & Coelho, E. D. A. C. (2011). Integralidade e cuidado a grávidas adolescentes na Atenção Básica. Ciência & Saúde Coletiva, 16, 2549-2558.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde (2012). Departamento de Atenção Básica Atenção ao Pré-natal de Baixo Risco.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde (2017). Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica.

Moimaz, S. A. S., Zina, L. G., Serra, F. A. P., Garbin, C. A. S., & Saliba, N. A. (2010). Análise da dieta e condição de saúde bucal em pacientes gestantes. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, 10(3), 357-363.

Moraes, N. A., Arruda, M. P. O autocuidado como processo de aprendizagem da gestante adolescente. (2013). PUCPRESS, Paraná.

Mota, E.R., Siqueira, D. F. de, Socool, K. L. S., Silva, S. O., Campos, M. L. D. de., (2019). Gestantes usuárias de substancias psicoativas. Enfermagem Brasil,18, e2526-9720.São Paulo, SP, Brasil.

Oliveira, R. H. (2017). Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica.

Otenio, C. C. M., Otenio, M. H., Soares, G. M. P., (2014). Gravidez na adolescência: representação da adolescente. Juiz de Fora. Estação Cientifica. nº 12.

Padilha, M. A. S., Hypolito, A. M., Soares, M. C., Bueno, M. E. N., Correa, A. C. L., Meincke, S, M, K., (2014). As representações sociais das mães adolescentes acerca da educação. Ciencia y enfermería, 20(3), 33-42.

Queiroz, M. V. O., Menezes, G. M. D., Silva, T. J. P., Brasil, E. G. M., Silva, R. M. da., (2016). Grupo de gestantes adolescentes: contribuições para o cuidado no pré-natal. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(spe), e2016-0029. Epub June 05, 2017.

Rossetto, M. S., Schermann, L. B., & Béria, J. U. (2014). Maternidade na adolescência: indicadores emocionais negativos e fatores associados em mães de 14 a 16 anos em Porto Alegre, RS, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 4235-4246.

Silveira, C., Doneda, D., Gandolfi, D., Hoffmann, M. C., Macedo, P., Delgado, P. G., ... & Moreira, S. (2003). Política do Ministério da Saúde para atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 52(5), 349-354.

Silva, F. M. (2016). Crack na gestação: consequências no crescimento e desenvolvimento para o adolescente e adulto jovem. Porto Alegre, 20.

Silva, L. M. G. D. (2001). Breve reflexão sobre autocuidado no planejamento de alta hospitalar pós-transplante de medula óssea (TMO): relato de caso. Rev Latino-am Enfermagem, 9(4), 75-82.

Silva, L. A. D., Nakano, A. M. S., Gomes, F. A., & Stefanello, J. (2009). Significados atribuídos por puérperas adolescentes à maternidade: autocuidado e cuidado com o bebê. Texto Contexto Enferm, 18(1), 48-56.

Souza, M. T. D., Silva, M. D. D., & Carvalho, R. D. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), 8(1), 102-106.

Published

20/03/2020

How to Cite

MORAES, M. H. dos S.; LIMA, A. C. de S.; SILVA, A. F. L. da. Self-care practices of adolescent pregnant women: literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 4, p. e97942665, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i4.2665. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/2665. Acesso em: 6 dec. 2022.

Issue

Section

Review Article