Rescuing popular knowledge and using unconventional food plants as a possibility of nutritional security

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28325

Keywords:

Agroecology; Biodiversity; Food sovereignty.

Abstract

Unconventional food plants (UFP) are those with limited distribution, restricted to certain locations, with great participation in the nutrition and culture of traditional populations. UFP are among the sources of food that develop in natural environments without the need for inputs and deforestation of new areas, but although available at low cost, they are still unknown and underutilized by a significant portion of the population. The present study aimed to analyze the dynamics of eating habits and survey UFP in agrarian reform settlements in the municipality of Maragogi, state of Alagoas. To collect information on the use of UFP, questionnaires were applied and data were tabulated in electronic spreadsheet and transformed into tables. In settlements evaluated, between twelve and fourteen different UFP were identified in the social context of these communities. There are several UFP options that could be marketed by the population, thus contributing to increase family income.

References

Brack, P., Köhler, M., Corrêa, C., Ardissone, R., Sobral, M. & Kinupp, V. (2020) Frutas nativas do Rio Grande do Sul, Brasil: riqueza e potencial alimentício. Rodriguésia, 71.

Brasil. (2002) Decreto nº 4.339 de 22 de agosto de 2002. Institui princípios e diretrizes para a implementação da Política Nacional da Biodiversidade. Diário Oficial da União, Seção 1, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4339.htm.

Brasil. (2006) Lei 11.346 de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN. Diário Oficial da União, Seção 1, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm.

Brasil. (2010) Decreto nº 7.272 de 25 de agosto de 2010. Regulamenta a Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006 e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7272.htm.

Brasil. (2010) Ministério do Meio Ambiente. Biodiversidade Brasileira. https://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-brasileira.

Brasil. (2014) Brasil sai do Mapa da Fome das Nações Unidas, segundo FAO. Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. Brasília, DF. http://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2014/setembro/brasil-sai-do-mapa-da-fome-das-nacoes-unidas-segundo-fao.

Borges, C. K. G. D. & Silva, C. C. (2018) Plantas alimentícias não convencionais (PANC): a divulgação científica das espécies na cidade de Manaus, AM. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, 4:11.

Cardoso, Y. R., Silva, J. A., Melo, C. S., Neves, A. C. F., Medeiros, D. F. B., Cruz, D. P., Oliveira, M. A. D., Gomes, P. M., Carvalho, L. A., Costa, D. S. G., Damião, S. T. N., Batista, A. K., Marins, R. C., Silva, B. O., Rabelo, A. D. A., Lima, I. V. & Bolina, C. O. (2016) PANC: Aceitação de doces preparados com plantas alimentícias não convencionais durante o Sarau Cultural da UEG. https://www.anais.ueg.br/index.php/cepe/article/view/8361.

Carneiro, F. F., Pignati, W., Rigotto, R. M., Augusto, L. G. S., Rizollo, A., Muller, N. M., Alexandre, V. P., Friedrich, K. & Mello, M. S. C. (2012) Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Abrasco, Rio de Janeiro 88p.

Chaves, M. S. (2016) Plantas alimentícias não convencionais em comunidades ribeirinhas na amazônia. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, 123p.

Coradin, L., Siminski, A. & Reis, A. (2011) Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: Plantas Para o Futuro Região Sul. MMA, Brasília. 934p.

Costa, J. R. & Mitja, D. (2010) Uso dos recursos vegetais por agricultores familiares de Manacapuru (AM). Acta Amazonica. 40:49-58.

Dias, D. S. F., Deus, M. M. M. & Ireland, T. D. (2013) A contribuição do uso de dispositivos móveis para um currículo voltado a uma educação transformadora na EJA. Revista Espaço do Currículo. 6:280-291.

Dutra, L. V. (2013) Insegurança alimentar e nutricional e produção para o autoconsumo na zona rural de São Miguel do Anta, Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. 118p.

Fernandes, R. S. (2012) Frutas, Sementes, e Amêndoas silvestres comestíveis na comunidade indígena Tunuí-Cachoeira-AM. Tese de Doutorado. Universidade de Lavras, Lavras. 203p.

Oliveira Júnior, C. J. F., Voigtel, S. D. S., Nicolau, A. S. & Aragaki, S. (2018) Sociobiodiversidade e agricultura familiar em Joanópolis, SP, Brasil: potencial econômico da flora local. Hoehnea. 45.

Justen, J. G. K. (2013) Uso de plantas nativas alimentícias de Santa Catarina. Revista Agropecuária Catarinense. 26:92-96.

Kinupp, V. F. (2007) Plantas Alimentícias Não Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre, RS. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 562p.

Kinupp, V. F. (2018) Como o conceito PANC nasceu: Autobiografia de Valdely Kinupp. Brasil. https://obha.fiocruz.br/index.php/2018/05/18/como-o-conceito-panc-nasceu-autobiografia-de-valdely-kinupp/.

Kinupp, V. F. & Barros, I. B. I. D. (2007) Riqueza de Plantas Alimentícias Não-Convencionais na Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Biociências. 5:63-65.

Kinupp, V. F. & Lorenzi, H. (2014) Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. Nova Odessa & Instituto Plantarum de Estudos da Flora, São Paulo. 768p.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2010). Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo. Manual de hortaliças não convencionais / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2010. Brasília, DF. http://www.abcsem.com.br/docs/manual_hortalicas_web.pdf.

MPAB - Movimento de Pequenos Agricultores do Brasil (2016). Soberania Alimentar deve ser debatida pelo conjunto da sociedade. https://mpabrasil.org.br/artigos/soberania-alimentar-deve-ser-debatida-pelo-conjunto-da-sociedade/.

Machado, C. & Kinupp, V. F. (2020). Plantas alimentícias na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, Amazônia Central. Rodriguésia. 71.

Pacheco, A. B. S., Souza, P. L., Ribeiro, W. F., Corcino, M. K. C. & Plácido, V. N. (2012) Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce. http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/viewFile/5216/3067.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. 119p.

PortalG1 - Portal de Noticias G1 (2019). Projeto usa folhas da moringa na alimentação de crianças em creche de Paripueira. http://g1.globo.com/al/alagoas/gazeta-rural/videos/t/edicoes/v/projeto-usa-folhas-da-moringa-na-alimentacao-de-criancas-em-creche-de-paripueira/7350054/.

Ranieri, G. R. (2017) Guia prático sobre PANCs: plantas alimentícias não convencionais. Instituto Kairós, São Paulo. 44p.

Rocha, Y. M., Farias, H. N. S., Barros, G. G. M., Lourenço, E. W. R., Pereira, C. P. & Bezerra, N. A. (2018) Plantas alimentícias não convencionais (PANCS) utilizadas por comunidades indígenas e tradicionais brasileiras. Conexão FANMETRO 2018: XIV Semana Acadêmica. https://www.doity.com.br/media/doity/submissoes/artigo-ced00a6a58cc4f82de71d6259678e759cf6a1dbc-arquivo.pdf.

Rufino, M. S. M. (2008) Propriedades funcionais de frutas tropicais brasileiras não tradicionais. Tese de Doutorado. Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró. 237p.

Silva, E. S. (2017). Plantas alimentícias em comunidades agrícolas no município de rio preto da EVA-AM. Dissertação de Mestrado. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Manaus. 67p.

Tuler, A., Peixoto, A. & Silva, N. (2019). Plantas alimentícias não convencionais (PANC) na comunidade rural de São José da Figueira, Durandé, Minas Gerais, Brasil. Rodriguesia. 70.

TVTECJ – Televisão Educativa de Jundiaí (2019) Jundiaí será primeira cidade no mundo a acrescentar plantas alimentícias à merenda escolar. TVTEC News Jundiaí, https://tvtecjundiai.com.br/news/2019/03/08/jundiai-sera-primeira-cidade-no-mundo-a-acrescentar-plantas-alimenticias-a-merenda-escolar/.

Wilson, E. O. (2012). Diversidade da Vida. Companhia de Bolso, São Paulo. 528p.

WWF - World Wide Found (2018). WWF Living Planet Report 2018. WWF International, https://www.worldwildlife.org/pages/living-planet-report-2018

Downloads

Published

02/05/2022

How to Cite

BARBOSA, T. P. .; LINS, J. A. S. .; VALENTE, E. C. N. .; LIMA, A. S. T. de . Rescuing popular knowledge and using unconventional food plants as a possibility of nutritional security . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e43111628325, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28325. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28325. Acesso em: 29 may. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences