Narratives of pleasure and suffering at work: impacts on worker health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28645

Keywords:

Burnout professional; Job satisfaction; Occupational health; Mental health; Work.

Abstract

Objective: This present aimed to discuss the impacts of suffering at work on workers' health. For this, the following specific objectives were established: a) to characterize the work context; b) identify the factors that, in the workers' perception, imply in the genesis of pleasure and suffering at work and c) describe the strategies for coping with suffering. Methodology: This is a qualitative, analytical research, carried out with fifteen workers from a beverage industry located in a capital in northeastern Brazil, using thematic analysis and relying on dialectical hermeneutics. Results: The results indicated that workers experience pleasure and suffering at work, with suffering being the most present experience. There is a conscious confrontation of suffering, explained through defensive strategies and subjective mobilization that mobilize and transform some aspects of work, but which have not yet managed to change the work context. Final Considerations: The narratives supported by vulnerable employees are that the company is good for family members, as it has benefits that guarantee social and family security, but it is not evaluated as good for the worker, due to the pressure and psychological strain suffered during a day of work. And, despite recognizing the physical and psychological impacts related to work, the fear of retaliation, insecurity about professional secrecy and the low credibility of the tele-psychological care provided by the company, are the main impasses in terms of psychological assistance.

References

Augusto, M. M., Freitas, L. G., & Mendes, A. M. (2014). Vivências de prazer e sofrimento no trabalho de profissionais de uma fundação pública de pesquisa. Psicologia em Saúde, 20(1), 34-55. https://doi.org/10.5752/P.1678-9523.2014v20n1p34

Baldanza, R. F., Souza, V. L., Amorim, T. J. C., Barbosa, M. A. C., & Abreu, N. R. (2016). Celulares e o trabalho: um estudo sobre os impactos no trabalho e pós-trabalho. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 13(2), 19-38. https://doi.org/10.21450/rahis.v13i2.2816

Cardoso, A. C. M. (2015). O trabalho como determinante do processo saúde-doença. Tempo Social, 27(1), 73-93. https://doi.org/10.1590/0103-207020150110

Cardoso, A. C. M., & Morgado, L. (2019). Trabalho e saúde do trabalhador no contexto atual: ensinamentos da Enquete Europeia sobre Condições de Trabalho. Saúde Soc., 28(1):169-181. https://doi.org/10.1590/S0104-12902019170507.

Coelho, E. F. (2014). “Uma farda sem um homem é só um pedaço de pano”: Estudo de Caso sobre Autoeficácia e Qualidade de Vida no Trabalho na Polícia Militar do Distrito Federal [Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília]. Repositório Institucional da UNB. https://repositorio.unb.br/handle/10482/17340

Costa, D. V. F., & Nascimento, R. P. (2019). Um olhar vívido para o sentido do trabalho. Revista Brasileira de Estudos Organizacionais, 6(1), 181-209. http://doi.org/10.21583/2447-4851.rbeo.2019.v6n1.225

Dario, V. C., & Lourenço, M. L. (2018). Cultura organizacional e vivências de prazer e sofrimento no trabalho: um estudo com professores de instituições federais de ensino superior. Revista Organizações em Contexto, 14(27), 345-395. https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v14n27p345-395

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho (5. ed.). Cortez.

Dejours, C., Abdoucheli, E., & Jayet, C. (1994). Psicodinâmica do trabalho: análise da relação prazer, sofrimento e trabalho: contribuições da Escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. Atlas.

Dejours, C. (2012). Psicodinâmica do trabalho e teoria da sedução (Gustavo A. Ramos Mello Neto, tradutor). Psicologia em Estudo, 17(3), 363-371. https://www.scielo.br/j/pe/a/ZCgmnvttLdFqdzFb3tdZ3zt

Dejours, C. (2017). Psicodinâmica do trabalho: casos clínicos. Dublinense

Dorneles, E. L. M., Salvagni, J., & Nodari, C. H. (2017). A liderança como diferencial nas organizações: um estudo sobre a percepção dos gestores. HOLOS, 8(33), 172-190. https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/4151

Duarte, M. L. C., Glanzner, C. H., & Pereira, L. P. (2018). O trabalho em emergência hospitalar: sofrimento e estratégias defensivas dos enfermeiros. Rev Gaúcha Enferm., 39, Artigo e2017-0255. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.2017-0255

Faria, R. M. O., Leite, I. C. G., & Silva, G. A. (2017). O sentido da relação trabalho e saúde para os assistentes em administração de uma universidade pública federal no Estado de Minas Gerais. Physis Revista de Saúde Coletiva, 27(3), 541-559. https://doi.org/10.1590/S0103-73312017000300009

Franco, T. (2011). Alienação do trabalho: despertencimento social e desrenraizamento em relação à natureza. Caderno CRH, 24(esp. 1), 171-191. https://doi.org/10.1590/S0103-49792011000400012

Fontenele, R. M., Leitão, H. L. S., Ramos, A. S. M. B., Galvão, A. P. F. C., & Almeida, H. F. R. (2019). Fatores de vulnerabilidade para o sofrimento psíquico relacionado ao trabalho de agentes administrativos. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 23(2), 115-122. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2019v23n2.41929

Fontenele, R. M., Rezende, C. M. S., Almeida, H. F. R., Galvão, A. P. F. C., Ramos, A. S. M. B., & Loyola, C. M. D. (2020). Vivência de prazer e sofrimento na equipe técnica em enfermagem do centro de terapia intensiva. Enferm. Foco, 11(1), 158-163. https://doi.org/10.21675/2357-707X.2020.v11.n1.2082

Griza, A., & Cavedon, N. R. (2016). Como se dá a segurança de quem trabalha com a segurança pública? O trabalho policial, medos e privações. Economia e Gestão, 16(43), 51-76. https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2016v16n43p51

Hoffmann, C., Zanini, R. R., Moura, G. L., & Machado, B. P. (2019). Prazer e sofrimento no trabalho docente: Brasil e Portugal. Educ. Pesqui., 45, Artigo e187263, 2019. https://doi.org/10.1590/S1678-4634201945187263

Humerez, D. C., Ohl, R. I. B., & Silva, M. C. N. (2020). Saúde mental dos profissionais de enfermagem do Brasil no contexto da pandemia COVID-19: ação do Conselho Federal de Enfermagem. Cogitare Enferm., 25, Artigo e74115. http://doi.org/10.5380/ce.v25i0.74115

Lima, N. A., & Scatolin, H. G. (2020). Os mecanismos de defesas do trabalhador na visão da psicodinâmica do trabalho. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 17(11), 153-173. http://doi.org/10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/psicologia/psicodinamica-do-trabalho

Maciel, R. H. M. O., Santos, J. B. F., & Rodrigues, R. L. (2015). Condições de trabalho dos trabalhadores da saúde: um enfoque sobre os técnicos e auxiliares de nível médio. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 40(131), 75-87. https://doi.org/10.1590/0303-7657000078613

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde (14. ed.). Hucitec

Ministério da Fazenda. (2017). Adoecimento mental e trabalho: a concessão de benefícios por incapacidade relacionados a transtornos mentais e comportamentais entre 2012 e 2016 (1º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade). http://sa.previdencia.gov.br/site/2017/04/1%C2%BA-boletim-quadrimestral.pdf

Nascimento, T. G., Torres, C. V., & Adaid-Castro, B. G. (2015). Escala de Identidade Profissional Policial Militar (EIPPM): evidências de validade fatorial e preditiva. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 9(2), 142-166. https://doi.org/10.12712/rpca.v9i2.462

Pena, F. G., Pereira, F. P. C. A., Oliveira, S. A., & Rocha, S. A. S. (2021). Vivências de prazer e sofrimento no trabalho: um estudo com bancários. Research, Society and Development, 10(2), Artigo e32110212668. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12668

Pena, L., & Remoaldo, P. (2019). Psicodinâmica do Trabalho: um estudo sobre o prazer e o sofrimento no trabalho docente na Universidade Óscar Ribas. Saúde Soc., 28(4), 147-159. https://doi.org/10.1590/S0104-12902019170487

Santos, K. O. B., Fernandes, R. C. P., Almeida, M. M. C., Miranda, S. S., Mise, Y. F., & Lima, M. A. G. (2020). Trabalho, saúde e vulnerabilidade na pandemia de COVID-19. Cad. Saúde Pública, 36(12), Artigo e00178320. https://doi.org/10.1590/0102-311X00178320

Sartori, S. D., & Souza, E. M. (2018). Entre sofrimento e prazer: vivências no trabalho de intervenção em crises suicidas. REAd, 24(2), 106-134. http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.203.78656

Seligmann-Silva, E., Bernardo, M. H., Maeno, M., & Kato, M. (2010). O mundo contemporâneo do trabalho e a saúde mental do trabalhador. Rev. bras. Saúde ocup., 35(122), 187-191. https://doi.org/10.1590/S0303-76572010000200002

Seligmann-Silva, E. (2011). Trabalho e desgaste mental: o direito de ser dono de si mesmo. Cortez

Sbissa, A. P., Ribeiro, N., & Sbissa, A. S. (2017). A relação entre a satisfação no trabalho com a saúde do trabalhador: um estudo em uma cooperativa de crédito. Arq. Catarin Med., 46(3), 147-159. http://www.acm.org.br/acm/seer/index.php/arquivos/article/view/315

Silva, M. R, G., Marcolan, J. F. (2020). Condições de trabalho e depressão em enfermeiros de serviço hospitalar de emergência. Rev Bras Enferm., 73 (Suppl. 1), Artigo e20180952. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0952

Vinuto, J. (2014). A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, 22(44), 203-220. https://doi.org/10.20396/tematicas.v22i44.10977

Vivian, C., Trindade, L. L., Rezer, R., Vendruscolo, C., Junior, S. A. R. (2019). Estratégias de defesa contra o sofrimento no trabalho de docentes da pós-graduação stricto sensu. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 22(2), 217-234. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v22i2p217-234

Published

21/04/2022

How to Cite

ALMEIDA, H. F. R.; PACHECO, M. A. B.; LEITE, L. M. C. .; SANTOS, R. D. C. dos .; LOYOLA, C. M. D. . Narratives of pleasure and suffering at work: impacts on worker health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e9811628645, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28645. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28645. Acesso em: 24 may. 2022.

Issue

Section

Health Sciences