The role of nursing in the management of urgent normal premature labor: experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.28659

Keywords:

Premature birth; Premature newborn; Nursing care; Health teaching.

Abstract

The pregnancy period is a process that impacts the affective, cognitive and behavioral domains of the pregnant woman and everyone involved in this period. During this process, expectations and idealizations of a birth at the physiologically expected time are created. However, gestational complications can be triggered by several variables, impacting the gestational course, and the pregnant woman may end up experiencing preterm labor or preterm labor (PTP), breaking her expectations, causing psychological impacts on her. and their families, where feelings such as frustration, guilt, discomfort, agitation, confusion, instability and fear are manifested by the possibility of negative outcomes for the fetus. This is a descriptive study of an experience report nature, carried out through the experiences of nursing students during a voluntary extracurricular internship in a public hospital located in the interior of Pará, in the municipality of Mocajuba, under the supervision of a professional nurse. Preterm labor occurs most often spontaneously and is associated with several pathologies. The nurse within this context needs to be on surveillance and maintain communication with other sectors, professionals and health units that have structural preparation for intercurrences, since in short, preterm labor progresses to a cessation due to fetal distress, and even when they occur. naturally the baby is born needing NICU. Therefore, a vigilant and qualified nursing is essential to save the life of the mother-baby binomial.

Author Biography

Kamille Giovanna Gomes Henriques, Universidade da Amazônia

Enfermeira, pela Universidade da Amazônia  

Pós graduanda em UTI Neonatal e pediatrica

Pós graduanda em Saúde da Mulher

References

Andrade, C. J; Baccelli, M. S & Benincasa, M. (2017). O vínculo mãe bebê no período de puerpério: uma análise winnicottiana. VINCULO – Revista do NESME, V. 14. N. 1.

Andrade, S. W. (2012). Intercorrências gestacionais: Trabalho de parto prematuro.

Bittar, R. E., Carvalho, M. H. B., & Zugaib, M. (2005). Condutas para o trabalho de parto prematuro. Rev Bras Ginecol Obstet. 27(9): 561-6

BRASIL. (2012). Ministério da Saúde. O Brasil está entre os dez países com o maior número de partos prematuros, aponta OMS.

BRASIL. (2017). Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Ministério da Saúde. 51 p.

Duarte, M. M. P., Freire, E. E. G., & Oliveira, J. F. B. D. (2015). Assistência de enfermagem à gestante em trabalho de parto prematuro. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, v. 2, n. 7.

Ferreira, F. S. (2014). O impacto psicológico nas pelo nascimento de uma criança com síndrome de Down.

Guimarães, E. A. A., Vieira, C. S., Nunes, F. D. D., Januário, G. C., Oliveira, V. C., & Tibúrcio, J. D. (2017). Prevalência e fatores associados à prematuridade em Divinópolis, Minas Gerais, 2008-2011: análise do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26(1), 91-98.

Lamônica, D. A. C., & Picolini, M. M. (2009). habilidades do desenvolvimento de prematuros. Rev CEFAC, v.11, Supl2, 145-153.

Lima, E. D. C., et al. (2019). Vivências de familiares durante o trabalho de parto pré-termo. Revista Cuidarte, v. 10, n. 1, p. 13.

Meneses, L. S. L et al. (2020). Vivência em estágio extracurricular voluntário em uma estratégia de saúde da família no município de Baião–PA: relato de experiência. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 4, p. 7676-7680.

Nascimento, J. S; Silva, A.V; Calles, A. C. N & Souza, C. T. S. (2017). Humanização na unidade de terapia intensiva neonatal: revisão de literatura. Ciências Biológicas e de Saúde Unit. Aracaju, v. 4, n. 1p, 23-30. Maio.

Piccinini, C. A., Gomes, A. G., De Nardi, T., & Lopes, R. S. (2008). Gestação e a constituição da maternidade. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 1, p. 63-72.

Pinto, I. D; Padovani, F. H. P; Linhares, M. B. M. (2009). Ansiedade e Depressão Materna e Relatos sobre o Bebê Prematuro. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, Jan-Mar, Vol. 25 n. 1, pp. 075-083.

Pohlmann, F. C., Kerber, N. P. C., Viana, J. S., Carvalho, V. F., Costa, C. C., Souza, C. S. (2016). Parto prematuro: abordagens presentes na produção científica nacional e internacional. Enfermería Global, Nº 42, Página 398.

Rubia, A. S. C & Torati, C. V. (2016). Humanização em unidade de terapia intensiva neonatal: Uma revisão. Salus J Health Sci; 2(1): 77-84.

Santos, L. P, S; Santos, C. C; Rosario, R. S. G; Parente, A. T. (2016). Perfil epidemiológico das internações em uma unidade de terapia neonatal de um hospital filantrópico no município de bragança – pará, 2015. Anais do V Congresso de Educação em Saúde da Amazônia (COESA), Universidade Federal do Pará – 8 a 11 de novembro.

Silva, G. B., & Mendonça, T. (2021). O papel do enfermeiro obstetra no parto normal humanizado. Revista científica multidisciplinar núcleo do conhecimento. Ano. 06, ed. 09, vol. 01, pp. 05-25.

Silva, M. A.B., Evangelista, B. P., Feitosa, J.P., Evangelista, B. P., & Nóbrega, R. J.N. (2021). Condutas do Enfermeiro em Situações de Urgências e Emergências Obstétricas. Id on Line Rev. Mult. Psic. V.15, N.56, p. 137-152.

World Health Organization. (1980). International classification of impairments, disabilities and handicaps. Geneva: World Health Organization.

Published

21/05/2022

How to Cite

MENESES, L. S. L. .; HENRIQUES, K. G. G.; MELO , I. R. de .; RIBEIRO , G. M. .; POMPEU, A. da C. .; PINTO, L. M. .; SILVA , S. M. .; GONÇALVES, I. L. .; RAMOS, J. B. .; GOMES , L. D. S. .; COSTA , K. F. da .; NASCIMENTO, E. M. M. do .; PAMPOLHA, S. dos S. A. .; NOGUEIRA, S. R. .; PONTE , L. do S. da S. .; SILVA , E. de S. da . The role of nursing in the management of urgent normal premature labor: experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e21611728659, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.28659. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28659. Acesso em: 6 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences