Digital technologies in the context of continuing education for university professors

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28714

Keywords:

Distance education; Teaching; Digital technology; Statement; Bakhtin.

Abstract

This essay articulates contemporary issues about the continued formation of university professors using digital technologies. According to the literature, it's essential that reflections conjecture the complex context of diversity and unpredictability, which causes challenges that are sometimes insurmountable both to training and to pedagogical practice. In this scenario, we question the meanings of digital technologies in teacher education. The objective is to analyze, using Bakntin lens, the narratives produced in recent years about digital technologies in the context of the continuing education of university professors. It is a theoretical discussion that seeks to answer the proposed question using the bibliographic research method. The results indicate that both teacher education and digital technologies are built through hybrid statements, whose constructions are composed by fusion of different ideas, perceptions and categorizations, always susceptible to new narratives.

References

Alarcão, I. (2010). Professores reflexivos em uma escola reflexiva. (7a ed.), Cortez.

Bakhtin, M. (2000). Estética da criação verbal. (3a ed.), Martins Fonseca.

Bakhtin, M. (1992). Marxismo e filosofia da linguagem. (7a ed.), HUCITEC.

Bakhtin, M. (1997). Problemas da poética de Dostoiévski (1926). (2a ed.), Forense Universitária.

Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Jorge Zahar Editora.

Ben, V., & Galimi, G. (2011). La multiculturalidady su expresión en la educación a distancia. Revista Educação Em Questão, 41(27). Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4001.

Beraldo, T. M. L. (2009). Formação de docentes que atuam na educação superior. Revista de Educação Pública. 18(36), EdUFMT.

Boll, C. I., Muller, D. N., Rossato, M., Axt, M. & Ramos, W. M. Enunciações estéticas em vídeos escolares na cultura digital: por uma outra forma de olhar os estudos midiáticos na escola. Educação e Cultura Digital. 4(2), 132-144, 2019.

Boll, C. I. Os dispositivos midiáticos na cultura digital: a ousadia enunciada em uma estética que potencializa eu, você e todos os outros que quiserem participar. In. Corá, E. J. (Org.). Reflexões acerca da Educação em Tempo Integral. Porto Alegre: Evangraf, 2014.

Bortolazzo, S. F. (2016). O imperativo da cultura digital: entre novas tecnologias e estudos culturais. Revista Caderno Comunicação, 20(1), 1-24.

Boveto, L., & Oliveira, T. (2017). Reflexões sobre a função social do professor na universidade. Revista Educação Em Questão, 55(43), 211-239. https://doi.org/10.21680/1981-1802.2017v55n43ID11813.

Brasil. (1996). Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) 9.394.

Canevacci, M. (2008). Fetichismos Visuais: corpos eróticos e metrópole comunicacional. Ateliê Editorial.

Carmo, J. R., Paciulli, S. O. D. & Nascimento, D. L. (2020). O impacto do uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) por docentes dos Institutos Federais localizados em Minas Gerais em um contexto de pandemia. Research, Society and Development, 9(10), e 5199108940.

Castells, M. (1999). A Sociedade em Rede. Paz e Terra.

Correia-Neto, J. S. & Valadão, J. A. D. (2017). Evolução da Educação Superior a Distância no Brasil: uma análise a partir de processos de institucionalização. Revista Gestão Universitária na América Latina – GUAL.10(3), 98-120. http://dx.doi.org/10.5007/1983-4535.2017v10n3p97.

Fraga, D. & Axt, M. (2012). Políticas do Virtual: inscrição em linguagem, cognição e educação. Unisinos, 2012.

Freire, P. (2007). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e Terra.

Gatti, B. A. (1993). Os agentes escolares e o computador no ensino. Acesso. 22-27.

Gatti, B. A., Barreto, E. S. S. & André, M. E. D. A. (2011). Políticas Docentes no Brasil. Um estado da arte. UNESCO.

Ghedin, E. (2005). Professor reflexivo: da alienação da técnica à autonomia da crítica. In: Pimenta, S. G. & Ghedin, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. (3a ed.), Cortez.

Imbernón, F. (2000). Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Cortez.

Lemos, A. & Lévy, P. (2010). O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia. Paulus, 2010.

Lüdke, M. & André, M. E. D. A. (2013). Pesquisa em Educação. Abordagens Qualitativas. (2a ed.), EPU

Lüdke, M. & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. EPU.

Kenski, V. M. (2013). Tecnologias e tempo docente. Papirus.

Masetto, M. T. (2003). Competência pedagógica do professor universitário. Summus.

Moran, J. M., Masetto, M. T. & Behrens, M. A. (2012). Novas Tecnologias e Mediações Pedagógicas. Papirus.

Melo, R. S. & Boll, C. I. (2015). Cultura Digital e Recursos Educacionais Abertos (REA): mídias móveis e desafios contemporâneos. In: Vicente, D. E. V. G. & Eidelwein, M. P. Educação com Tecnologias. Cidadela.

Mill, D. R. S., Camargo, L. R. & Oliveira, M. R. G. (2010). Múltiplos enfoques sobre a polidocência na Educação a Distância virtual. In: Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. EdUFSCar. 13-22.

Morosini, M. C. Docência universitária e os desafios da realidade nacional. In: Professor do Ensino Superior: identidade, docência e formação. (2a ed.), Editora do Inep, 2000.

Nóvoa, A. (1991). A formação contínua de professores: realidades e perspectivas. Universidade de Aveiro.

Nóvoa, A. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, 47(166), 1106-1133.

Ramos, W. M. & Boll, C. I. (2019). A cultura digital e os novos contextos de aprendizagem: quem sabe como e onde eu aprendo sou eu. In: Dias-Trindade, Sara. & Mill, Daniel. (Orgs.).Educação e humanidades digitais: aprendizagens, tecnologias e cibercultura. Imprensa da Universidade de Coimbra. https://doi.org/10.14195/978-989-26-1772-5_2.

Pachane, G. G. & Pereira, E. M. A. (2003). A importância da formação didático-pedagógica e a construção de um novo perfil para professores universitários. Revista Iberoamericana de Educación. Septiembre-diciembre.

Pimenta, S. G., Anastasiou, L. G. C. & Cavallet, V. J. (2003). Docência no ensino superior: construindo caminhos. In: Barbosa, R. L. L. (org.). Formação de educadores: desafios e perspectivas. Ed. UNESP.

Pimenta, S. G. & Ghedin, E. (2005). (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. (3a ed.), Cortez.

Pimenta, S. G. (2005). O estágio na formação de professores: unidade teórica e prática. (3a ed.), Cortez.

Pimenta, S. G. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Tema em destaque - Didática e formação de professores. Cadernos de Pesquisa. v. 47, n. 166. Oct-Dec. https://www.scielo.br/j/cp/a/WYkPDBFzMzrvnbsbYjmvCbd/abstract/?lang=pt>

Pimenta, S. G. (2021). O professor pesquisador e reflexivo. Entrevista concedida em 13 de setembro de 2001. http://www.tvebrasil.com.br/salto/entrevistas/antoni o_novoa.htm. Acesso em: 22 set. 2021.

Prodanov, C. C. & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo, RS: Feevale.

Quadros, S. C. O., Conti, M. S. B. & Conti Júnior, R. (2022). Gestão do conhecimento didático-pedagógico: ensaio para uma educação superior. Research, Society and Development, 11(2), e55511225977.

Roman, A. R. (1992/93). O conceito de polifonia em Bakhtin: o trajeto polifônico de uma metáfora. Letras, 41/42, p. 195/205. Editora da UFPR.

Rüdiger, F. (2013). As teorias da cibercultura: perspectivas, questões e autores. (2a ed.), Sulina.

Sacristán, G. (2000). Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional de professores. In: Nóvoa, A. (Org.). Profissão professor. Porto Editora.

Santos Neto, V. B. (2021). Políticas de formação de professores a distância no Brasil: Os fatores estruturantes da Educação a Distância e Universidade Aberta do Brasil. Research, Society and Development, 10(6), e43010615870.

Schön, D. A. (1992). Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formaçãoDom Quixote.

Schön, D. A. (2000). Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Artmed, 2000.

Segenreich, S. C. D., & Araújo Castro, A. M. D. (2012). A inserção da educação a distância no ensino superior do Brasil: diretrizes e marcos regulatórios. Revista Educação Em Questão, 42(28). Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4054.

Silva Júnior, J. R. & Martins, T. B. (2013). Formação e certificação em massa e abordagens do multiculturalismo e das competências na educação a distância: implicações ao trabalho docente. Revista HISTEDBR Online, 13, 238-251.

Silva, W. S. (2014). A pesquisa qualitativa em educação. Horizontes Revista de Educação. Dourados, MS, 3(2).

Sousa Santos, B. (2018). Construindo as Epistemologias do Sul: Antologia Essencial. Volume I: Para um pensamento alternativo de alternativas. Compilado por Maria Paula Meneses [et al.]. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Clacso.

Tardif, M. (2006). Saberes docentes e formação profissional. (7a ed.), Vozes.

Triviños, A. N. S. (1994). Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais. Atlas.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. Atlas.

Vale, A. M., Paiva, M. M. & Cruz, V. V. (2003). Políticas públicas da educação no Brasil. Revista Educação Em Questão, 14(4), 88-96. https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/8680.

Veiga, I. P. A. (2006). Docência universitária na educação superior. In: Ristoff, D. & Sevegnani, P. (orgs.). Docência na Educação Superior. Brasília: Instituto

Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. (Coleção Educação Superior em Debate; v. 5).

Veiga, I. P. A. (2006). (org). Técnicas de ensino: novos tempos, novas configurações. Campinas: Papirus.

Volochinov, V. N. A Construção da Enunciação e Outros Ensaios. Pedro & João Editores, 2013.

Zanchetta Junior, J. (2009). Educação para a mídia: propostas europeias e realidade brasileira. Educação & Sociedade. Centro de Estudos de Educação e Sociedade - Cedes, 30(109), 1103-1122. <http://hdl.handle.net/11449/28288>

Zanette, M. S. (2017). Pesquisa qualitativa no contexto da Educação no Brasil. DOI: 10.1590/0104-4060.47454. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, (65), 149-166.

Published

21/04/2022

How to Cite

AZEVEDO, D. S. da S. .; CORREIA-NETO, J. da S.; BOLL, C. I. . Digital technologies in the context of continuing education for university professors. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e10011628714, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28714. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28714. Acesso em: 3 jul. 2022.

Issue

Section

Education Sciences