Assessment of termal performance in metallic container kiosks in Brasília

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28846

Keywords:

Metallic container; Termal performance; Computer simulacion.

Abstract

The architecture design must meet both energy efficiency and user comfort conditions. NBR 15575-1 (ABNT, 2013) states that the thermal performance of the building must be assessed under two conditions: summer performance and winter performance. The analysis criteria is based on maximum and minimum temperature values of the extended-stay environments. In order to attempt the criteria proposed by the regulation, computer simulations were used to create different construction scenarios, including container steel sheets for supposed kiosks in Brasília city. It was observed in the computational simulations that the kiosks, because they are made of steel, suffer big influence of the external temperatures and of the insolation, being necessary the use of other strategies to improve the thermal performance. Knowing that, it is noticed that the use of thermal insulation is indispensable in Brasília bioclimatic zone, where, according to normative recommendations, temperature and relative humidity are not ideal. Among the scenarios proposed in the simulation, the containers that showed better performance were the ones that used an additional coverage and the ones that used drywall plasterboard with a rock wool insulation to obtain cooler temperatures in summer and more pleasant internal temperatures to the occupants in winter.

References

ANSI/ASHRAE. (2004). Standard 55R. Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers. Inc.: Atlanta.

ANSI/ASHRAE. (2010). Standard 55R. Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers. Inc.: Atlanta.

Akutsu, M. (1998). Método para avaliação do desempenho térmico de edificações no Brasil. Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. (Tese de Doutorado).

ASHRAE. (2009). American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers. Handbook Fundamentals. Inc.: Atlanta.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (1984). NBR 5943: container: tipos.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2002). NBR ISO 6346: container de carga: códigos, identificação e marcação.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2010). NBR 15873: coordenação modular para edificações.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2005a.). NBR 15220-2: desempenho térmico das edificações – parte 2: métodos de cálculo da transmitância térmica, da capacidade térmica, do atraso térmico e do fator solar de elementos componentes de edificações. Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2005b). NBR 15220-3: desempenho térmico das edificações – parte 3: zoneamento bioclimático brasileiro e estratégias de condicionamento térmico passivo para habitações de interesse social. Rio de Janeiro.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2013). NBR 15575: edifícios habitacionais: desempenho.

Ataide, É. S. & Souza, H. A. (2009). Avaliação de Desempenho Térmico utilizando o Programa Energyplus: Estudo de caso do Prédio da Prefeitura Municipal de Mariana – MG. Simpósio Brasileiro de Qualidade do Projeto no Ambiente Construído, USP, São Paulo.

Baltar, M. G. (2006). Redução da demanda de energia elétrica utilizando parâmetros construtivos visando o conforto térmico. Curso de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. (Dissertação de Mestrado).

Braga, D. K. & Amorim, C. N. D. (2004). Conforto térmico em edifícios residenciais do plano piloto de Brasília. In: I Conferência latino-americana de construção sustentável e X encontro nacional de tecnologia do ambiente construído.

Buges, N. L., Stumpo, L. F. A., Porto, F. H. F. S., López, V. & Andreasi, W. A. (2014). A eficiência energética de contêiner adaptado como residência nos diversos climas do Brasil. In: Encontro nacional de tecnologia do ambiente construído.

Borges, C. A. M. (2008). O conceito de desempenho de edificações e a sua importância para o setor da construção civil no Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo. (Tese de Doutorado).

Braga, D. K. (2005). Arquitetura residencial das superquadras do Plano Piloto de Brasília: aspectos de conforto térmico. Universidade de Brasília, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo. (Dissertação de Mestrado).

Caia, G., Ventimiglia, F. & Mass, A. (2010). Container vs dacha: The psychological effects of temporary housing characteristics on earthquake survivors. Journal of Environmental Psychology.

Costa, D. C. R. F. (2015). Contêineres metálicos para canteiros de obras: um estudo de caso. Universidade de São Paulo, Escola Politécnica. (Dissertação de Mestrado).

De Souza, P. C., Halmeman, M. C. R., Zavatin, D. C. P. & Do Nascimento, G. A. P. (2019). Análise do desempenho térmico de containers com e sem tratamento. Editora científica. DOI: 1037885/210203147.

Dornelles, K. A. (2008). Absortância solar de superfícies opacas: métodos de determinação e base de dados para tintas látex acrílica e PVA. Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, São Paulo. (Tese de Doutorado).

Félix, D., Branco, J. M. & Feio, A. (2013). Temporary housing after disasters: A state of the art survey. Habitat International.

Gabriel, S. V. (2021). Container building detailing, construction and thermal analysis. Technische Universität Wien, Vienna, Austria. (Tese).

Hong, Y. (2017). A study on the condition of temporary housing following disasters: Focus on container housing. Frontiers of Architectural Research.

Krebs, L. F., Moura, P. W. & Cunha, E. G. (2015). Habitação em container: um estudo paramétrico para a zona bioclimática 3. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis. DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v4e0201590-101.

Lamberts, R., Ghisi, E., Pereira, C. & Batista, J. (2010). Casa Eficiente: Bioclimatologia e Desempenho Térmico. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Lamberts, R., Xavier, A. A., Goulart, S. & De Vecchi, R. (2016). Conforto e stress térmico. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Maciel, A. A. (2002). Projeto bioclimático em Brasília: estudo de caso em edifício de escritórios. Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. (Dissertação de Mestrado).

Moura, C. A. (2019). Análise térmica de coberturas verdes aplicadas em contêineres. Centro Universitário FEI, São Bernardo do Campo. (Dissertação de Mestrado).

Pereira, A. C. (2004). Simulação dinâmica do comportamento termohigrométrico de superfícies radiantes hidráulicas para aquecimento e arrefecimento ambiental. Porto, Portugal.

Rancura, R. L. & Alves, V. M. (2016). Avaliação de desempenho térmico de edificações em contêiner. In: Encontro nacional de tecnologia do ambiente construído, ANTAC. Anais.

Rocha, M. V. M. (2007). Avaliação pós-ocupação de edifício institucional estruturado em aço. O caso da sede da prefeitura municipal de Mariana, MG. Universidade Federal de Minas Gerais. (Dissertação de Mestrado).

Sousa, M. C. B. (2018). Desejo por conforto térmico: estratégias adaptativas e modelos de conforto térmico no semiárido paraibano. Universidade Federal da Paraíba. (Dissertação de Mestrado).

Viana, F. S. (2018). Análise de desempenho térmico em módulo de contêiner marítimo. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. (Dissertação de Mestrado).

Viana, F. S., Souza, H. A. & Gomes, A. P. (2019). Residência em contêiner: comparativo de estratégias para a melhoria do desempenho térmico. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, São Paulo.

Yin, R. K. (2015). O estudo de caso. Bookman.

Published

23/04/2022

How to Cite

FIGUEIREDO, C. R. .; BORGES, G. F. X. . Assessment of termal performance in metallic container kiosks in Brasília. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e14211628846, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28846. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28846. Acesso em: 25 may. 2022.

Issue

Section

Engineerings