Resilience in tertiary health care nurses in the context of the Covid-19 pandemic

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29089

Keywords:

Nursing; Resilience; Mental disorder; Covid-19 Pandemic.

Abstract

Introduction: Nurses are considered protagonists in facing the Covid-19 pandemic. The development of measures that promote resilience in the work environment is essential. Objective: To analyze the association between resilience and socioeconomic, work and health characteristics of nurses in tertiary care in a municipality in the interior of Mato Grosso in the context of the Covid-19 pandemic. Method: A cross-sectional study carried out with nurses in tertiary health care. Data were collected through a socioeconomic, work and health questionnaire, resilience school and the Self Report Questionare-20. Results: Of the 101 nurses, 49.5% had a low/medium level of resilience. An indication of psychological morbidity was found in 51.5% of the sample. Female sex (p<0.001), being the head of the family (p=0.003), CLT employment relationship (p=0.031) and single shift work (p=0.034) were protective factors for low/medium resilience. On the other hand, there were risk factors, contract employment (p=0.004), nurses who did not feel protected in the performance of professional activities (p=0.001) and those who did not follow up with a psychologist/psychiatrist before the pandemic (p= 0.014). Conclusion: The nurses' level of resilience is low/medium and most showed an indication of psychological morbidity. Actions that promote a higher level of resilience in the work context of these professionals are fundamental, and that consider the associated factors pointed out in the literature.

Author Biographies

Cássia de Jesus Teodoro, Universidade Federal de Rondonópolis

Eu Cássia de Jesus Teodoro, autora responsável pela submissão do artigo. Bacharela em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Rondonópolis, Especialista em Saúde do Adulto e Idoso pela Universidade Federal de Rondonópolis. 

Patrícia de Lima Lemos, Universidade Federal de Rondonópolis

Possui Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012), Mestre e Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Mato Grosso de Cuiabá, nas áreas de Epidemiologia e Diversidade Sociocultural, Ambiente e Trabalho. Atualmente é docente Adjunto I do Curso de Medicina da Universidade Federal de Rondonópolis, Mato Grosso, com atuação no eixo de Interação Comunitária. Membro do Grupo de Pesquisa de Saúde da Criança. Possui experiência em pesquisa e extensão, nas áreas de saúde da criança, idoso, puérperas e adoecimento renal crônico.

Tiago Silva Peixoto, Universidade Federal de Rondonópolis

Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Sinop (2018). Especialista em Saúde do Adulto e Idoso pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e Idoso da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) (2019/2021).

Jackson Souza Bender, Universidade Federal de Rondonópolis

Enfermeiro pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Membro do grupo de pesquisa: Gestão, Educação e Formação em Saúde e Enfermagem (GEFOR/FAEN/UFMT). Pesquisador no ramo das ciências educacionais, gerenciais e empresarias com foco em saúde e enfermagem. Mestrando em Enfermagem pela UFMT - Campus Cuiabá.

Stephanie Toledo Vieira, Universidade Federal de Rondonópolis

Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Rondonópolis. Inserida em projetos de pesquisa e extensão que abrangem a gestão do cuidado, gestão da clínica ampliada e fitoterapia/plantas medicinais. Atualmente é mestranda do Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UFMT. Pesquisadora na área de Enfermagem Obstétrica, autonomia feminina e bem estar materno.

Gilmar Jorge de Oliveira Júnior, Universidade Federal de Mato Grosso

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso (2002), graduação em Ciências Atuariais pela Universidade Estácio de Sá (2007), mestrado em Estatística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007) e doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Mato Groso (2020). Atualmente é professor da Universidade Federal de Mato Grosso, com experiência na área de Probabilidade e Estatística, Ciências Atuariais, Bioestatística e Epidemiologia.

Ana Paula Biazi Marras, Universidade Federal de Rondonópolis

Graduada em Enfermagem pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (2000) possui títulos de especialista em Enfermagem Pediátrica (2005) e Enfermagem em Unidades Cardiológicas e Hemodinâmica (2007). Possui titulação de Mestre (2009) e Doutora (2016) em Ciências da Saúde. Docente assistente A nível I do Curso de Medicina da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

Lorena Araújo Ribeiro, Universidade Federal de Rondonópolis

Professora Adjunta do Curso de Graduação em Enfermagem da recém emancipada Universidade Federal de Rondonópolis. Graduada (2007) e mestre em Enfermagem (2010) pela Faculdade de Enfermagem da UFMT (FAEN/UFMT). Doutora em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Saúde Coletiva da UFMT (2019). 

Ana Paula Grapiglia, Universidade Federal de Rondonópolis

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012); pós graduação lato sensus em Saúde do Adulto e Idoso pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e Idoso - PREMSAI, da Universidade Federal de Mato Grosso (2018) com atuação em clinica médico/cirúrgica e serviços de atendimentos especializados; é mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis (2021). 

References

Ge, H., Wang, X., Yuan, X, Gong, X., Chengzhi, W., Tianci, D., et al. (2020). The epidemiology and clinical information about COVID-19. Eur J Clin Microbiol Infect Dis. 39:1011–1019. https://doi.org/10.1007/s10096-020-03874-z

Brasil (2020). Nota técnica nº 04/2020 - Orientações para serviços de saúde: medidas de prevenção e controle que devem ser adotadas durante a assistência aos casos suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus (SARS-Cov-2). Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-recem-nascido/Covid-19-orientacoes-da-anvisa-para-servicos-de-saude/

Thomas, L. S., Pietrowski, K., Kinalski, S.S., Bittencourt, V. L. L. & Sangoi, K. C. M. (2020). Atuação do enfermeiro emergencista na pandemia de covid-19: Revisão narrativa da literatura. Braz J Hea Rev. 3(6):15959-15977. https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-027

Lai, J., Ma, S., Wang, Y., Cai, Z., Hu, J., Wei, N., et. al. (2020). Factors Associated With Mental Health Outcomes Among Health Care Workers Exposed to Coronavirus Disease 2019. JAMA. 3(3):777-780. doi:10.1001/jamannetworkopen.2020.3976

Macedo, A. B. T., Antoniolli, L., Dornelles, T. M., Hansel, L. A., Tavares, J. P. et al. (2020). Estresse psicossocial e resiliência: um estudo em profissionais da enfermagem. Rev. Enferm. UFSM – REUFSM. 10(e25):1-17. https://doi.org/10.5902/2179769235174

Anido, I. G., Batista, K. B. C. & Vieira, J. E. G. (2021). Relatos da linha de frente: os impactos da pandemia da Covid-19 sobre profissionais e estudantes da Saúde em São Paulo. Interface. 25(Supl. 1):e210007. https://doi.org/10.1590/interface.210007

Schultz, C. C., Corrêa, K. I. D., Vaz, S. M. C., Colet, C. F. & Stumm, E. M. F. (2020). Resiliência da equipe de enfermagem no âmbito hospitalar com ênfase na pandemia COVID-19. Research, Society and Development. 9(11):1-25. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9466

Severino, A. J. (2018). Metodologia do trabalho científico. Ed. Cortez

Wagnild, G. M. & Young, H. M. (1993). Development and psychometric evaluation of resilience scale. J Nurs Meas. 1:165-78. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7850498/

Pesce, R. P., Assis, S. G., Avanci, J. Q., Santos, N. C., Malaquias, J. V. & Carvalhaes, R. (2005). Adaptação transcultural, confiabilidade e validade da escala de resiliência. Cadernos de Saúde Pública. 21(2):436-448. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000200010

Mari, J. J. & Williams, P. A. (1986). A validity study of a Psychiatric Screening Questionnaire (SRQ 20) in primary care in city of Sao Paulo. J Bras Psiquiatr. 148:23-6. DOI: 10.1192/bjp.148.1.23

Oliveira, W. S., Migueis, G. S., Silva, M. S. & Oliveira, W. J. (2021). Conhecimento sobre Covid-19 dos profissionais de enfermagem atuantes no enfrentamento da doença. Res, Soc. Dev. 2021. 10(11):e244101119676. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i11.19676).

Santos, K. M. R., Galvão, M. H. R., Gomes, S. M., Souza, T. A., Medeiros, A. A. & Barbosa, I. R. (2021). Depressão e ansiedade em profissionais de enfermagem durante a pandemia da covid-19. Escola Anna Nery. 25(n. spe);e20200370. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2020-0370

Silva, S. M., Baptista, P. C. P., Silva, F. J., Almeidas, M. C. S. & Soares, R. A. Q. (2020). Resilience factors in nursing workers in the hospital context. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 54:e03550. https://doi.org/10.1590/S1980-220X2018041003550

Silva, S. M., Silva, F. J., Baptista, P. C. P., Martinez, M. C. & Soares, R. A. Q. (2019). Resiliência e capacidade para o trabalho em trabalhadores de enfermagem. Revista de Enfermagem da UERJ. 27:e45731. DOI: 10.12957/reuerj.2019.45731

Gandra, E. C., Silva, K. L., PASSOS, H. R. & Schreck, R. S. C. (2021). Enfermagem brasileira e a pandemia de COVID-19: desigualdades em evidência. Escola Anna Nery. 22(spe):e20210058. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2021-0058

Bardaquim, V. A., Dias, E. G., Dalri, R. M. B. & Robazzi, M. C. C., (2019). Reflexão sobre as condições de trabalho da enfermagem: subsídio às 30 horas de trabalho. Rev Enferm Contemp. 8(2):171-181. Doi:10.17267/2317-3378rec.v8i2.2466

Sousa, K. H. J. F., Lopes, D. P., Tracera, G. M. P., Abreu, A. M. M., Portela, L. F. & Zeitoune, R. C. G., (2019). Transtornos mentais comuns entre trabalhadores de enfermagem de um hospital psiquiátrico. Acta Paulista de Enfermagem. 32(1):1-10. https://doi.org/10.1590/1982-0194201900002

Conz CA, Braga VAS, Vasconcelos R. Machado, F. H. R. S., Jesus, M. C. P. & Merighi, M. A. B. (2021). Experiences of intensive care unit nurses with COVID-19 patients. Revista da Escola de Enfermagem da USP. (55):e20210194. https://doi.org/10.1590/1980-220X-REEUSP-2021-0194

Ou, X., Chen, Y., Liang, Z., Wen, S., Li, S. & Chen, Y. (2020). Resiliência de enfermeiros em enfermarias de isolamento durante a pandemia de COVID-19: um estudo transversal. Psicologia, Saúde e Medicina, 26;(1):98 – 106. https://doi.org/10.1080/13548506.2020.1861312

Annelli, A. L., Pereira, B. A., Akiyama, G. M. A., Fernandes, J. M. & Sailer, G. C. (2021). Resiliência relacionada à profissão de enfermagem. Revista Saúde. 47(1). https://doi.org/10.5902/2236583463687

Que, J., Shi, L., Deng, J., Liu, J., Zhang, L., Wu, Suying., et al. (2020). Psychological impact of the COVID-19 pandemic on healthcare workers: a cross-sectional study in China. General Psychiatry. 33:e100259. doi:10.1136/gpsych-2020-100259

Galvão, A. P. F. C. & Pinto, J. R. (2017). Resiliência em profissionais de enfermagem que atuam no setor de urgência e emergência psiquiátrica. J Manag Prim Heal Care. 8(1):39-48. https://www.jmphc.com.br/jmphc/article/view/297/426

Grabbe, L., Higgins, M. K., Baird, M., Craven, P. A. & Frantello, S. S. (2020). O Community Resiliency Model® para promover o bem-estar dos enfermeiros. Nursng Outlook. 68(3):324-336. https://doi.org/10.1016/j.outlook.2019.11.002

Deldar, K., Froutan, R., Dalvand, S., Gheshlagh, R. G. & Mazloum, S. R. (2018). The Relationship between Resiliency and Burnout in Iranian Nurses: A Systematic Review and Meta-Analysis. Open Access Maced. J. Med. Sci. 6:2250–2256. DOI: 10.3889/oamjms.2018.428

El-Hage, W., Hingray, C., Lemogne, C., Yrondi, A., Brunault, P., Bienvenu, T., et al. (2020). Health professionals facing the coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic: What are the mental health risks?. Encephale. 46(3S):S73-S80. 10.1016/j.encep.2020.04.008

Rocha, F. L. R., Gaioli, C. C. L. O., Camelo, S. H. H., Mininel, V. A. & Vegro, T. C. (2016). Cultura organizacional de um hospital psiquiátrico e resiliência dos trabalhadores de enfermagem. Rev. Bras. de Enferm. 69(5): 817-824. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690501

Guo, Y. F., Plummer, V., Lam, L., Wang, Y., Cross, W. & Zhang, J. P. (2019). The effects of resilience and turnover intention on nurses' burnout: Findings from a comparative cross-sectional study. J Clin Nurs. 28(3-4):499-508. doi: 10.1111/jocn.14637

Badu, E., O'Brien, A. P., Mitchell, R., Rubin, M., James, C., McNeil, K., et al. (2020). Workplace stress and resilience in the Australian nursing workforce: A comprehensive integrative review. International Journal of Mental Health Nursing. 29:(1)5-34. https://doi.org/10.1111/inm.12662

Cruz, E., Souza, N., Amorim, L., Pires, A., Gonçalves, F. & Cunha, L. (2018). Resilience as na object of study of occupational health: narrative review. Rev de Pesquisa Cuidado é Fundamental. 10(1):283-288. https://doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i1.283-288

Published

02/05/2022

How to Cite

TEODORO, C. de J.; LEMOS, P. de L. .; PEIXOTO, T. S.; BENDER, J. S.; VIEIRA, S. T.; OLIVEIRA JÚNIOR, G. J. de; MARRAS, A. P. B.; RIBEIRO, L. A.; GRAPIGLIA, A. P. Resilience in tertiary health care nurses in the context of the Covid-19 pandemic. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e43311629089, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29089. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29089. Acesso em: 29 may. 2022.

Issue

Section

Health Sciences