Work songs: music, art and culture, aligned in a tradition that resists the times

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29195

Keywords:

Workers; Music; Work; Culture; Teaching.

Abstract

This article aimed to develop a qualitative analytical study on three work singing groups, focusing on their singing, their stories and the environment where these workers sing. In this direction, the following movements were carried out: to discuss the representation of these songs taking as a guide the life and art of the Destaladeiras de Fumo de Arapiraca, Catadoras do coco babaçu and groups of Baita do Feijo. The research was designed from a qualitative perspective, in line with cultural studies, having as main methodological resources, interviews and document analysis. As main theoretical references, authors who help the understanding of concepts such as Fonseca, Mattar, Hanburger, among others mentioned later, were taken as the main theoretical references. From this research, it is understood that the relationship between the work singing groups represents an inseparable link between popular culture and communities, creating a bridge in which the transit of different knowledge is possible, bringing connected experiences between art, music and culture.

References

Assis, Y. S. O. A. (2009). Canto popular: a criação musical, para além dos muros da escola. Dissertação. (Mestrado em Educação). Universidade de Brasília. Faculdade de Educação

Bosi, A. (2005). Cultura com tradição. In Bornheim, Gerd et alii. Cultura brasileira: tradição e contradição. Jorge Zahar Editor/Funarte, pp.31

Brandão, C. R. (2021) O canto das fiandeiras. Escritos sobre o trabalho solidário. https://apartilhadavida.com.br/wp content/uploads/2019/02/O-CANTO-DAS-FIANDEIRAS-rosa-dos-ventos.pdf.

Castro, S. O. (2012). Memórias da cantoria: palavra, performance e público. Tese (Doutorado em Sociologia) – Departamento de Ciências Sociais, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

Colares, G. S. et. al, (2022). Entre arte e saberes: sinos que encantam a cidade da fé. 11(1). OI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i1.25312

Fonseca, E. J. de Macedo. (2016). Cantos de Trabalho: modos e modas na atualidade. In: Sonoros ofícios - cantos de trabalho: circuito 2015/2016. Rio de Janeiro: Sesc Departamento Nacional.

Hanburg, E., & Gomes, T. (2017) Leon Hirszman e a trilogia dos Cantos de trabalho. Rumores. 21(11)

Kripka, R. M. L. Scheller M. & Bonotto, D. L. (2015). Pesquisa qualitativa: considerações sobre conceitos e características na pesquisa qualitativa. Atas – Investigação qualitativa em educação. Vol. 2

Lindoso, D. (2015). Interpretação da província: estudo da cultura alagoana. (3a ed.), Ed. Edufal. Mattar, R. (2018) SESC. Sonora Brasil: Circuito 2015 - 2016. Sonoros ofícios: cantos de trabalho. Rio de Janeiro: 2015/20

Motta, A. R. (2013). Análise discursivo-ergológica das canções de trabalho. Anais eletrônicos da 2ª. Jornada Internacional de Estudos do Discurso.

Nascimento, C. M. C. (2020). Cantos de trabalho, das roças para as salas de aula: arranjos vocais e instrumentais. Dissertação (Mestrado em Arte) Programa de Pós-graduação em Artes – PROFARTES - Instituto de Humanidades e Artes IHAC. Universidade Federal da Bahia. Salvador - Bahia

Nascimento, I. M. (2018). Sonora Brasil e os cantos do trabalho: recontextualizando a tradição, o caso das cantadeiras do sisal e aboiadores de Valente. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) Instituto de Humanidades Artes e Ciências da Universidade Federal da Bahia.

Santana, S. (2012). Música e ancestralidade na Quixabeira. Ed. Edufba.

Santana, S. (2017). Memória e esquecimento nos cantos de trabalho de Quixabeira. Ed. Extraprensa

Santos, R. L. (2011). O Projeto Grande Carajás e seus reflexos para a cultura extrativista do Maranhão. Imperatriz, MA: Ed. Ética.

Santos, G. L. S.; Carvalho, E. T. & Selva, Selva, O. (2020). A Música na educação infantil como uma ferramenta no desenvolvimento cognitivo da criança. Research, Society and Development, 9(7). http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i15.22641

Silva, D. A. & Scaramuzza F. C. (2021). A cultura folclórica do boi-bumbá na escola: proposições para pensar uma ação pedagógica interdisciplinar. Research, Society and Development. 10(15). http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i15.22641

Silva, L. C. B. (2021) Baita do feijão: uma tradição da agricultura familiar, que resiste ao passar do tempo. Informação, educação e cultura. "BAITA DE FEIJÃO": uma tradição da agricultura familiar que resiste ao passar dos tempos (professorborges.com.br)

Silva, M. A. (2017). Manifestações culturais: modos de vida e memória. UFAL, Maceio: https://evento.ufal.br/anaisreaabanne/gts_download/Maria

Iasmin M A., Silva I. M. A., Paz, L. R. & Santos R L. (2019). O universo das quebradeiras de coco babaçu através de seus cantos. Reunião Anual da SBPC.

Vigarane, S. M. (2020) Cantos de trabalho das mulheres do Nordeste rural: processos investigativos e colaborativos de Renata Mattar. TCC (Graduação em Arte) Instituto de Arte da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Zumthor, P. (2012). Tradição e Esquecimento. Ed. Hucitec.

Published

02/05/2022

How to Cite

ROCHA, J. E. da. Work songs: music, art and culture, aligned in a tradition that resists the times. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e43411629195, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29195. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29195. Acesso em: 24 may. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences