The role of the electric sector in reducing social vulnerability

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29327

Keywords:

Energy; Demand; Regulation; Investment; Social.

Abstract

The study aims to understand the role of the electricity sector in reducing social vulnerability. Electric energy, through government actions within the electricity sector, has an important strategic role in promoting the process of human development. Deepening the understanding of the connections between electricity and social vulnerability will result in important subsidies for the decision-making process that tend to contribute to the reduction of social vulnerability, as an integral part of the human development process. The methodology of this study was limited to the theoretical field and used scientific journals that conceptually deal with the categories of electricity, social vulnerability and their theoretical relationships. The study concluded that the connections between electricity and social vulnerability are evident when investments in electricity consider aspects that favor the living conditions of populations, that is, when investments in electricity: enable the generation of new posts through production chains arising from new sources of generation of this input, provides opportunities for local populations to contribute to the decision-making process regarding their realities, favor the proper examination of the possible socio-environmental impacts generated with the populations affected by energy projects, and finance institutional regulation of electricity distributors.

References

Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL (2021). Institucional. Aneel. https://www.aneel.gov.br

Alão, A. A. & Borges, F. Q. (2019). Estratégias na Geração de Energia Elétrica no Pará e a Promoção de Estruturas Tecnológicas e Mecanismos Competitivos (2014-2017). Desenvolvimento em Questão, 17(49), 291-308. https://doi.org/10.21527/2237-6453.2019.49.291-308.

Borges, Fabricio Q., Borges, Fabrini Q. & Vasconcelos, M. R. (2021). Public Energy management and decision- making model: a proposal based on energy sustainability indicators. Global Journal of Human-Social Science. Volume 21 Issue 3 Version 1.0.

Borges, F. Q. & Monteiro, S. M. C. (2021). Energy sustainability and regulation theory: a theoretical analysis of indicators. Journal of Research in Environmental and Earth Sciences 7(2), 48-54.

Borges, F. Q. (2021). Investimentos em energia elétrica e desenvolvimento: uma análise histórica entre 1995 e 2005 no Pará, Brasil. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, 10, 245-266.

Borges, F. Q. (2012). Administração pública do setor elétrico: indicadores de sustentabilidade no ambiente residencial do estado do Pará (2001-10). Rev. Adm. Pública [online]. 46(3), 737-751.

Borges, F. Q. & Zouain, D. M. (2011). A matriz elétrica no estado do Pará e seu posicionamento na promoção do desenvolvimento sustentável. Planejamento e Políticas Públicas, 2(35). www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/view/201

Boyer, R. (1998). Economia e história: caminhando para novas alianças? In: Braga, J. C. S., Therét, B. Regulação econômica e globalização. Campinas: Instituto de Economia da Unicamp.

Camargo, A. S. G., Ugaya, C. M. L. & Agudelo, L. P. P. (2004). Proposta de definição de indicadores de sustentabilidade para geração de energia elétrica. Revista Educação e Tecnologia, CEFET/PR/MG/RJ.

Camelo, B. T. L. (2014). A regulação do setor elétrico brasileiro como ferramenta de fomento para o desenvolvimento energético sustentável. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas/Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa-PB: UFPB.

Cançado, T. C. L., Souza, R. S. de & Cardoso, C. B. da S. (2014). Trabalhando o conceito de Vulnerabilidade Social. In: XIX Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Brasília: ENEP.

Castro, A., Aquino, L. & Andrade, C. (2009). Juventude e Políticas Sociais no Brasil. Ipea, p. 170-187.

Crivelin, L. C. C. (2018). Regulação da geração de energia elétrica por fontes alternativas: impactos da atuação da Aneel na diversificação da matriz energética brasileira e na construção de um modelo de desenvolvimento sustentável (Dissertação de mestrado). FDRP/USP. Ribeirão Preto: USP.

Filellini, A. (2002). Economia do setor público. Atlas.

García H., C. L. (2010). Modelo regulatório do setor elétrico no Brasil e sua repercussão jurídica nos contratos de concessão de transmissão de energia elétrica. 2010. Programa de Engenharia Elétrica, Universidade de São Paulo. (Dissertação de mestrado). USP.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2019). População jovem no Brasil. Departamento de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA (2021). Atlas de vulnerabilidade social. Brasília. http://ivs.ipea.gov.br/index.php/pt/

Kowarick, L. (2002). Viver em risco: sobre a vulnerabilidade do Brasil urbano. Novos Estudos CEBRAP, (63), 9-30.

Lucchesi, R. (2021). Teoria da Regulação e Agência Reguladora. https://rafaelucchesi.jusbrasil.com.br/artigos/152015530/teoria-da-regulacao-e-agencia-reguladora.

Minayo, M. C. S. (org.) (2014). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Vozes.

Passos, R. C. M. & Nogami, O. (2018). Princípios de economia. Pioneira.

Pires, J. C. L. & Piccinini, M. (1999). A regulação dos setores de infraestrutura no Brasil. In: Giambiagi, F.; Moreira, M. (Orgs.) A economia brasileira nos anos 90. Rio de Janeiro: BNDES.

Política Nacional de Assistência Social - PNAS. (2020). Política Nacional de Assistência Social PNAS/ 2004. https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf

Ramalho, P. I. S. (2009). Regulação e agências reguladoras: reforma regulatória da década de 1990 e desenho institucional das agências no Brasil. In: Ramalho, P. I. S. (Org.) Regulação e agências reguladoras - governança e análise de impacto regulatório. Brasília: Anvisa.

Reis, L. B., Fadigas, E. A. A. & Carvalho, C. E. (2005). Energia, recursos naturais e a prática do desenvolvimento sustentável. Barueri-SP: Manole (Coleção Ambiental).

Rossetti, J. P. (1998). Contabilidade social. Atlas.

Schumann, L. R. M. A. (2014). A multidimensionalidade da construção teórica da vulnerabilidade: análise histórico-conceitual e uma proposta de índice sintético. (Dissertação de Mestrado). Centro de Estudos Avançados e Multidisciplinares. Universidade de Brasília, Brasília: UnB.

Suzigan, W. & Fernandes, S. C. (2003). Competitividade sistêmica: a contribuição de Fernando Fajnzylber. Congresso Brasileiro de História Econômica, 5., 2003, Caxambu. Anais... Minas Gerais: Caxambu, p. 14-21.

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization – UNESCO (2020). UNESCO and an information society for all. UNESCO. 1996. https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000108540_eng.

Published

30/04/2022

How to Cite

BORGES, F. Q. .; VASCONCELOS, M. R. de . The role of the electric sector in reducing social vulnerability. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e35911629327, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29327. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29327. Acesso em: 25 may. 2022.

Issue

Section

Review Article