Indicators of reaching the expectations of the industrial project in the Manaus Free Trade Zone from the process of monitoring mandatory counterparts

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29393

Keywords:

Consideration; Tax Waiver; Follow-up Process; Indicator; Free Zone; Teaching.

Abstract

Assuming that any waiver of revenue to the treasury needs to be duly substantiated and justified, as it is a potential public resource not collected for a pre-established purpose, it is important to understand how the concession process, implementation and monitoring of the promoted projects takes place. Decree-law No. 288/1967 states that, in order to be entitled to tax benefits, it is necessary to have a project approved by the Board of Directors of Suframa (CAS) and to comply with the counterparts established in that regulatory framework. After approval of the industrial project, the company holding the Approval Act must comply with its implementation within a period of up to 36 months. Once the project is implemented, it is monitored by the Manaus Free Zone Superintendence (SUFRAMA), thus concluding the cycle of waiver granted: if the assumptions presented in the industrial project are met, the company continues with the tax benefits; if, on the contrary, the company does not comply with the established, and after rights of defense - full defense and contradictory - does not comply with what had been established, the Federal Revenue of Brazil is informed so that the tax credit is released and the taxes due are collected. . The study in question details the process of granting, implementing and monitoring the industrial project and, based on the data collected resulting from the sample selected between the years 2017 to 2020, built indicators for reaching the expectations of the approved industrial project that structured the flow of inspection and analysis of the results of the tax waiver granted.

References

Andrade, A. M. (2021). A influência da lei de responsabilidade fiscal na contabilidade pública dos munícipios brasileiros. RECIMA21-Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, v. 2, n. 5, p. e25349-e25349.

Arruda, N. C. F. (2020). Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI: incidência na saída de produto de procedência estrangeira do estabelecimento importador em operação de revenda. Revista Jurídica da Seção Judiciária de Pernambuco, n. 12, p. 251-264.

Becker, B. E. (2001). Gestão estratégica de pessoas com “scorecard: interligando pessoas, estratégia e performance”. Rio de Janeiro: Campus.

Beuren, I. M. (2009). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas.

Borges, P. dos S. (2019). A incidência do imposto sobre produtos industrializados – IPI, em relação aos produtos importados, e o imposto de importação: ocorrência de um bis in idem inconstitucional. Trabalho de Conclusão de Curso.

Brasil (1988). Constituição Federal. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Cervo, A. L, Bervian, P. A & Silva, R. (2007). Metodologia Científica. 6ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Cruz, C. F. & Afonso, L. E. (2018). Gestão fiscal e pilares da Lei de Responsabilidade Fiscal: evidências em grandes municípios. Revista de Administração Pública, v. 52, p. 126-148.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gallo, A. et al. (2010). O sistema logístico brasileiro. Revista Científica do Itpac, Araguaína, v. 3, n. 3, p. 21-35.

Gouveia, R. S. (2016). Zona Franca Verde: roteiro do incentivo fiscal/Rafael Soares Gouveia. – Superintendência da Zona Franca de Manaus: Coordenação-Geral de Estudos Econômicos e Empresariais – COGEC. – Manaus: SUFRAMA. https://www.gov.br/suframa/pt-br/zfm/zfv/conteudo-principal/roteiro-dos-incentivos.

Oliveira, G. L. (2020). Análise de indicadores de instituições financeiras bancárias aderentes ao programa especial de regularização tributária federal. http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19438.

Oliveira, P. de S. (1998). Metodologia das Ciências Humanas. Editora Hucitec, 2ªa edição.

Pereira, M. S. (2015). Navegar é preciso: a lógica e a simbólica dos usos socioambientais do rio. Tese de Doutorado. Manaus: UFAM. https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4730.

Pereira, M. S. (2021). O objetivo lógico do modelo de extrafiscalidade da Zona Franca de Manaus. Atena Editora. https://www.atenaeditora.com.br/post-artigo/53027.

Queiroz, I. R., Da Silva, C. A. & De Oliveira, J. S. (2021). Zona Franca de Manaus: instabilidade do modelo e alternativas para o aproveitamento de seu real potencial. Research, Society and Development, v. 10, n. 11, p. e528101119985-e528101119985.

Quivy, R. & Campenhoudt, L.V. (2005). Manual de investigação em ciências sociais. Tradução de João Minhoto Marques, Maria Amália Mendes e Maria Carvalho. 4. ed. Lisboa: Gradiva.

Ritter, O., Pinho, B., Reis, L.C. D. & Vilar, T. B. (2017). Transparência das políticas públicas de renúncia fiscal: uma análise sob a ótica de dados abertos. In: Congresso Consad De Gestão Pública. http://consad.org.br/wp-content/uploads/2017/05/Painel-30_03.pdf.

Schappo, A. & Moraes, S. (2018). Imposto de Importação. http://investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/direito-tributario/202247-imposto-de-importacao.

Silva, J. B. & De Oliveira Izá, A. (2020). A importância da participação popular na elaboração do orçamento e os limites estabelecidos pela lei de responsabilidade fiscal para a administração pública. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas (UNIFAFIBE), v. 8, n. 2, p. 83-111.

Souza, R. M. S. & De Oliveira Jr., N. J. (2020). Análise da história da Zona Franca de Manaus com base na teoria institucional. Direitos humanos e ambiente saudável: o caso do igarapé do mindu, Manaus–Am. Revista Oniciência. https://revistaonisciencia.com/wp-content/uploads/2020/12/ARTIGO-03-Analise-da-Historia-da-Zona-Franca-de-Manaus.pdf.

Suframa, Superintendência da Zona Franca de Manaus (2017). História da Zona Franca de Manaus. http://www.suframa. gov.br/zfm_historia.cfm.

Suframa, Superintendência da Zona Franca de Manaus (2020). Marco Regulatório dos Incentivos Fiscais da Zona Franca de Manaus, Amazônia Ocidental e Áreas de Livre Comércio (4ª Edição, atualizada até novembro de 2020) Coordenação Geral de Estudos Econômicos e Empresariais – COGEC (org).

Published

01/05/2022

How to Cite

SENA, J. R. C.; MAGNO, R. N. O. Indicators of reaching the expectations of the industrial project in the Manaus Free Trade Zone from the process of monitoring mandatory counterparts. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e38711629393, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29393. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29393. Acesso em: 24 may. 2022.

Issue

Section

Engineerings