Industry 4.0 - Efforts to adjust man the Revolution 4.0

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2949

Keywords:

Revolution 4.0; Robots; Industry 4.0; Innovation

Abstract

Through a bibliographic review in order to verify what companies are doing to minimize social impacts in the 4th industrial revolution, also known as Revolution 4.0, it can be seen that: It is assumed that, in the coming years, new technologies will affect workers, and that this workforce prefers robots rather than being replaced by people they consider a threat and not that robots can be a threat to the economic future. Some efforts are being made to assist the worker to reenter the labor market, such as: preparing employment laws and policies and promoting human resources, including in the faculties creativity and convergence (China), Germany to meet the changes including new manufacturing and technology concepts and improving problem solving, creativity and innovation skills, applying factory learning concepts to dominate complex situations and unconventional schools, however those who are dismissed will be alienated, and will have great challenge for their replacement in the market and may take a long time to reinsert them.

Author Biographies

Jadir Perpétuo dos Santos, Universidade Federal do ABC

Pós-doutorado em Engenharia de Produção e Inovação na UFABC. Prof. na UNIP, Prof. na Universidade Cruzeiro do Sul, avaliador da UNIP, Doutor em Engenharia Mecânica pela UNICAMP, Mestrado em Administração pela Universidade da Cidade de São Paulo, Especialização em docência de nível superior, Pós-graduação em Engenharia de Produção, Engenharia de Qualidade pela Universidade São Judas Tadeu com Pós-graduação em Administração de Produção e Graduação em Administração de Empresas pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Professor- Tutor do curso EAD e conteudista. Revisor das revistas GEPROS e EXACTA. Parecerista em congressos: SIMPEP; ENEGEP e CONBREPRO. Autor do livro: Logística reversa, sustentabilidade e educação.Treinador profissional da vida. Participantes nos comitês: CE-014, ABNT / CEE-093 e ABNT / CB-025. Professor pesquisador da UNIABC e professor da UNINOVE, nas áreas de atuação e EAD. Participante de NDE em reconhecimento pelo MEC. Diretor de Qualidade na Source e Fast Consulting por 19 anos.Possui experiência em mais de 25 anos nas áreas de: Administração (onde as equipes multidisciplinares em multiprojetos), Produção (Consultor, Gerente de produção, PCP, Compras, Cronologias e melhorias de métodos e processos, ergonomia, etc.) e Qualidade (Consultor em certificações de empresas, e auditor em certificações de sistemas de gestão, com mais de 450 auditorias nas normas ISO 9001, OSHAS 18001, SA 8000, SEDEX e códigos de conduta), auditor líder de normas ISO 9001, OHSAS 18001. e SA 8000 , coordenação das palestras sobre qualidade nos anos de 2013, 2014 e 2015, com configurações externas. Examinador do Prêmio Examinador do Prêmio Nacional de Qualidade no ano 2000; Examinador do Prêmio Polícia Militar da Qualidade nos anos 2002; 2004; 2017 e 2018;Examinador do Prêmio Paulista de Qualidade em Gestão nos anos 2002 e 2005.

Alexandre Acácio de Andrade, Universidade Federal do ABC.

Possui graduação em engenharia elétrica (1997), mestrado em engenharia elétrica (2001) e doutorado (2007) em engenharia elétrica todos pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Professor da Faculdade de Engenharia de São Paulo de 2002 a 2012. possui 10 anos de experiência na área de projetos de automação industrial usados em CLPs (Convenio Rockwell Automation? EPUSP), atuando principalmente nos seguintes temas: Inteligência artificial, Mineração de dados, Sistemas supervisórios, Controladores lógicos programáveis, SDCDs, Redes de dados, Automação de baixo custo e Inovação. Professor em regime de dedicação exclusiva da UFABC desde 2012. Docente de Mestrado em Engenharia de Gerenciamento de Inovação desde 2015. https://www.researchgate.net/profile/Alexandre_Andrade7 ORCid:

Júlio Francisco Blumetti Facó, Universidade Federal do ABC

Possui graduação em Engenharia pelo Instituto Mauá de Tecnologia (1999), pós-graduação em Marketing pela ESPM (2002), mestrado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas - SP (2006) e doutorado em Administração de Empresas com ênfase em Inovação em Cadeia de Suprimentos e Operações pela Fundação Getúlio Vargas - SP (2009). Atualmente é professor associado da UFABC (Universidade Federal do ABC) vinculado aos Programas de Graduação em Engenharia de Gerenciamento e Pós-Graduação em Engenharia e Gerenciamento de Inovação. Tem experiência e atuação nas áreas de ensino, pesquisa e extensão além de coordenar e ter participado de diversos projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico, extensão e inovação em políticas públicas e privadas.Suas principais áreas de atuação são: Inovação e Capacidade de Inovação Organizacional; Estudos de Competitividade das Organizações; Políticas Públicas para Promoção da Inovação; Desenvolvimento de novos produtos e serviços; Operações e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos; Estratégias de Gestão Ambiental.

Erick Bovi dos Santos, Universidade Federal do ABC

Ciências econômicas

Antonio Carlos de Alcantara Thimóteo, Universidade Cruzeiro do Sul

Doutor em Educação e Ensino, Mestre em Administração e Gerenciamento de Projetos pela Universidade Nove de Julho - UNINOVE (2013); Pós-graduação em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância - Universidade Federal Fluminense - UFF; Pós-graduação em Especialização em Docência Universitária, Universidade Nove de Julho - UNINOVE; Pós-graduação em Gestão de Negócios; Universidade Cidade de São Paulo - UNICID; Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Cidade de São Paulo - UNICID; (1997) .o Documento Universitário de Graduação e Cursos de Tecnologia da Universidade Cruzeiro do Sul e Documento Concursado Indeterminado FATEC - Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Unidade - São Bernardo do Campo).

References

Abele, E. (2015). Learning Factories for research, education, and training. The 5th Conference on Learning Factories 2015.

Cooper, D. R., & Shindler, E. (2003). Métodos de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman.

Dalenogare, L., & et al. (2018). The expected contribution of Industry 4.0 technologies for industrial performance. International Journal of Production Economics (https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2018.08.019), p. 383-394.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Google Trends. (s.d.). Indústria 4.0. Acesso em 2019 de junho, disponível em https://trends.google.com.br/trends/explore?geo=BR&q=industry%204.0,Industria%204.0

Granulo, A., Fuchs, C., & Putoni, S. (19 de junho de 2019). Psychological reactions to human versus robotic job replacement. Nature Human Behaviour.(https://doi.org/10.1038/s41562-019-0670-y ).

Jabbour, A. B., Jabbour, C. J., Foropon, C., & Filho, M. G. (julho de 2018). When titans meet–Can industry 4.0 revolutionise the environmentally-sustainable manufacturing wave? The role of critical success factors. Technological Forecasting and Social Change, 132(DOI: https://doi.org/10.1016/j.techfore.2018.01.017), p. 18-25.

Qin, J., Liu, Y., & Grosvenor, R. (2016). A Categorical Framework of Manufacturing for Industry 4.0 and Beyond. Procedia CIRP 52, p. 173-178.

Ruiz, J. A. (1996). Metodologia Científica: Guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas.

Ślusarczyk, B. (2018). Industry 4.0 – Are we ready? Polish Journal of Management Studies, 1(17), 232-248.

Stock, T., & Selinger, G. (2016). Opportunities of Sustainable Manufacturing in Industry 4.0. . 13th Global Conference on Sustainable Manufacturing - Decoupling Growth from Resource Use. Berlin: Institute of Machine Tools and Factory Management, Technische Universität Berlin.

Sung, T. K. (2018). Industry 4.0: A Korea perspective. Technological Forecasting & Social Change, p. 40-45.

Vergara, S. C. (2000). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Published

20/03/2020

How to Cite

SANTOS, J. P. dos; ANDRADE, A. A. de; FACÓ, J. F. B.; DOS SANTOS, E. B.; THIMÓTEO, A. C. de A. Industry 4.0 - Efforts to adjust man the Revolution 4.0. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 4, p. e125942949, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i4.2949. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/2949. Acesso em: 21 sep. 2021.

Issue

Section

Engineerings