Teacher training in health care: challenges and possibilities of professorality

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29634

Keywords:

Teaching; Health; Education, higher.

Abstract

The object of this text is connected to the context of professional training in health, focusing on the health teacher. The objective is to understand the health professorality, based on the challenges and possibilities pointed out by scientific literature. This is a qualitative research, following the assumptions of the Integrative Literature Review. The research for the studies was conducted in the Virtual Health Library and in the CAPES (Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel) Portal of Journals, applying Thematic Content Analysis to those selected. This text takes charge of the category "health area teacher training: challenges and possibilities", originated from the analysis of 31 articles included in the review. It was possible to understand that teachers in the health area must have knowledge and experience in the specific area and also a strong pedagogical formation. The role of graduate studies in the training of health area teachers points out the gaps present in these formative spaces for higher education teaching. In addition, HEIs (Higher Education Institutions) should be responsible for teacher training, since they enable the exchange of experiences among teachers. It is concluded that it is important to understand the challenges and possibilities that permeate professorality in the health area in order to improve this field of action.

References

Abensur, P. L. D., Carvalho, G. P. M & Ruiz-Moreno, L. (2015). O processo de formação didático-pedagógica em saúde: aprendizagens percebidas na voz dos pós-graduandos. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde, 40 (3), 158-163.

Araújo, V. A. B. T., Gebran, R. A. & Barros, H. F. (2016). Formação e prática de docentes de um curso de graduação em enfermagem. Acta Scientinaum, 38 (1), 69-79.

Araújo, R. P. C. & Mello, S. M. F. (2011). Cursos de graduação em odontologia: a formação docente. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria Clínica Integrada, 11 (4), 615-625.

Baltazar, M. M. M., Moysés, S. J. & Bastos, C. C. B. C. (2010). Profissão docente de odontologia: o desafio da pós-graduação na formação de professores. Trabalho, Educação e Saúde (Online), 8 (2), 285-303.

Batista, S. H. et al. (2015). Professores iniciantes e professores experientes em currículos inovadores na graduação em saúde: um estudo sobre graduação e docência. Interfaces da Educação. 6 (17), 09-25.

Bolzan, D. P. V & Powaczuk, A. C. H. (2013). Iniciação à docência universitária: a tessitura da professoralidae. Acta Scientiarum, 35 (2), 201-109.

Bolzan, D. P. V & Powaczuk, A. C. H. (2017). Docência universitária: a construção da professoralidade. Revista Internacional de Formação de Professores, 2 (1), 160-173.

Brasil. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil: Seção 1, 27-839.

Cardoso, C. G. L. V., Costa, N. M. S. C. & Moraes, B. A. (2016). Desafios da formação pedagógica em nutrição. Ciencia, Docência y Tecnologia, 27 (53), 33-49.

Castanho, M. E. (2002). Professores de ensino superior da área da saúde e sua prática pedagógica. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 6 (10), 51-62.

Corrêa, A. K. et al. (2011). Metodologia problematizadora e suas implicações para a atuação docente: relato de experiência. Educação em Revista, 7 (3), 61-78.

Costa, C., Casagrande, L. D. R. & Ueta, J. (2009). Processos reflexivos e competências envolvidos na prática docente universitária: um estudo de caso. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 13 (31), 409-422.

Cunha, M. I. (2018). Docência na educação superior: a professoralidade em construção. Revista Educação, 41 (1), 6-1.

Cunha, M. I. & Alves, R. S. (2019). Docência no Ensino Superior: a alternativa da formação entre pares. Revista Linhas, 20 (43),10-20.

Damiance, P. R. M. et al. (2016). Formação para o SUS: uma análise sobre as concepções e práticas pedagógicas em saúde coletiva. Trabalho, Educação e Saúde (Online), 14 (3), 699-721.

De Nardi, V., Cardoso C. & Araújo, R. P. C. (2012). Formação acadêmico-profissional dos docentes fonoaudiólogos do estado da Bahia. Revista CEFAC, 15 (6), 1122-1138.

Emmel, R. & Krul, A. J. (2017). A docência no ensino superior: reflexões e perspectivas. Revista Brasileira de Ensino Superior, Passo Fundo, 3 (1), 42-55.

Ferreria, L. C., Mourão, R. A. & Almeida, R. J. (2016). Perspectivas de docentes de medicina a respeito da ética médica. Revista Bioética, 24 (1), 118-127.

Figueiredo, G. A. (2018). A aplicação da didática e dos saberes pedagógicos ao ensino superior. Revista de Pesquisa e Educação Jurídica, 4 (2), 18-34.

Figueiredo, W. N. et al. (2017). Formação didático-pedagógica na pós-graduação stricto sensu em Ciências da Saúde nas Universidades Federais do Nordeste do Brasil. Acta Paulista de Enfermagem, 30 (5), 497-503.

Finkler, M., Caetano, J. C. & Ramos, F. R. S. (2011). A dimensão ética da formação profissional em saúde: estudo de caso com cursos de graduação em odontologia. Ciência e Saúde Coletiva, 16 (11), 4481-4492.

Freire, P. (2016). Pedagogia da autonomia. (53a ed.), Paz e Terra.

Freire, P. (2018). Pedagogia da esperança. (24a ed.), Paz e Terra.

Freitas, D. A. et al. (2016). Saberes docentes sobre processo ensino-aprendizagem e sua importância para a formação profissional em saúde. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 20 (57).

Freitas, M. A. O. & Seiffert, O. M. L. B. (2007). Formação docente e o ensino de pós-graduação em saúde: uma experiência na UNIFESP. Revista Brasileira de Enfermagem, 60 (6), 635-640.

Ganong, L. H. (1987). Integrative reviews of nursing research. Research in Nursing & Health, 10 (1), 1-11.

Gomes, T. L. C. S. et al. (2016). Percepção docente sobre a integralidade na atenção primária à saúde no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Promoção da Saúde, 29, Supl., 148-155.

Izecksohn, M. M. V. et al. (2017). Preceptoria em medicina da família e comunidade: desafios e realizações em uma atenção primária à saúde em construção. Ciência e Saúde Coletiva, 22 (3), 737-746.

Lazzarin, H. C., Nakama, L. & Cordoni-Junior, L. (2010). Percepção de professores de odontologia no processo de ensino-aprendizagem. Ciência e Saúde Coletiva, 15 (supl. 1), 1801-1810.

Leal, L. A., Camelo, S. H. H. & Santos, F. C. (2017). O docente de administração em enfermagem: formação e competências profissionais. Revista de Enfermagem UFPE, 11, (6), 2329-2338.

Machado, J. L. M., Machado, V. M. & Vieira, J. E. (2011). Formação e seleção de docentes para currículos inovadores na graduação em saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, 35 (3), 326-333.

Manfroi, W. C. et al. (2008). Estratégias para implementação de um projeto de pós-graduação em educação e saúde na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Educação Médica, 32 (1), 127-132.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento. 14. ed. Hucitech.

Perim, G. L. et al. (2009). Desenvolvimento docente e a formação de médicos. Revista Brasileira de Educação Médica, 33 (supl. 1), 70-82.

Pimenta, D. T. et al. (2010). Pós-graduação stricto sensu em medicina: como está a formação pedagógica. Revista Brasileira da Pós-Graduacão, 7 (14), 559-573.

Ramirez, V. L. (2018). A docência na educação superior e a constituição da professoralidade. Revista Educação, 41(1), 41-48.

Ribeiro, M. L. & Cunha, M. I. (2010). Trajetórias da docência universitária em um programa de pós-graduação em Saúde Coletiva. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, 14 (32), 55-68.

Rodrigues, R. M. & Conterno, S. F. R. (2009). Formación pedagógica em la visión de docentes de pregrado del área de la salud em Brasil. Revista de Enfermagem Herediana, 2 (1), 3-10.

Scremin, G. & Isaia, S. M. A. (2018). Pedagogias universitárias: as influências das diferentes áreas do conhecimento na atuação docente. Revista Educação e Pesquisa, 44 (e177719).

Silva, T. C. & Bardaggi, M. P. (2015). O aluno de pós-graduação stricto sensu no Brasil: revisão da literatura dos últimos 20 anos. Revista Brasileira da Pós-Graduacão, 12 (29), 683-714.

Silva, V. O. & Ponto, I. C. M. (2019). Produção científica sobre docência em saúde no Brasil. Saúde Debate, 43 (especial),134-147.

Teo, C. R. P. A., Alves, S. M. & Gallina, L. S. (2016). Nas trilhas da utopia: tecendo o projeto político pedagógico em um curso de nutrição. Trabalho, Educação e Saúde, 14 (3), 723-745.

Terra, F. S., Secco, I. A. O & Rabazzi, M. L. C. C. (2011). Perfil dos docentes de cursos de graduação em enfermagem de universidades públicas e privadas. Revista de Enfermagem UERJ, 19 (1), 26-33.

Treviso, P. & Costa, B. E. P. (2017). Percepção de profissionais da área da saúde sobre a formação em sua atividade docente. Texto e Contexto Enfermagem, 26 (1), 1-9.

Trindade, R. A. et al. (2017). Docentes de cursos da área da saúde: o papel da didática na fronteira profissão/professor. Roteiro, 42 (1), 133-154.

Published

11/05/2022

How to Cite

MATTIA, B. J.; TEO, C. R. P. A. Teacher training in health care: challenges and possibilities of professorality . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e56511629634, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29634. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29634. Acesso em: 7 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences