Possibilities of action of a team of multiprofessional residents in mental health within a psychiatric hospital: experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29642

Keywords:

Humanization of assistance; Psychiatric hospitals; Mental health; Health education; Learning.

Abstract

Objective: To report the experience defined by a team of multiprofessional residents in a psychiatric hospital in the Federal District region. Method: This is a qualitative and descriptive study, of the experience report type, developed from the experiences of creation, planning and execution of interventions with patients hospitalized in the service, allocated in the emergency room (ER) and ward (ALA). The methodological course of the Arch method by Charles Maguerez was followed. Results: In this extension experience, 5 interventions were produced, through therapeutic workshops, aimed at the psychosocial rehabilitation of the participants. Conclusion: The actions constructed and developed through the interventions have become important teaching and learning possibilities for multidisciplinary mental health residents, reverberating the development of important characteristics for professional team practice. The strategies used in the interventions provided an awareness of the possibilities of action and care in mental health with patients in psychological distress, within a service, traditionally an asylum.

Author Biographies

Willamis Tenório Ramos, Universidade Federal de Sergipe

Fisioterapeuta residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS). 

Anna Vitoria Ferreira Borges, Universidade de Brasília

Terapeuta Ocupacional residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Luanny Gonçalves Netto, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Psicológa residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS). 

Caroline da Silva Moreira , Universidade de Brasília

Assistente Social do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Pietra Rosa Aguiar Machado, Universidade de Brasília

Terapeuta Ocupacional residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Amanda Bomfim, Universidade Federal de Goiás

Farmacêutica residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Gabriel Neiva da Rocha, Universidade de Brasília

Assistente Social residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Eveline Luz Pereira , Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Terapeuta Ocupacional preceptora do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Camila da Costa Benarros Lino, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Fisioterapeuta preceptora do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

Carlos Eduardo da Silva Portela, Universidade de Brasília

Psicólogo preceptor do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto (PRMSMA), da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)

References

Amaral, M. C. M. (2006). Narrativas de reforma psiquiátrica e cidadania no Distrito Federal. Sociedade e Estado, 21(2), 582-584.

Amarante, Paulo Duarte de Carvalho. (1998). Loucos pela vida:a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. (2a ed.), Editora FIOCRUZ.

Aires, J. S. F., Vianna, K., & Tsallis, A. (2022). Oficinas terapêuticas em saúde mental: pesquisando COM a Teoria Ator-Rede. Fractal: Revista de Psicologia, 33, 212-217.

Bastos, A. B. B. I. (2010). A técnica de Grupos-operativos à luz de Pichon-Rivière e Henri Wallon. Psicólogo Informação. 161-169.

Bispo, F. S., & Pimentel, S. G. (2019). Oficinas Terapêuticas de Imaginação. Revista Guará, (11).

BRASIL. (2001). Ministério da Saúde. Lei n. 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: Ministério da Saúde.

BRASIL. (2013a). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução no 466, de 12 de dezembro de 2012. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF: Ministério da Saúde.

BRASIL. (2016). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução no 510, de 7 de abril de 2016. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais. Diário Oficial da União, Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Cavalcanti, Alessandra; Galvão, Claúdia (2014). Terapia Ocupacional- Fundamentação e prática. (2a ed.), Guanabara Koongan, p. 0-531.

De Albuquerque, R. N., & Junqueira, V. R. O. (2021). A música como estratégia terapêutica de cuidados na atenção psicossocial. Revista Inova Saúde, 12(1), 83-96.

De Souza, D. F., de Lima Ferreira, L. L., Reis, A. S., Jardim, R., & Schott, M. (2021). Contribuições do Arco de Maguerez na formação em saúde: um relato de experiência/Contributions of Maguerez Arch for health training: an experience report. Journal of Nursing and Health, 11(4).

Drummond, A. D. F; Rezende, Márcia Bastos (2008). Intervenções da terapia Ocupacional. UFMG, p. 10-175.

Foucault M. (2012). História da loucura na idade clássica. Perspectiva.

Guerreiro, C., Meine, I. R., Vestena, L. T., de Andrade Silveira, L., da Silva, M. P., & Guazina, F. M. N. (2022). A arte no contexto de promoção à saúde mental no Brasil. Research, Society and Development, 11(4), e27811422106-e27811422106.

Klein, S. K., Fofonka, A., Hirdes, A., & Jacob, M. H. V. M. (2018). Qualidade de vida e níveis de atividade física de moradores de residências terapêuticas do sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 1521-1530.

Lancetti, A (1993). Clínica grupal com psicóticos: A grupalidade que os especialistas não entendem. Saúde loucura: grupos e coletivos. São Paulo: Hucitec. p. 155-171.

Lemos, A. M., Jorge, M. S. B., de Matos, T. N. F., da Silva, D. M. F., & Linard, C. F. B. M. (2021). A Equipe de Saúde no contexto da saúde mental frente às condições da Covid-19. Research, Society and Development, 10(14), e252101421861-e252101421861.

Lima, M. G., & Silva, G. B. (2004). A reforma psiquiátrica no Distrito Federal. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(5), 59 -595.

Mussi, R. F. F., Flores, F. F., & Almeida, C. B. (2021). Pressupostos para a elaboração de relato de experiência como conhecimento científico. Revista Práxis Educacional, 17(48), 1-18.

Nascimento, E. D. M., Bittencourt, V. L. L., Pretto, C. R., Dezordi, C. C. M., Benetti, S. A. W., & Stumm, E. M. F. (2018). Oficinas terapêuticas com música, em saúde mental. Revista Contexto & Saúde, 18(34), 15-19.

Neto, J. L. C. (2021). Saúde Mental e Atividade Física: Alguns apontamentos. FiloCzar.

Nunes, F. C., Sousa, J. M., Pinho, E. S., Caixeta, C. C., Barbosa, M. A., & Costa, A. P. (2022). Fatores impulsores e restritivos da prática com grupos em serviços comunitários de atenção psicossocial. Ciência & Saúde Coletiva, 27, 183-192.

Onocko-Campos, R., Emerich, B. F., & Ricci, E. C. (2019). Residência Multiprofissional em Saúde Mental: suporte teórico para o percurso formativo. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 23, e170813.

Paiva, L. E. M., Filgueiras, K. F., Oliveira, M. E. C., & Campos, Y. M. de. (2022). Desinstitucionalização de saberes e práticas: da reforma psiquiátrica aos serviços em saúde mental. Pretextos - Revista Da Graduação Em Psicologia Da PUC Minas, 6(12), 177-192.

Paladino, L., & Amarante, P. D. D. C. (2022). A dimensão espacial e o lugar social da loucura: por uma cidade aberta. Ciência & Saúde Coletiva, 27, 7-16.

Pires, R. N., Coelho, I. C. M., Gozdziejewski, A. S., & Mello, R. G. (2021). Atividade física nos transtornos de ansiedade e depressão: uma revisão sistemática. Revista Thêma et Scientia, 11(1), 201-214.

Sousa, F. S. P. D., & Jorge, M. S. B. (2018). O retorno da centralidade do hospital psiquiátrico: retrocessos recentes na política de saúde mental. Trabalho, Educação e Saúde, 17.

Trombly, Catherine A, &RadomskiI, M. V. (2013). Terapia Ocupacional para disfunções físicas. (6a ed.), Santos, p. 1-1431.

Venturini E. (2016.). A Linha Curva: o espaço e o tempo da institucionalização. Fiocruz; p. 196.

Published

16/05/2022

How to Cite

RAMOS, W. T. .; BORGES, A. V. . F. .; GONÇALVES NETTO, L. .; MOREIRA , C. da S. .; MACHADO, P. R. A. .; BOMFIM, A.; ROCHA, G. N. da .; PEREIRA , E. L. .; LINO, C. da C. B.; PORTELA, C. E. da S. . Possibilities of action of a team of multiprofessional residents in mental health within a psychiatric hospital: experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e8711729642, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29642. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29642. Acesso em: 6 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences