Solid waste management in the environmental Protection Area Estrada-Parque Piraputanga in the districts of Camisão and Piraputanga, Maracaju highlands, Mato Grosso do Sul

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29803

Keywords:

Environmental Law; Management and Planning of Environmental Public Policies; Environmental Impact; Environmental education.

Abstract

The Maracaju mountain range is known for its environmental diversity and scenic beauty, in addition to the presence of districts that have a rich history, which were isolated due to the precariousness of access to the region. The government, aiming to protect the natural resources of the region, created the Environmental Protection Area Estrada-Parque Piraputanga, which runs along MS 450, passing through the districts of Camisão and Piraputanga, municipality of Aquidauana, Mato Grosso do Sul. 19 years after the creation of the park-road, the road was paved, aiming to boost tourism in the region and improve the income of the residents of the districts. The improved access provided more traffic on the road and the creation of new businesses, offering new economic options to residents and visitors. However, with the advance of new activities, new problems arise, such as solid waste management. Based on this information, the objective was to investigate whether the asphalt paving was accompanied by planning regarding waste management, which tends to increase with the increase in tourism in these districts, located in the Environmental Protection Area of the municipality of Aquidauana. As a result, it is suggested that the trash cans available in the Districts be adequate, as well as the promotion of the distribution of trash cans at tourist sites and visitor awareness, based on an Environmental Education policy.

Author Biographies

Ingryd Khristina de Brito, Universidade Anhanguera-Uniderp

Advogada. Doutoranda pelo Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional - Universidade Anhanguera Uniderp. Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento
Regional Universidade Anhanguera Uniderp (2022). Graduada em Direito pela Universidade Anhanguera Uniderp (2019).

Giselle Marques de Araújo, Universidade Anhanguera-Uniderp

Advogada. Pós-Doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela UNIDERP-Anhanguera (2020). Doutora em Direito pela Universidade Veiga de Almeida - Rio de Janeiro/RJ (2015). Mestre em Direito pela Universidade Gama Filho - Rio de Janeiro/RJ (2004). Professora de Legislação Ambiental na Pós-Graduação Stricto Sensu (Conceito CAPES 4).

Rosemary Matias, Universidade Anhanguera-Uniderp

Possui Graduação em Licenciatura Plena em Química pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1988) e mestrado (1995) e doutorado (2010) em Química pela Universidade Estadual de Maringá - UEM. É Professor adjunto I da Universidade Uniderp.

Ademir Kleber Morbeck de Oliveira, Universidade Anhanguera-Uniderp

Possui graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura Plena) pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1989), mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1993) e doutorado em Ciências, área de concentração em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1996). Atualmente é professor da Universidade Anhanguera-Uniderp, Curso de Ciências Biológicas e do Programa em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, área de Ciências Ambientais, na linha de pesquisa Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento Regional Sustentável.

References

Andrade, S. (2019). Concluído, asfalto da Estrada de Piraputanga vai impulsionar o turismo e a economia local. Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. http://www.ms.gov.br/concluido-asfalto-da-estrada-de-piraputanga-vai-impulsionar-o-turismo-e-a-economia-local/

Aquidauana. (2017). Lei Ordinária 2.535 de 05 de outubro de 2017. Dispõe sobre a Política Municipal de saneamento Básico do Município de Aquidauana/MS e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Aquidauana. Diário Oficial Eletrônico. ed 827. http://aquidauana.ms.gov.br/DOEM/DOEM_AQUIDAUANA-827-20171009.pdf

Ayach, L. R., Bacani, V. M., & Silva, J. F. (2014). Unidades de Conservação no Pantanal do município de Aquidauana-MS: uma análise da evolução do uso da terra e cobertura vegetal e suas implicações. Caderno de Geografia, 24(42), 138-154.

Ayach, L. R., Souza, I. M., & Silva, J. F. (2019). O planejamento das unidades de conservação a partir das bacias hidrográficas: uma análise da Área de Proteção Ambiental Estrada Parque Piraputanga, estado de Mato Grosso do Sul. Ciência Geográfica – Bauru, p. 390-409.

Bononi, V. L. R., Oliveira, A. K. M., Gugliotta, A. M. & Quevedo, J. R. (2017). Agaricomycetes (Basidiomycota, Fungi) diversity in a protected area in the Maracaju Mountains, in the Brazilian central region. Hoehnea, 44(3), 361-377.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988.

Brasil. (2000) Lei n° 9.985 de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm

Brasil. (2010). Lei Nº 12.305, de 2 de Agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12305.htm

Brunet, A. F. D. (2016). A espacialidade dos resíduos sólidos urbanos nos municípios de Aquidauana e Anastácio – MS. 160p. Dissertação (obtenção do título de Mestre em Geografia). Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Aquidauana – MS, 2016. https://repositorio.ufms.br:8443/jspui/handle/123456789/3327.

Ferreira, M. (2017). Sustentabilidade e planejamento urbano e regional. Ciência ET Praxis, 6(11), 7-12.

Freitas Pinto, M. H., Salvio, G. M. M., de Oliveira, J. E. Z., & Gomes, C. R. (2020). Estradas parque: de categoria de área natural protegida à ameaça aos parques nacionais na América Latina. Revista Tecnologia e Sociedade, 16(45), 227-242.

Gomes, S. B. V., Rocha, M. B. (2019). Study of Impacts of Solid Residues In Conservation Units: The Case of The Student Trail. Research, Society and Development, v. 8, n. 10, p. e428101412.

Gouveia, N. (2012). Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva, 17(6), 1503-1510.

Imasul. (2018). Cadastro Estadual das Unidades de Conservação. https://www.imasul.ms.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/Planilha-CNUC_para-o-site_atualiz.-Dez_-2018.pdf

Lima, L. M. Q. (1995). Lixo: tratamento e biorremediação. (3a ed.), Hemus.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2019). Fundamentos de Metodologia Científica. (8a ed.), Atlas.

Mato Grosso do Sul. (2000). Decreto nº 9.937, de 05 de junho de 2000. Cria a APA Estrada-Parque de Piraputanga, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado, nº 5.279, 2000. http://aacpdappls.net.ms.gov.br/appls/legislacao/secoge/govato.nsf/fd86 00de8a55c7fc04256b2100/d8011e370bae80c004256bfd0055dec3

Mato Grosso do Sul. (2014). Decreto n° 14.072, de 7 de novembro de 2014. Institui o Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental Estrada-Parque de Piraputanga. Diário Oficial do Estado, nº 8.795, 2014. http://www.imasul.ms.gov.br/wp-content/uploads/2018/07/DECRETO-.-14.072.pdf

Medeiros, N.C.G., Alves, J.B., Sales, F.D.C.V., Monteiro, M.M., Nery, J.G.F., da Silva Martins, K.B., Sousa, S. M. S., Costa, A. A. & de Morais, G. V. (2021). Avaliação da eficiência do plano de gerenciamento para zona de amortecimento. Research, Society and Development, 10 (14), e133101421775-e133101421775.

Mucelin, C. A., & Bellini, M. (2008). Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza, Uberlândia, 20(1), 111-124.

Oliveira, V. S. (2017). Caracterização geoturística da Área de Proteção Ambiental (APA) da Estrada Parque Piraputanga, nos municípios de Aquidauana e Dois Irmãos do Buriti – MS. 2017. 90 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Aquidauana, MS.

Parrião, F. G., de Lucena Bataus, Y. S., da Silva Júnior, O. L., & Balestra, R. A. (2022). Perfil do Ecoturismo no Rio Araguaia: uma Análise Histórica. Biodiversidade Brasileira-BioBrasil, 12(1), 259-276.

Pereira, J. S., Guimarães, J. P., & Farias M. S. S. (2015). Diagnóstico da poluição ambiental em área de preservação no município de Lagoa Seca – Paraíba. Revista Verde (Pombal - PB - Brasil) 10(1), 11 -14.

Pires, M. F. C. (1997). O materialismo histórico-dialético e a Educação. Interface — Comunicação, Saúde, Educação, 1(1), 83 – 94. https://www.scielo.br/pdf/icse/v1n1/06.pdf

Sachs, I. (1993). Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. Nobel, 103p.

Sachs, I. (2002). Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Garamond, 96p.

Sachs, I. (2004). Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Garamond, 151p.

Silva, D. F. (2018). Percepção Ambiental da APA Estrada Parque Piraputanga. 2018. 90 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Aquidauana, MS, 2018.

Silva, D. F, & Ayach, L. R. (2021). Análise da Percepção Ambiental do Conselho gestor da Unidade de Conservação Estrada Parque Piraputanga – MS. Revista Geografar: 16(1), 48-70.

Soriano, A. J. S. (2006). Estrada Parque: proposta para uma definição. 2006. 113f. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Paulista Julio de Mesquita, Rio Claro.

Published

25/05/2022

How to Cite

BRITO, I. K. de .; ARAÚJO, G. M. de; MATIAS, R.; OLIVEIRA, A. K. M. de . Solid waste management in the environmental Protection Area Estrada-Parque Piraputanga in the districts of Camisão and Piraputanga, Maracaju highlands, Mato Grosso do Sul. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e29911729803, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29803. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29803. Acesso em: 7 jul. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences