The Pedagogy of skills in the Sergipe curriculum of New High School

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29856

Keywords:

Sergipe Curriculum; Teaching; New High School; Pedagogy of Competencies; Pedagogy of Complexity.

Abstract

In this article, we seek to analyze and understand the theoretical bases that guide the curriculum reform of the New High School (NEM), as well as the Sergipe Curriculum (CS) of High School (EM). The study has a qualitative nature, of an exploratory bibliographic nature. Through the documental analysis of the BNCC and the CS of the EM, we raised reflections on the context of the Brazilian NEM, which, despite being considered innovative, is anchored in discussions that go back to past times. The analysis revealed a market logic underlying Sergipe's curricular device, as the propositions mainly aim to improve proficiency in assessment exams and the development of skills to enter the job market. In addition, an invisibility of socioeconomic, cultural and environmental diversity in the proposed skills and competences was evidenced. The founding curriculum theory of Sergipe's curriculum is the traditional one. In place of Pedagogy of Competencies, in which the propositions of Sergipe's curricular device are anchored, we propose that educators adopt the Pedagogy of Complexity to subvert the neoliberal logic imposed by reformist changes.

Author Biographies

Luanne Michella Bispo Nascimento, Universidade Federal de Sergipe

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UFS). Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Sergipe. Pesquisadora no Grupo de Pesquisa de Educação Ambiental de Sergipe (GEPEASE/UFS). Professora da rede estadual de ensino (SEDUC/SE).

Maria Inêz Oliveira Araújo, Universidade Federal de Sergipe

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Sergipe (1981), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (1996), doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2004) e pós-doutora pela Universidade do Porto, com bolsa da CAPES. Professora voluntária do Programa de Pós-Graduação em Educação e orientadora do mestrado e doutorado.

Izabel Silva Souza D’Ambrosio, Universidade Federal de Sergipe

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. Mestre no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. ntegrante do Núcleo de Pesquisa em Comunicação e Tecnologia (NUCA/UFS) 

Rosana Maria Santos Torres Marcondes, Universidade Federal de Sergipe

Mestra em Educação (PPGED/UFS). Professora da Educação Básica e Superior. Integrante do Núcleo de Pesquisa em Comunicação e Tecnologia (NUCA/UFS)

Paula Tauana Santos, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe

Professora da Educação Básica da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe - SEDUC/DEA e da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA/SEMED)

Willian Lima Santos, Universidade Federal de Sergipe

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Mestre em Educação (PPGED/UFS).

References

Branco, E. P., Branco, A. B. de G., Iwasse, L. F. A., & Zanatta, S. C. (2019). BNCC: a quem interessa o ensino de competências e habilidades? Debates Em Educação, 11(25), 155–171. https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p155-171

Brasil. Ministério de Educação e Cultura. (1996). LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC.

Brasil. (1998). Conselho Nacional de Educação. Câmara da Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº 3, de 26 de junho de 1998. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil. (2017). Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm

Brasil. (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília.

Diniz, E. M., & Tomazello, M. G. C. (2012). A pedagogia da complexidade e o ensino de conteúdos atitudinais na educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 15(1). https://doi.org/10.14295/remea.v15i0.2927

Duarte, N. (2011). Vigotski e o “aprender a aprender”: críticas às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vikotskiana. Autores associados.

Freire, P. (2016). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e terra.

Gentili, P. (2017). O que há de novo nas novas formas de exclusão da educação? Neoliberalismo, trabalho e educação. Educação & Realidade, 20(1). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71754

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Leff, E. (1998). Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza. Civilização Brasileira.

Lüdke, M., & Andre, M. (1986). A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. EPU.

Moraes, M. C. (2019). Questões curriculares contemporâneas no âmbito da complexidade e transdisciplinaridade. In: Sá, R. A. de, & Behrens, M., A., (orgs.). Teoria da complexidade: contribuições epistemológicas e metodológicas para uma pedagogia complexa. Editora Appris.

Morin, E. (2003). Os sete saberes necessários à educação do futuro. Editora Cortez

Morin, E. (2006). Introdução ao pensamento complexo. Editora Sulina.

Nascimento, L. M. B. & Araújo, M. I. O. Desatando o “nó górdio” na educação ambiental crítica por meio da dissipação das brumas do pensamento complexo moriniano. Debates em Educação, 13(2), 556-570. https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12066/9247.

Paula, A. V. de. (2020). BNCC e os currículos subnacionais: prescrições indutoras das políticas educacionais e curriculares. 2020. 148 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) - Universidade de Brasília, Brasília.

Pereira A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Perrenoud, P. (1999). Avaliação - da Excelência à Regulação das Aprendizagens, Entre Duas Lógicas. Artmed.

Pires, C. S., & Veiga, A. M. da R. (2020). Costurando possibilidades na complexidade da docência: a bricolagem na trajetória auto(trans)formativa. Research, Society and Development, 9(9), e20996496. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6496

Saviani, D. (2014). Sistema nacional de educação e plano nacional de educação. Autores Associados.

Sergipe. (2022). Currículo de Sergipe: integrar e construir: ensino médio. Santos, I. S. dos, & Soares, M. F. M (Org.). Aracaju, SE: Secretaria de Estado da Educação do Esporte da Cultura.

Sipavicius, B. K. de A., & Sessa, P. da S. (2019). Base Nacional Comum Curricular e a área de ciências da natureza: tecendo relações e críticas. Atas de Ciências da Saúde, 7(1), 03-16.

Silva, D. E. R.; Jacob, M. S. da P.; Gomes, R. da V., & Silva, J. C. S. da. (2021). O novo Ensino Médio no contexto brasileiro: Perspectivas e Reflexões do desempenho escolar nas disciplinas de Português e Matemática. Research, Society and Development, 10(6), 1-9.

Silva, M. R. da. (2018). A BNCC da reforma do ensino médio: O resgate de um empoeirado discurso. Educação em Revista, 34(214130), https://doi.org/10.1590/0102-4698214130.

Silva, M. R. da, & Scheibe, L. (2017). Reforma do ensino médio: Pragmatismo e lógica mercantil. Retratos da Escola, 11(20), 19-31.

Silva, T. T. da. (2005). A “nova” direita e as transformações na pedagogia da política e na política da pedagogia. In: Gentili, P. A. A., & Silva, T. T. da (Orgs). Neoliberalismo, qualidade total e educação. Vozes.

Published

20/05/2022

How to Cite

NASCIMENTO, L. M. B. .; ARAÚJO, M. I. O. .; D’AMBROSIO, I. S. S. . .; MARCONDES, R. M. S. T. .; SANTOS, P. T.; SANTOS, W. L. The Pedagogy of skills in the Sergipe curriculum of New High School. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e18211729856, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29856. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29856. Acesso em: 22 feb. 2024.

Issue

Section

Education Sciences