Teaching-learning in a Rehabilitation Teaching and Assistance Unit: Conceptions of Occupational Therapy students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30006

Keywords:

Hearth teaching; Higher education; Occupational therapy; Meaningful learning.

Abstract

This article aims to understand the students' conceptions of the professional internship in rehabilitation about learning lived in a laboratory of daily living activities in the context of a Teaching and Assistance Unit. This is a qualitative and exploratory study. A semi-structured interview was used for data collection and for interpretation, the content analysis technique proposed by Bardin with the thematic category learning. The sample consisted of 14 students from the 4th year of the undergraduate course in Occupational Therapy at the Universidade do Estado do Pará. The similarities and distinctions between the contents were observed, as well as the central ideas of the narratives were identified. The results obtained showed aspects not experienced by the students in the practice scenario, which interfered with learning, such as the absence of discussion of clinical cases, team meetings, socialization of situations that foster clinical reasoning for decision making. The students suggested reformulating actions to enable a more innovative and constructive experience in the practice environment.

References

Ausubel, D. P. (2000). The acquisition and retention of knowledge: a cognitive view. Boston: Kluwer Academic Publishers.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Brasil. (2003). Ministério da Saúde. Portaria nº 496/SAS/MS de 3 de maio de 2003. Brasília (DF). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2013/prt0496_03_05_2013.html. Acesso em: 22 fev. 2022.

Brasil. (2007). Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde – Pró-Saúde: objetivos, implementação e desenvolvimento potencial. Brasília: Ministério da Saúde.

Ceccim, R. B., Feuerwerker, L. C. M. (2004). Mudanças na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Caderno de Saúde Pública (FIOCRUZ). 20 (5), 1400-1410. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500036

Maeda, D., Rodrigues, M.V.C., Dumêt Fernandes, J., Pedreira de Freitas, C.M.I., Morais, X.I., & Cappo Bianco, M.H. (2005). Diretrizes curriculares e estratégias para implantação de uma nova proposta pedagógica. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 39 (4), 443-449. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342005000400011

Feuerwerker, L. C. M. (2002). Além do discurso de mudança na educação médica: processos e resultados. São Paulo: Hucitec

Franco, T. B. (2007). Produção do cuidado e produção pedagógica: integração de cenários do sistema de saúde no Brasil. Interface - Comunicação, Saúde e Educação. 11(23), 427-638. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832007000300003

Freire, P. (2021). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.6. ed. Rio de Janeiro-São Paulo: Paz e Terra.

Genú, M. S. (2018). A abordagem da ação crítica e a epistemologia da práxis pedagógica. Educação e Formação. 3(9), 55-70. DOI: . http://doi.org/10.25053/redufor.v3i9.856

Gomes, K. O., Cotta, R.M.M., Araújo, R.M.A., Cherchiglia, M.L., & Martins, T.C.P. (2011). Atenção Primária à Saúde - a “menina dos olhos” do SUS: sobre as representações sociais dos protagonistas do Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva. 16 (supl.1), 881-892. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700020.

Mello, A. F.; Almeida Filho, N.; & Ribeiro, R. J. (2009). Por uma Universidade Socialmente Relevante. Atos de Pesquisa em Educação. 4 (3), 292-302. http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2009v4n3p292-302.

Merhy, E.E., Onocko, R. (2002). Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec.

Merhy, E. E. (2002). Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec.

Merhy, E., Franco, T., Cerqueira, P., & Camargo, L.M. (2011). Diálogos pertinentes: micropolítica do trabalho vivo em ato e o trabalho imaterial: novas subjetivações e disputas por uma autopoiese anticapitalista no mundo da saúde. Lugar Comum – Estudo de Mídia, Cultura e Democracia. 33-34, 89-103Disponível em: http://uninomade.net/wp-content/files_mf/110803120320Lugar%20Comum%2032_33%20completa.pdf. Acesso em: 16 out. 2019.

Minayo, M. C. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva. 17(3), 621-626. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000300007

Pará. (1997) Manual de normas e rotinas da Unidade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Mimeografado.

Perrenoud, P. (2000). Dez novas competências para ensinar. Convite à viagem. Porto Alegre: Artmed.

Sousa, A.T.O., Formiga, N.S., Oliveira, S.H.S. , Costa, M.M.L. , & Soares M.J.G.O. A utilização da teoria da aprendizagem significativa no ensino da Enfermagem. Revista Brasileira de enfermagem. 68(4):713-722. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680420i

Shor, I., Freire, P. (1996). Medo e Ousadia - O Cotidiano do Professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Published

29/05/2022

How to Cite

CORRÊA, R. de O. .; MARTINS, A. C. M. e .; SILVA , E. M. da .; TEIXEIRA, R. da C. . Teaching-learning in a Rehabilitation Teaching and Assistance Unit: Conceptions of Occupational Therapy students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e37111730006, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30006. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30006. Acesso em: 6 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences