Risk of depression in elderly people with visual impairment in a municipality in the interior of Ceará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30112

Keywords:

Elderly; Visually impaired people; Depression.

Abstract

Since aging is a landmark of biopsychosocial changes and depression is the psychological disease that most affects this population, this study aims to identify the risk of depression in elderly people with visual impairment in a municipality in the central hinterland of Ceará. The research is exploratory and descriptive, with a quantitative approach and was carried out in the municipality of Piquet Carneiro, Ceará, with a total of 28 elderly people with acquired visual impairment. Data were collected from the socioeconomic interview and a form-like instrument containing the Geriatric Depression Scale with 15 questions. To analyze the collected data, the SPSS program, version 21.0, was used. The work is protected in Resolution No. 466/2012 of the National Health Council. During the verification of these findings, it was possible to notice that the age group with the highest number of participants was 70 years or older, with a predominance of females, widowed marital status, low education and monthly income of 1 to 2 minimum wages. From the responses with the EDG-15, it was possible to perceive some depressive symptoms present. Questions 2, 9 and 15 were the most scored by all respondents, bringing up feelings such as isolation, sadness and hopelessness on their part, thus exposing the depression rate for these participants of 54%. The results reinforce the need to study and implement more health promotion and prevention actions with a focus on depression in the elderly, especially those with disabilities.

References

Almeida, O. P., & Almeida, S.A. (1999). Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão Geriátrica (GDS) versão reduzida. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 57(2), 421- 426.

Alvarenga, M. R. M., Oliveira, M. A. C., & Faccenda, O. (2012). Sintomas depressivos em idosos: análise dos itens da Escala de Depressão Geriátrica. Acta Paul Enferm. 25(4), 497-503.

Amorim, E. G., Medeiros Neta, O. M., & Guimarães, J. (2020). Para uma nova arte de viver: os espaços e as práticas de reabilitação da pessoa com deficiência visual. Research, Society and Development, 9(8), 1-22.

Barbosa, L.L., Pinto, R.S.S., Lucas, M.S., Rodrigues, M.C.S., Silva, V. S., Melo, E. S., Viana, P. M. F., Costa, D. S., Barroso, D.C., & Lopes, G.S. (2020). O papel do envelhecimento ativo na prevenção de sintomas depressivos em indivíduos idosos: uma revisão integrativa. Research, Society and Development, 9 (11), 1-11.

Covolan, C. R. (2009). Descrição da população idosa segundo sua capacidade funcional de uma cidade de meio porte do interior paulista. (Dissertação de mestrado). Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP, Brasil.

Dourado, J. S., & Costa, L. D. C. (2006). Perda da visão e enfrentamento: um estudo sobre os aspectos psicológicos da deficiência visual adquirida. (Trabalho de conclusão de curso). Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Fundação Bahiana para o Desenvolvimento das Ciências, Salvador, BA, Brasil.

Frade, J., Barbosa, P., Cardoso, S., & Nunes, C. (2015). Depressão no idoso: sintomas em indivíduos institucionalizados e não-institucionalizados. Revista de Enfermagem Referência. 4 (4), 41-49.

Freitas, F. F. Q. (2018). Fatores associados à fragilidade em idosos no contexto da atenção primária. (Tese de doutorado). Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte - Minas Gerais, Brasil.

Gomes, A. C. M. D. S., Medeiros, K. D. A., Soares, A. K. M., Costa, R. D. R. A. B. C., Vieira, K. F. L., & Lucena, A. L. R. D. (2020). Qualidade de vida em idosos participantes de centros de convivência: uma revisão integrativa. Rev. Pesqui.(Univ. Fed. Estado Rio J., Online), 579-585.

Guerra, S., Aguiar, A., Santos, E., & Martins, L. (2020). Experiences of elderly people who participate in social groups / Experiências de pessoas idosas que participam de grupos de convivência. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 12, 264-269.

IBGE. (2000). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2000: Tabulação Avançada; resultados preliminares da amostra, Brasil.

Lee, H. K., & Scudds, R. J. (2003). Comparison of balance in older people with and without visual impairment. Age Ageing, 32(6):643-649.

Lucchetti, G., Lucchetti, A. L. G., Bassi, R. M., Nasri, F., & Nacif, S. A. P. (2011). O idoso e sua espiritualidade: impacto sobre diferentes aspectos do envelhecimento. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 14(1), 159-167.

Luiz, L. C., Rebelatto, J. R., Coimbra, A.M.V., & Ricci, N.A. (2009). Associação entre déficit visual e aspectos clínicos- funcionais em idosos da comunidade. Revista Brasileira de Fisioterapia. 13 (5), 444-450.

Matias, A. G. C., Fonsêca, M. A., Gomes, M. L. F., & Matos, M. A. A. (2016). Indicadores de depressão em idosos e os diferentes métodos de rastreamento. Einstein. 14(1), 6-11.

Nóbrega, I. R. A. P., Leal, M. C. C., Marques, A. P. O., & Vieira, J. C. M. (2015). Fatores associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Saúde Debate. 39(105), 536-550.

OMS. (2013). Organização Mundial da Saúde. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionadas à saúde. 10° ed. São Paulo.

Paulo, M.A., Wajnman, S., & Oliveira, A. M. C. H. (2013). A relação entre renda e composição domiciliar dos idosos no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População. 30, 25-43.

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Reis, L. A.; & Trad, L. A. B. (2015). Suporte familiar ao idoso com comprometimento da funcionalidade: a perspectiva da família. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 17(3), 28-41.

Ribeiro, J. E. C., Freitas, M. M., Araújo, G. S., & Rocha, T. H. R. (2004). Associação entre aspectos depressivos e déficit visual causado por catarata em pacientes idosos. Arq. Bras. Oftalmol. 67(5), 795-9.

Ribeiro, V. S., Rosa, R. S., Sanches, G. J. C., Ribeiro, Í. J. S., & Cassotti, C. A. (2018). Qualidade de vida e depressão em domicílios no contexto doméstico. Revista Enfermería Actual. 34, 53-66.

Romani, F. A. (2005). Prevalência de Transtornos Oculares na População de Idosos Residentes na Cidade de Veranópolis, RS, Brasil. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. 68(5), 649-655.

Silva, A. K. A. G., Fernandes, F. E. C. V., Oliveira, M. M. A., Almeida, T. K. P., Melo, R. A., & Gama, T. C. C. L. (2019). Sintomas Depressivos em Grupos de Terceira Idade. J. Res.: Fundam. Care. 11, 297-303.

Sousa, A. I., & Silver, L. D. (2008). Perfil sociodemográfico e estado de saúde autorreferido entre idosas. Esc. Anna Nery Ver. Enferm. 12(4), 706-716.

Sousa, K. A., Freitas, F. F. Q., Castro, A. P., Oliveira, C. D. B., Almeida, A. A. B., & Sousa, K. A. (2017). Prevalência de sintomas de depressão em idosos assistidos pela estratégia de saúde da família. REME – Revista Mineira de Enfermagem. 21, 1-7.

Tosim, A., Moreira, W. W., & Simões. R. (2009). O significado do envelhecer nos discursos de idosos cegos. Estudos interdisciplinares de envelhecimento. 14(1), 65-79.

Yesavage, J. A., Brink, T. L., Rose, T. L., Lum, O., Huang, V., Adey, M., & Leirer, V. O. (1983). Development and validation of a geriatric depression screening scale: a preliminary report. J Psychiat Res. 17, 37-49.

Published

27/05/2022

How to Cite

FERREIRA, T. F. P. .; LIMA, M. B. de; ASSIS, F. D. L. de; NÓBREGA, R. J. N.; OLIVEIRA, C. A. N. de .; LEITE, J. C. de S. .; TAVARES, N. B. F.; ALMEIDA, R. C. de .; FERREIRA, M. S. .; SIEBRA, I. R. . Risk of depression in elderly people with visual impairment in a municipality in the interior of Ceará . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e35311730112, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30112. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30112. Acesso em: 7 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences