Hospitalizations for Cardiovascular Conditions Sensitive to Primary Health Care in the State of Sergipe between 2010 – 2020

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30184

Keywords:

Primary Health Care; Quality Indicators; Health Care; Hospitalization; Comprehensive Health Care; Chronic Disease.

Abstract

Objective: To analyze Hospitalizations for Cardiovascular Conditions Sensitive to Primary Health Care in the State of Sergipe in the period 2010 - 2020. Method: This is an ecological study, of time series through the analysis of data from the DATASUS system, with information of hospitalizations carried out by the Authorizations for Hospital Admissions of the Unified Health System, and population data obtained from the Brazilian Institute of Geography and Statistics. Four diseases were considered, namely: Systemic Arterial Hypertension (SAH), Heart Failure (HF), Acute Myocardial Infarction (AMI) and Cerebrovascular Accident (CVA). The annual hospitalization rates were calculated according to the variables cause and Mesoregions. Results: It was possible to notice a decrease in SAH, IC and CVA, when considering the total period studied. Among the diseases analyzed, Heart Failure (HF) was the condition that presented the greatest absolute fall, followed by Cerebrovascular Accident (CVA). Acute myocardial infarction (AMI) showed an increase in the rate, in the total comparison. Conclusion: The results suggest a reduction in the rates of two diseases analyzed and a tendency for the others to remain high. With this result, it is possible to infer that there is a greater need to work on resolutions to reduce risk factors for AMI and CVA, since they involve modifiable risk factors that are more easily dealt with in Primary Health Care. In this sense, measures that work by associating a better control of risk factors and educational measures regarding these diseases may be an interesting suggestion for society, since risk factors may still be unknown.

References

Aldrigue, R. H. S. (2020). Internações por condições cardiovasculares sensíveis à atenção primária e a relação com a Estratégia Saúde da Família em municípios de médio porte do Paraná, Brasil, 2008 a 2017. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Ponto Grossa.

Alfradique, M. E., Bonolo, P. D. F., Dourado, I., Lima-Costa, M. F., Macinko, J., Mendonça, C. S. & Turci, M. A. (2009). Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP-Brasil). Cadernos de Saúde Pública, 25(6), 1337-49.

Batista, S. R. R., Jardim, P. C. B. V., Sousa, A. L. L., & Salgado, C. M. (2012). Hospitalizações por condições cardiovasculares sensíveis à atenção primária em municípios goianos. Revista de Saúde Pública, 46, 34-42.

Brasil. (2013). Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Ministério da Saúde.

Coelho, R. M. A. (2011). Determinantes da capacidade funcional do doente após acidente vascular cerebral (Doctoral dissertation, Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu).

Dantas, R. C. D. O., Silva, J. P. T. D., Dantas, D. C. D. O., & Roncalli, Â. G. (2018). Fatores associados às internações por hipertensão arterial. Einstein (São Paulo), v 16.

da Silva, D. B., Nogueira, A. L. F., Rodrigues, G. T., Moura, H. S. D., da Silva, A. L. C., da Conceição Fernandes, I., ... & de Sousa Lopes, G. (2021). Enfrentamento das doenças cardiovasculares na atenção básica: revisão integrativa da literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 13(2), e5636-e5636.

da Silva Rocha, L., de Oliveira, C. S. S., & Almeida, L. P. P. (2021). Avaliação do programa hiperdia pelos profissionais de saúde. Revista Saúde. com, 17(1).

de Campos, A. Z., & Theme-Filha, M. M. (2012). Internações por condições sensíveis à atenção primária em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, 2000 a 2009 Hospitalization for primary care-sensitive conditions in Campo Grande, Mato Grosso do Sul State. Cad. Saúde Pública, 28(5), 845-855.

de Lima Barbosa, A. M., Pereira, C. C. M., Miranda, J. P. R., de Lima Rodrigues, J. H., de Carvalho, J. R. O., & Rodrigues, A. C. E. (2021). Perfil epidemiológico dos pacientes internados por acidente vascular cerebral no nordeste do Brasil. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 13(1), e5155-e5155.

De Insuficiência, C. C. D. D., Colaboradores, C., & Rohde, L. E. P. (2018). Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Crônica e Aguda. Arq Bras Cardiol, 111(3), 436-539.

Fernandes, A. D., Fernandes, G. C., Mazza, M. R., Knijnik, L. M., Fernandes, G. S., Vilela, A. T. D., ... & Chaparro, S. V. (2020). Insuficiência cardíaca no Brasil subdesenvolvido: análise de tendência de dez anos. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 114, 222-231.

Ferreira, J. B. B., Borges, M. J. G., Santos, L. L. D., & Forster, A. C. (2014). Internações por condições sensíveis à atenção primária à saúde em uma região de saúde paulista, 2008 a 2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 23, 45-56.

Furlan, N. E., Bazan, S. G. Z., Braga, G. P., Franco, R. J. D. S., Gut, A. L., Bazan, R., & Martin, L. C. (2018). Association between blood pressure and acute phase stroke case fatality rate: a prospective cohort study. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 76, 436-443.

Lentsck, M. H., Latorre, M. D. R. D. D. O., & Mathias, T. A. D. F. (2015). Tendência das internações por doenças cardiovasculares sensíveis à atenção primária. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18, 372-384.

Malta, D. C., & Silva Jr, J. B. D. (2014). Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil após três anos de implantação, 2011-2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 23, 389-395.

Mendes, E. V. (2009). As redes de atenção à saúde-Health care networks. Revista Médica De Minas Gerais-RMMG, 18(4-S4).

Melo, M. D. (2014). Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária em Guarulhos: um olhar da enfermagem em saúde coletiva (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Ministério da Saúde (2017). e-Gestor: relatório de Cobertura da Atenção Básica [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde.

Nascimento, M. A. D., Almeida, S. C. B. D., Cosson, I. C. D. O., & Santos, J. A. D. (2017). Assistência de enfermagem no programa hiperdia: relato de experiência em estágio supervisionado. CuidArte, Enferm, 231-238

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM.

Silva, M. V. M. D., Oliveira, V. D. S., Pinto, P. M. A., Razia, P. F. S., Caixeta, A. C. L., Aquino, É. C. D., & Morais Neto, O. L. (2019). Tendências das internações por condições cardiovasculares sensíveis à atenção primária à saúde no município de Senador Canedo, Goiás, 2001-2016. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 28, e2018110.

Starfield, B. (2006). Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia.

Tofani, L. F. N., Furtado, L. A. C., Guimarães, C. F., Feliciano, D. G. C. F., Silva, G. R. D., Bragagnolo, L. M., ... & Chioro, A. (2021). Caos, organização e criatividade: Revisão integrativa sobre as redes de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 26, 4769-4782.

WA, N. (2011). Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Sistema Único de Saúde/Conselho Nacional de Secretários de Saúde.–Brasília: CONASS, 2011. 291 p.(Coleção Para Entender a Gestão do SUS 2011, 1).

World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Tradução Suzana Gontijo Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde. 2005 [access on july 24 2014].

Weissman, J. S., Gatsonis, C., & Epstein, A. M. (1992). Rates of avoidable hospitalization by insurance status in Massachusetts and Maryland. Jama, 268(17), 2388-2394.

Yazlle Rocha, J. S., & Silva, G. (2000). Myocardial infarction hospitalization by the day of the week: retrospective study. Revista de Saúde Pública, 34, 157-162.

Published

25/05/2022

How to Cite

VIEIRA, C. C. .; SILVA , R. R. de S. .; XAVIER , B. M. F. .; XAVIER , L. F. F. .; FRANCO, M. R. .; RESENDE, M. S. de A. B. . Hospitalizations for Cardiovascular Conditions Sensitive to Primary Health Care in the State of Sergipe between 2010 – 2020. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e30411730184, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30184. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30184. Acesso em: 6 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences