The role of the nurse in assisting women victims of sexual violence in Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30399

Keywords:

Violence against women; Sexual trauma; Nursing care; Sex offenses.

Abstract

This study aimed to describe the role of the nurse in assisting women victims of sexual violence in Brazil. This was an integrative literature review carried out through virtual library searches: Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) y Scientific Electronic Library Online (Scielo). Original articles published from 2012 onwards were included. The results indicate that sexual violence against women in Brazil is more prevalent in young women. Evidence shows that the nursing professionals felt incapable to carry out the reception, the approach and the care provision of the victims. At times nurses did not properly follow the specific protocols of care, resulting in failure in the referral of cases. As part of the multiprofessional health team, nurses play a leading role in the care of women victims of violence and, therefore, they must be adequately trained. Professional qualification is essential in the face of this assistance that results in effective nursing care that actually responds to the needs of victims, guaranteeing humanization and safety during care.

Author Biographies

Rozane Rodrigues Pereira, Faculdade de Ensino de Minas Gerais

Enfermeira. Graduada pela Faculdade de Ensino de Minas Gerais (FACEMG)

Raiane Priscila Lopes Benedito, Faculdade de Ensino de Minas Gerais

Enfermeira. Graudada pela Faculdade de Ensino de Minas Gerais (FACEMG).

Gabriel Guimarães Nascimento, Faculdade de Ensino de Minas Gerais

Enfermeiro. Graduado pela Faculdade de Ensino de Minas Gerais (FACEMG)

References

Aguiar. F. A. R., Dourado, J. V. L, Cavalcanti L. F., Vieira, L. J. E. S., Júnior, A. R. F. & Silva, R. M. (2020). Formação profissional e atenção à mulher vítima de violência sexual: revisão integrativa. SANARE-Revista de Políticas Públicas. 19(2). 10.36925/sanare.v19i2.1476

Ávila, J. A., Oliveira, A. M. N. & Silva, P. A. (2012). Conhecimento dos Enfermeiros frente ao abuso sexual. Av.enferm, 30(2), 47-55. http://www.scielo.org.co/pdf/aven/v30n2/v30n2a04.pdf

Bardin L (2020). Análise de conteúdo. Edições (70), 288.

Batistetti, L. T., Lima, M. C. D. & Souza, S. R. R. K. (2020). A percepção da vítima de violência sexual quanto ao acolhimento em um hospital de referência no Paraná. Rev Fun Care, 12, 169-17. 10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7191

Beiras, A., Nascimento, M. & Incrocc, C. (2019). Programas de atenção a homens autores de violência contra as mulheres: um panorama das intervenções no Brasil. Saúde e Sociedade. 28 (1), 262-274. 10.1590/S0104-12902019170995

Bento, S.F., Sousa, M. H., Osis. & Faúndes, A. (2014). Dificuldades de profissionais de saúde do Estado de São Paulo com o preenchimento da ficha de notificação compulsória dos casos de violência sexual contra mulheres. Boletim do Instituto de Saúde, 40 (6), 301-306. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/12/1046874/bis-v15n1-enfrentamento-29-35.pdf

Borburema, T. L. R, Pacheco, A. P., Nunes, A. A., Moré, C. L. O. O. & Krenkel, S. (2017). Violência contra mulher em contexto de vulnerabilidade social na Atenção Primária: registro de violência em prontuários. Rev Bras Med Fam Comunidade, 12(39), 1-13.10.5712/rbmfc12(39)1460

Brasil, Lei n 12.015 de 07 de agosto de 2009. Altera o título VI da parte especial do decreto-lei N° 2.848, de 7 de dezembro de 1940- Código Penal, e o art. 1° da lei 8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do inciso XLII do art. 5° da Constituição Federal e revoga a lei n° 2.252, de 1° de julho de 1954, que trata de corrupção de menores. Brasília, 7 de agosto de 2009, 188o da Independência e 121o da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12015.htm#:~:text=LEI%20N%C2%BA%2012.015%2C%20DE%207%20DE%20AGOSTO%20DE%202009.&text=Altera%20o%20T%C3%ADtulo%20VI%20da,do%20inciso%20XLIII%20do%20art.

Cerqueira, D., Bueno R. S. L. S., Valencia, L. I., Hanashiro O., Machado, P. H. G. & Lima A. S. (2017). Atlas da Violência 2017-IPEA e FBSP. In: Atlas da Violência 2017-Ipea e FBSP, 69-69. https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=30411

Delziovo, R. D., Coelho, E. B. S., Orsi, E. & Lindner, S. R. (2018). Violência sexual contra a mulher e o atendimento no setor saúde em Santa Catarina. Ciência & Saúde Coletiva, (5) ,1687-1696. 10.1590/1413-81232018235.20112016

Diniz, D., Dias, V. C., Mastrella, M. & Madeiro, A. P. (2014). A verdade do estupro nos serviços de aborto legal no Brasil. Revista Bioética, 22 (2),291-298. 10.1590/1983-80422014222010

Engel, C. L. (2020). A violência contra a mulher. Brasília: IPEA, 3-56. http://www.ipea.gov.br.

Fornari, L. F. & Labronici, L. M. (2018). O processo de resiliência em mulheres vítimas de violência sexual: uma possibilidade de cuidado. Cogitare Enferm, 1(23): 52081. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.52081

Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) (2021). 15º Anuário brasileiro de segurança pública.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2020). Pesquisa nacional de saúde: 2019: acidentes, violências, doenças transmissíveis, atividade sexual, características do trabalho e apoio social: Brasil / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro: IBGE,101.

Krug, E. G., Dahlberg, L. L., Mercy, A. J., Zwi, A. B. & Lozano, R. (2002). Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra, Organização Mundial de Saúde, 380. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2019/04/14142032-relatorio-mundial-sobre-violencia-e-saude.pdf Acesso em: 03 outubro 2021.

Lettiere, A. & Nakano, A. M. S. (2015). Rede de atenção à mulher em situação de violência: os desafios da transversalidade do cuidado. Rev. Eletr. Enf, 17(4), 1-8. 10.5216/ree.v17i4.32977

Menezes, P. R. M, Lima, I. S., Correia, C. M., Souza, S. S., Erdmann, A. L. & Gomes, N. P. (2014). Enfrentamento da violência contra a mulher: articulação intersetorial e atenção integral. Saúde Soc, 23(3), 778-786. 10.1590/S0104-12902014000300004

Moreira, G. A. R., Freitas, K. M. D., Cavalcanti, L. F., Vieira, L. J. E. D. S., & Silva, R. M. D. (2018). Qualificação de profissionais da saúde para a atenção às mulheres em situação de violência sexual. Trabalho, Educação e Saúde, 16, 1039-1055. 10.1590/1981-7746-sol00156

Mota, A. R., Machado, J. C., Santos, N. A., Simões, A. V., Pires, V. M. M. M. & Rodrigues, V. P. (2020). Práticas de cuidado da(o) enfermeira(o) à mulher em situação de violência conjugal. R. pesq.: cuid. Fundam, (12), 840-849. 10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7814

Mota, J. A. & Aguiar, R. S. (2020). Percepções de enfermeiros da atenção primária no atendimento às mulheres vítimas de violência sexual. Revista Nursing, 23 (262), 3648-3651. Disponível em: http://www.revistanursing.com.br/revistas/262/pg31.pdf Acesso em: 10 março 2022.

Onça, J. S. & Silva, D. A. (2020). Violência sexual no Brasil: perfil epidemiológico (2009- 2017). Revista INTELECTO, (3), 1-10.

Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) (2020). COVID-19 e a violência contra a mulher O que o setor/sistema de saúde pode fazer. Organização Pan-Americana de Saúde, 1-4. Disponível em: https://www.paho.org/pt/documents/covid-19-and-violence-against-women-what-health-sectorsystem-can-do Acesso em: 10 março 2022.

Penna, L. H. G., Antunes, T. C. S., Santos, T. P. S., Ribeiro. L. V., Félix, F. O. & Almeida, K. A. R. (2017). Caracterização da violência sexual vivida por mulheres atendidas em unidade hospitalar de referência. Revista Enfermagem Atual, (81), 24-29. 10.31011/reaid-2017-v.81-n.19-art.318

Rodrigues, W. F. G., Rodrigues, R. F. G. & Ferreira, F. A. (2017). Violência contra a mulher dentro de um contexto biopsicossocial um desafio para o profissional da enfermagem. Rev enferm UFPE, 11(4), 1752-1758. 10.5205/1981-8963-v11i4a15247p1752-1758-2017

Santos, S. C. S, Barros, P. A., Delgado, R. F. A, Silva, L. V. L., Carvalho, V. P. S. & Alexandre, A. C. S. (2018). Violência contra a mulher: como os profissionais na atenção primária à saúde estão enfrentando está realidade? Revista Saúde e Pesquisa,11 (2),359-368. 10.17765/1983-1870.2018v11n2p359-368

Shohel, M, Rahman, M. M., Zaman, A., Uddin, M. M., Al-Amin, M. M., Reza, H. M. (2014). A systematic review of effectiveness and safety of different regimens of levonorgestrel oral tablets for emergency contraception. BMC Women's Health, 14:54. 10.1186/1472-6874-14-54

Silva, E. B., Padoin, S. M. M. & Vianna, L. A. C. (2013). Violência contra a mulher: limites e potencialidades da prática assistencial. Acta Paulista de Enfermagem, 26(6), 608-613. 10.1590/S0103-21002013000600016

Silva, V. G. & Ribeiro, P. M. (2020). Violência contra as mulheres na prática de enfermeiras da atenção primária à saúde. Esc Anna Nery, 24 (4):1-7. 10.1590/2177-9465-EAN-2019-0371

Trigueiro, T. H., Silva, M. H., Merigh, M. A. B., Oliveira, D. M. & Jesus, M. C. P. (2017). O sofrimento pisíquico no cotidiano de mulheres que vivenciaram a violência sexual: Estudo fenomenológico. Escola Anna Nery, 21(3), 1-7. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2016-0282

Trigueiro, T. H., Silva, M. H., Oliveira, D. M., Jesus, M. C. P. & Merigh, M. A. B. (2018). Não adesão ao seguimento ambulatorial por mulheres que experienciaram a violência. Texto & Contexto Enferm 27(1), 1-9. 10.1590/0104-07072018006490015

Waiselfisz JJ. Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil. Brasília, 2015.

Zuchi, C. Z., Silva, E. B., Costa, M. C., Arboit, J., Fontana, D. G. R., Honnef, F. & Herisler, E. D. (2018). Violência contra as mulheres: concepções de profissionais da Estratégia Saúde da Família acerca da escuta. REME Rev Min Enferm, (22), 1085. 10.5935/1415-2762.20180015

Published

03/06/2022

How to Cite

PEREIRA, R. R. .; BENEDITO, R. P. L. .; NASCIMENTO, G. G. .; OLIVEIRA, S. R. de . The role of the nurse in assisting women victims of sexual violence in Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e53411730399, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30399. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30399. Acesso em: 4 jul. 2022.

Issue

Section

Health Sciences