Assessment of the knowledge of dental students on biosafety

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.31674

Keywords:

Exposure to biological agents; Occupational risk; Dental student; Teaching.

Abstract

Dental surgery is exposed to a wide variety of microorganisms, due to the flow of care, which can be different from an infectious disease, without developing the disease and presenting the symptoms and symptoms of the disease. Thus, a potential chain of cross-infection is installed, from one patient to another for the professional himself and his work team. Thus, the aim of this study was to evaluate the knowledge and conduct of dentistry studies in relation to biosafety. Thus, the students of a Dentistry question from the São Paulo survey who agreed to build a Faculty of Dentistry built 18 questions. Observing 15367 (%) of the studies that never participated in the event with the theme that they never had knowledge about safety, 157 (6%) thought they had knowledge about cross-infection. When asked if they knew what personal protective equipment and collective protective equipment are, most answered yes. In matters of safe conduct issues that address the security relationship of the updated business portfolio 93.8% (212) In relation to an exchange of all mechanics in the care of each patient 87.2% of the costs (197) of the calculations of comparison of all necessary exchange. In the operation of the prewash, mechanical washing, disinfection and sterilization steps were identified printing and handling. It was concluded that the security services, showed knowledge about bio-infection, note the steps of infection control of the instrument.

References

American Dental Association (ADA). Oral Health Topics: Infection Control and Sterilization. https://www.ada.org/en/member-center/oralhealth-topics/infection-control-resources. Last updated: 2022.

Silva, P. M. F., Haddad, J. P., Vieira, C. D. & Santos S. G. (2021). Avaliação da distribuição regional do risco sanitário dos Estabelecimentos de Assistência Odontológica no Estado de Minas Gerais, no período entre 2015-2016. Brazilian Journal of Development, 7(9): 90455-90475

Bustamante, A. M. F., Herrera, M. J., Ferreira, A. R. & Riquelme S. D. (2014). Contaminación bacteriana generada por aerosoles en ambiente odontológico. Int J Odontostomat., 8(1):99-105.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços Odontológicos: Prevenção e Controle de Riscos / Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Santos, F. S., Scannavino, F. L. F. & Martins A. T. (2009). Biossegurança: cuidados evitam riscos de infecção cruzada nos atendimentos odontológicos. Rev. Assoc Paul Cir Dent., 63:117

Pinelli, C., Garcia, P. P. N. S., Campos, J. A. D. B, Dott,a E. A. V. & Rabello A. P. (2011). Biossegurança e odontologia: crenças e atitudes de graduandos sobre o controle da infeção cruzada. Saúde Soc, 20 (2): 448-461.

Arantes, C. D., Hage, A. C., Nascimento, S. L. & Pontes C. S. F. (2015). Biossegurança aplicada à odontologia na universidade Federal do Pará, cidade de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Pan Amaz Saúde, 6(1):5-16.

Figueiredo, A. V., Nova, V. G. B., Silva, C. R. M., Firmo, A. C. W. & Santos O. D. (2018). Conhecimento sobre biossegurança dos alunos concludentes da área da saúde de uma instituição de ensino superior privada na cidade de Bacabal-MA. InterfacEHS – Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade, São Paulo, 13(2):76-86.

Melo, B. N. R. T., Costa, S. P., Oliveira, S. V., Diniz, G. A. M. & Junior O. G. A. M. (2020). Avaliação do controle das medidas de biossegurança adotadas por acadêmicos de Odontologia. Revista Eletrônica Acervo Científico., 8(2112):1-7.

Teixeira, D. C., Oliveira, J. D. & Corrêa A. K. M. (2020). Avaliação da conduta de biossegurança na prática clínica entre acadêmicos do curso de odontologia – revisão de literatura. Braz. J. Develop., 6 (12): 100782-100788.

Pimentel, J. M., Filho, B. V. M. M., Santos, P. J. & Rosa D. R. M. (2012). Biossegurança: comportamento dos alunos de Odontologia em relação ao controle de infecção cruzada. Cad. Saúde Colet., 20 (4): 525-32.

Antunes, T. L. N., Ponciano, F. R., Terra, G. T. C. & Ferriello V. (2014). Avaliação sobre biossegurança com alunos de graduação do curso de odontologia da universidade Ibirapuera. J. Biodent. Biomat: 46-55.

Zocratto, F. B. K., Silveira, V. M. A., Arantes, B. C. D. & Borges V. L. (2016). Condutas dos estudantes na clínica odontológica integrada em relação às normas de controle de infecção e biossegurança. RFO, 21(2):213-218.

Santos, F. S., Scannavino, F. L. F., Martins, A. T., Pereira, A. M., Silva, R. F. & Lima A. M. (2009). Protocolo de biossegurança do curso de odontologia do UNIFEB - controle de infecção na descontaminação do instrumental. Rev. Ciência e Cultura, 4 (2): 47-52.

Pavelski, C. F., Techy, E. P., Silva, G. O., Pabis, J. L., Silva, L. M. & Portes E. C. C. (2019). Conhecimento dos acadêmicos de odontologia sobre medidas de biossegurança. < https://cescage.com.br/revistas/index.php/JournalofHealth/article/view/932/403>

Lopes, A. L., Rodrigues, L. G., Zina, L. G., Palmier, A. C., Vargas-Ferreira, F., Nogueira Guimarães, de Abreu M. H. & Vasconcelos M. (2019). Biossegurança em Odontologia: conduta dos estudantes antes e após uma ação educativa. Revista Da ABENO, 19(2), 43–53. https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i2.811

Thomé, G., Bernardes, S. R., Guandalini, S. & Guimarães, M. C. V. (2020). Manual de Boas Práticas em Biossegurança para Ambientes Odontológicos. <https://website.cfo.org.br/wp-content/uploads/2020/04/cfo-lanc%CC%A7a-Manual-de-Boas-Pra%CC%81ticas-em-Biosseguranc%CC%A7a-para-Ambientes-Odontologicos.pdf> Acesso em 11/01/2022.

de Bastos, A. P. S., Brito, M. A. R., Ferreira, J. de L. R., Ferreira, J. G. de O. R., Araujo, V. S. C., Val, H. M. C., Mouta, A. A N., Campelo, Y. D. M., de Jesus, J. R. & Beltrão, R. P. L. (2020). Equipamentos de proteção individual e a adesão do conhecimento dos profissionais e acadêmicos: revisão integrativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (53), e3764. https://doi.org/10.25248/reas.e3764.2020

Maia, C. R., Santos, A. A., Sá, J. C., Santos, M. A. S., & Santos, B. R. M. (2021). Conhecimento e aplicabilidade sobre normas de biossegurança por discentes de odontologia, cirurgiões-dentistas e auxiliares de saúde bucal (ASB) da rede pública e privada de saúde. Brazilian Journal of Development, 7(8): 75791-75806.

Trezena, S., Farias, L. P. M., Barbosa, G. F. A., Costa, S. de M., Barbosa Júnior, E. de S., & Coelho Pinto, M. de Q. (2020). Práticas em biossegurança frente aos acidentes ocupacionais entre profissionais da odontologia. Arquivos em Odontologia, 56.

Lucena, N. T., Petruzzi, . M. N. M. R., Cherubini, K., Salum, F., & Figueiredo, M. A. Z. (2016). Conhecimento, atitudes e práticas dos estudantes de Odontologia com relação a pacientes HIV positivos. RFO, 21(3): 388-394.

Medeiros, U. V., Cardoso, A. S. & Ferreira S. M. S. (1998). Uso das normas de controle de infecção na prática odontológica. Rev Bras Odontol., 55(4):209-15.

Esteves, L. M. B., Pires, J. R., Barroso, E. M., Scannavino, F. L., & Santos, F. de S. dos. (2022). Occurrence of occupational accidents in a teaching clinic in the state of São Paulo: a retrospective study. Research, Society and Development, 11(1), e5011124398. https://doi.org/10.33448/rsd-v11i1.24398

Published

07/07/2022

How to Cite

OLIVEIRA, J. I. de .; ESTEVES, L. M. B. .; BARROSO, E. M. .; SANTOS, F. de S. dos . Assessment of the knowledge of dental students on biosafety . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e20111931674, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.31674. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/31674. Acesso em: 13 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences