Use of technologies for monitoring and preventing cervical neoplasms: Integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.32414

Keywords:

Primary Health Care; Cervical Neoplasms; Technology; Biomedical Technology; Information technology.

Abstract

Objective: To identify the use and impacts of technologies for monitoring and preventing cervical cancer in primary health care. Method: Integrative literature review, using the databases: Scielo, Lilacs and BDFEN, considering the years 2011 to 2021, 373 articles were initially found in the databases, after applying inclusion and exclusion criteria to the sample of this study had 11 articles. Results: During the study, there was a greater use of light and light-hard technologies in the screening of cervical cancer. The most used technologies are "Manual control books", "CCU Tracking Program Indicators", "Educational Technology", "Educational Phone Call and Reminder", "Active Search", "Invitation Card", "Musical Development", “Educational approach” and “Reception”, we had some significant results with the use of these technologies in a short period of time. However, for long-term management and control, hard technology proved to be more efficient. With technological advances, it is possible to develop control tools through the use of mobile applications, software and other technologies. Final considerations: The use of technologies in health care services is still an obstacle to be overcome in Brazil. Science and technology are fundamental for the prevention and treatment of diseases and also for health organization and management. In this way, we believe that to ensure that all women have access to screening tests, in addition to light and light-hard technological interventions, greater investment in hard technology is necessary.

References

Anjos, E. F. D., Martins, P. C., Prado, N. M. B. D. L., Bezerra, V. M., Almeida, P. F. D., & Santos, A. M. D. (2021). Monitoramento das ações de controle do câncer cervicouterino e fatores associados. Texto & Contexto-Enfermagem, 30.

Barbosa, S. F. F., & Sasso, G. T. M. D. (2007). Internet e saúde: um guia para os profissionais. Blumenau: Nova Letra.

Brasil, (2012). Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação-Geral de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Nomenclatura brasileira para laudos citopatológicos cervicais. (3a ed.), Inca. Brasília.

Brasil (2016). Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero. (2a ed.), I. N. C. A.

Brasil (2010). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Rastreamento (Série A: Normas e Manuais Técnicos. Cadernos de Atenção Primária nº29). Brasília.

Davilla, M. D. S. D., Primo, C. C., Almeida, M. V. D. S., Leite, F. M. C., Sant’Anna, H. C., Jensen, R., & Lima, E. D. F. A. (2021). Objeto virtual de aprendizagem sobre rastreamento do câncer do colo do útero. Acta Paulista de Enfermagem, 34.

Da Silva, M. A., de Freitas, H. G., Ribeiro, R. L., Oliveira, M. N. L., de Araújo Sanches, F. C., & Thuler, L. C. S. (2018). Fatores que na visão da mulher, interferem no diagnóstico precoce do câncer do colo do útero. Revista Brasileira de Cancerologia, 64(1), 99-106.

De Holanda, J. C. R., de Oliveira, M. H. H. P., do Nascimento, W. G., Gama, M. P. A., & Sousa, C. S. M. (2021). Uso do protocolo de saúde da mulher na prevenção do câncer de colo do útero. Revista Baiana de Enfermagem, 35.

De Paula, T. C., Ferreira, M. D. L. S. M., Marin, M. J. S., Meneguin, S., & Ferreira, A. S. S. B. S. (2019). Detecção precoce e prevenção do câncer de colo uterino: saberes e práticas educativas. Enfermagem em Foco, 10(2).

De Souza Pereira, J., de Oliveira, É. P. O., de Lira Teixeira, J., de Aviz, L. E., da Silva, K. B., Raiol, I. F., & Neto, J. R. S. (2020). Tecnologia no cuidado como instrumento de diagnóstico do câncer no colo do útero: um relato de experiência. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (42), e2260-e2260.

Dias, E. G., de Carvalho, B. C., Alves, N. S., Caldeira, M. B., & Teixeira, J. A. L. (2021). Atuação do enfermeiro na prevenção do câncer do colo de útero em Unidades de Saúde. Journal of Health & Biological Sciences, 9(1), 1-6.

Farnese, J. M., & Hoffmann, E. J. (2013). Avaliação do Rastreamento Para Câncer de Colo Uterino em Duas Equipes de Estratégia Saúde da Família em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Revista Baiana de Saúde Pública, 37(1), 34-34.

Fernandes, G. L., Santos, R. E. D., Malafaia, O., & Aoki, T. (2012). Development of an electronic protocol for uterine cervical cancer. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, 39, 28-32.

Gondim, R., Grabois, V., & Mendes, W. (2011). Qualificação de gestores do SUS. (pp. 480-480).

INCA, (2014). Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2014. Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro, RJ.

Iwamoto, K. O. F., Teixeira, L. M. B., & Tobias, G. C. (2017). Estratégia de vacinação contra HPV. Rev. Enferm. UFPE on line, 5282-5288.

Kury, C. M. H., Chacur, A. D., Rodrigues, C. S., Moraes, R. L. D., Freixo, H. O., Lopes, A. V. V., & Cruz, O. G. (2016). Impacto precoce na redução de anormalidades cervicais em campos dos goytacazes, rj, brasil, depois da introdução de vacina quadrivalente de hpv em meninas de 11 a 15 anos: é hora de pensar em vacinas hpv para rapazes? DST J. bras. doenças sex. transm, 44-49.

Leite, A. C., Silva , M. P. B., Alves, R. S. S., Feitosa, L. M. H., Ribeiro , R. do N., Prado, A. de M., Silva, L. dos S. B., Sousa, I. R. X. D., Fé, T. R. de M., Oliveira, S. S., Prudêncio, L. D., Silva, L. A., Sousa, B. B. de, Mendes, A. M., Avelino, J. T., Sousa Neta, R. da S., Carvalho, G. G., Costa, M. dos M. S. da, Sousa, A. da S., Oliveira, A. E. A. de, & Soares, N. C. F. B., (2020). Atribuições do enfermeiro no rastreamento do câncer de colo do útero em pacientes atendidas na Unidade Básica de Saúde. Research, Society and Development.

Lima, T. M., Nicolau, A. I. O., Carvalho, F. H. C, Vasconcelos, C. T. M., Aquino, P. D. S., & Pinheiro, A. K.B., (2017). Intervenções por telefone para adesão ao exame colpocitológico1. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 25.

Lorenzetti, J., Trindade, L. D. L., Pires, D. E. P. D., & Ramos, F. R. S. (2012). Technology, technological innovation and health: a necessary reflection. Texto & Contexto-Enfermagem, 21, 432-439.

Maciel, N. D. S., Luzia, F. J. M., Ferreira, D. D. S., Ferreira, L. C. C., Mendonça, V. D. M., Oliveira, A. W. N., & Sousa, L. B. D. (2021). Busca ativa para aumento da adesão ao exame Papanicolau. Rev. Enferm. UFPE on line, 1-11.

Lira, R. A. D. (2019). Desenvolvimento de um aplicativo para fortalecimento do acesso à atenção primária. Orientadora: Ana Luiza de Oliveira. 2019. 28 f. Monografia (Especialização) - Curso de Residência Multiprofissional em Atenção Básica, Universidade Federal Rio Grande Norte.

Maia, M. N., da Silva, R. P. D. O., & dos Santos, L. P. R. (2018). A organização do rastreamento do câncer do colo uterino por uma equipe de Saúde da Família no Rio de Janeiro, Brasil. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 13(40), 1-10.

Medeiros, K. R. D., Machado, H. D. O. P., Albuquerque, P. C. D., & Gurgel Junior, G. D. (2005). O Sistema de Informação em Saúde como instrumento da política de recursos humanos: um mecanismo importante na detecção das necessidades da força de trabalho para o SUS. Ciência & Saúde Coletiva, 10, 433-440.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. D. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto-enfermagem, 17, 758-764.

Mendes, Y. L. C., de Mesquita, K. O., & Lira, R. C. M. (2015). Prevenção do câncer de colo uterino: analisando a atuação do enfermeiro da atenção primária à saúde. SANARE-Revista de Políticas Públicas, 14(2).

Nicolau, A. I. O., Lima, T. M., Vasconcelos, C. T. M, Carvalho, F. H. C., Aquino, P. D. S., & Pinheiro, A. K. B., (2017). Intervenções por telefone nativo ao recebimento do laudo colpocito: ensaio clínico randomizado 1. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 25.

Oliveira, R. G. D. (2009). Qualificação de gestores do S. U. S., organizado por Roberta Gondim de Oliveira, Victor Grabois e Walter Vieira Mendes Júnior. Rio de Janeiro, RJ: E. A. D./Ensp.

Oliveira, R. R. R. (2020). Tecnologia móvel e rastreamento do câncer cervical: desenvolvimento de intervenção a partir de estudo de base populacional. 113 f. 2020. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) – Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto.

Oliveira (2016). Reynaldo Gomes de. Blackbook – Enfermagem. Belo Horizonte: Blackbook Editora.

O. M. S., (2020). Programa de controle do câncer (organização mundial da saúde); organização mundial da saúde. Saúde reprodutiva. Rastreamento do câncer do colo do útero em países em desenvolvimento: relatório de uma consulta da O. M. S., Organização Mundial da Saúde.

Paim, J. (2005). Sistema de vigilância da saúde: tendências de reorientação de modelos assistenciais para a promoção da saúde. Czeresnia D, Freitas C. M., originadores. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: FIOCRUZ.

Paula, P. F. D., Anjos, S. D. J. S. B. D., Sousa, C. S. P. D., Pinheiro, P. N. D. C., Pinheiro, A. K. B., & Aquino, P. D. S. (2016). Música como tecnologia na prevenção do câncer de colo uterino. Ciênc. cuid. saúde, 180-186.

Pazinato, M. (2016). Plano de intervenção para atuação da equipe de enfermagem da ESF no controle e prevenção do câncer do colo de útero. Universidade Aberta do SUS.

Pereira Filho, J. L, Azevedo, G. C. A., Theodoro, T. F, Bonfim, B. F, de Matos Monteiro, P., Arouche, R., & do Nascimento Silva, S. (2021). Câncer do colo do útero: Análise epidemiológica e citopatológica no Município de São Luís, Estado do Maranhão, Brasil. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10 (8).

Peuker, A. C., Lima, N. B. D., Freire, K. D. M., Oliveira, C. M. M. D., & Castro, E. K. D. (2017). Construção de um material educativo para a prevenção do câncer de colo do útero. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 8(2), 146-160.

Romero, L. S., Shimocomaqui, G. B., & Medeiros, A. B. R. (2017). Intervenção na prevenção e controle de câncer de colo uterino e mama numa unidade básica de saúde do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 12(39), 1-9.

Ross, J. D. R., Leal, S. M. C., & Viegas, K. (2017). Rastreamento do câncer de colo de útero e mama. Rev. enferm. U. F.P. E on line, 5312-5320.

Da Silva, M. A., de Freitas, H. G., Ribeiro, R. L., Oliveira, M. N. L., de Araújo Sanches, F. C., & Thuler, L. C. S. (2018). Fatores que na visão da mulher, interferem no diagnóstico precoce do câncer do colo do útero. Revista Brasileira de Cancerologia, 64(1), 99-106.

Silva, N., & Horostecki, M. F. (2014). Percepções dos gestores sobre os comportamentos dos funcionários em situações de mudanças tecnológicas. Psicol. argum, 9-13.

Tiago, K. dos S., Souza, M. L. N., & Borges, P. F. da C. (2021). A eficácia das ações de educação em saúde no controle e prevenção das neoplasias do colo do útero. Research, Society and Development, 10(16).

Thum, M., Heck, R. M., Soares, M. C., & Deprá, A. S. (2008). Câncer de colo uterino: percepção das mulheres sobre prevenção. Ciência, Cuidado e Saúde, 7(4), 509-516.

Vasconcelos, C. T. M., Pinheiro, A. K. B., Nicolau, A. I. O., Lima, T. M., & Barbosa, D. D. F. F., (2017). Comparação da intervenção de intervenção na taxa de retorno para recebimento do laudo colpocilógico: experimental randomizado controlador. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 25.

Published

01/11/2022

How to Cite

FRUTUOSO, A. K. M.; LEITE, C. L.; SANTOS, E. C. de S. V.; QUEIROZ, G. C. S. .; LIMA, K. V. M. .; BARBOSA, M. S. N.; ANJOS, M. da S. dos .; CARVALHO, M. L. de S.; QUEIROZ, P. dos S. S.; LIMA JUNIOR, F. A. . Use of technologies for monitoring and preventing cervical neoplasms: Integrative literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e423111432414, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.32414. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32414. Acesso em: 10 dec. 2022.

Issue

Section

Review Article