Territorial Governance/Instances of Governance for Tourism Development in the Serras e Lago tourist region in Tocantins

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32673

Keywords:

Governance Instances; Tourism; Tocantins.

Abstract

In this article, the focus of considerations turns to the contour of the tourist region of Serras e Lago in the state of Tocantins and the importance of the performance of governance instances for regional tourism in the face of domestic tourism opportunities. The State of Tocantins has an expressive vocation for adventure tourism, cultural tourism and ecotourism. The segments are directly related to the principles of environmental, social and economic sustainability. Domestic tourism in Brazil has found significant opportunities in light of the sanitary conditions caused by COVID-19. The Ministry of Tourism reveals the increase in demand for national destinations to the detriment of international destinations. With this, tourist regions still little explored find alternatives to boost the development of the activity. However, the need for planning, organization and monitoring become a condition for the realization of alternatives. In this context, the role of governance instances assumes a leading role. To navigate the sea of opportunities identified by domestic tourism in Brazil, the state of Tocantins needs to position itself in an organized and planned manner to develop its potential associated with the management and performance of future and current governance instances.

References

Barboza Filha, M. L. (2014). A influência da urbanização turística na dinâmica espacial de destinos litorâneos: um estudo de Morro de São Paulo, na Bahia. UNIFACS Universidade Salvador, Laureate International Universities – Salvador, Bahia.

Bernardo, W. M., Nobre, M. R. C., & Jatene, F. B. (2004). A prática clinica baseada em evidências. Parte II: buscando as evidências em fontes de informação. Rev Assoc Med Bras.

Boullón, R. (2002). Planejamento do espaço turístico. São Paulo, EDUSC.

Brasil. Ministério do Turismo. (2015). PDITS Polo Palmas. Produto 6 – Versão Final, Brasília -DF

Brasil. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. (2007). Programa de Regionalização do Turismo - Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 3: Institucionalização da Instância de Governança Regional / Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Regionalização. – Brasília, 54 p.

Dallabrida, V. R. (2007). A gestão territorial através do diálogo e da participação. IX Colóquio Internacional de Geocrítica, Porto Alegre, UFRGS.

Gil, A. C. (1994). Métodos e técnicas de pesquisa social. (4ª ed.), Atlas.

Monteiro Neto, A., & Castro, C. N. (2022). Desenvolvimento regional no Brasil:políticas,estratégiaseperspectivas.Brasília:IPEA.468p. https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/20170213_livro_desenvolvimentoregional.pdf.

Observatório do Turismo. (2022). Portal institucional. http://www. observatorio.turismo.to.gov.br.

Oliveira, N. M. (2021). Revisitando algumas teorias do desenvolvimento regional. Revising classical regional development theories. Informe GEPEC, [S. l.], 25(1), 203–219, 2021.10.48075/igepec.v25i1.25561. https:// e-revista.unioeste.br/ index.php/gepec/ article/view/ 25561.

OMT. (2001). Introdução ao turismo. Tradução: Dolores Martin Rodriguez Comes. Roca.

Perroux, F. (1967). A economia do século XX. Herder.

Pires, E. L. S., [et al.]. (2011). Governança territorial: conceito, fatos e modalidades. Rio Claro, SP, UNESP – IGCE, Programa de Pós-graduação em Geografia.

Porter, M. E. (org.). (1999). Competição: Estratégias Competitivas Essenciais. Rio de Janeiro, Elsevier.

Porter, M. E. (org.). (1993). A vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro.

Santos, M. (1978). Por uma Geografia Nova. Hucitec, Edusp.

Sasaki, K. (2006). Turismo e sustentabilidade: a experiência do artesanato de palha de Porto de Sauípe-BA. Salvador, Sathyarte.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo, Companhia das Letras.

Silva, J. A. S. (2004). Turismo, crescimento e desenvolvimento: uma análise urbano-regional baseada em Cluster. Tese (Doutorado) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Teles, R. (2009). Fundamentos geográficos do turismo, Elsivier.

Published

02/08/2022

How to Cite

MELO, M. L. B. .; SILVA, V. C. da .; ALMEIDA, R. J. L. .; CARDOSO, I. R. M. . Territorial Governance/Instances of Governance for Tourism Development in the Serras e Lago tourist region in Tocantins. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e321111032673, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32673. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32673. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Review Article