Gastrintestinal parasites of residents of Vigário pond, Rio de Janeiro state and analysis of pond water quality

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32789

Keywords:

Zoonosis; Feces; Parasites; Water; Environment.

Abstract

The objective of the present research was to diagnose and determine the frequency of protozoan and helminth species that affect the population of Lagoa do Vigário located in Campos dos Goytacazes, State of Rio de Janeiro, and to evaluate the physical-chemical and microbiological parameters of the waters of the lagoon. For that, 70 fecal samples were collected with the CoproPlus® collectors and the coproparasitological exams were performed according to the manufacturer's specifications. With the aid of a GPS device, water samples were collected from five points and physical-chemical and microbiological parameters were analyzed. Of the 70 people who participated in the study, 35% were infected by some parasite specie. The protozoa Endolimax nana, Giardia duodenalis, Entamoeba histolytica/dispar, Blastocystis hominis, Entamoeba coli and Iodamoeba butschlii were diagnosed, in addition to helminths such as Enterobius vermiculares and Strongyloides stercolaris. All water collection points showed contamination for total and thermotolerant coliforms with values greater than 2419.6 NMP / 100 mL. It is concluded that the results of this study demonstrate that the parasitic profile of the people who live around the lagoon is closely related to the precarious conditions of hygiene and education of individuals. The discharge of domestic effluent renders the water unsuitable for primary and secondary contact activities at some points analyzed. However, it is extremely important to apply Environmental Education projects to raise awareness and change the health habits of the population, guiding them in the search for a better quality of life.

References

Andrade, E. C., Leite, I. G., Rodrigues, I. O. & Cesca, M. G. (2010). Parasitas intestinais: uma revisão de seus aspectos sociais, epidemiológicos, clínicos e terapêuticos. Revista de APS, 13 (2), 231-240.

Andreis, A., Schuh, G. M. & Tavares, R. G. (2008). Contaminação do solo por parasitas e ocorrências de doenças intestinais. Estudos, 35 (6), 1169-1177.

Araújo, G. F. R., Tonani, K. A. A., Julião, F. C., Cardoso, O. O., Alves, R. I. S., Ragazzi, M. F., Sampaio, C. F. & Segura-Muñoz, S. I. (2011). Qualidade físico-química e microbiológica da água para o consumo humano e a relação com a saúde: estudo em uma comunidade rural no estado de São Paulo. Mundo Saúde, 35 (1), 98-104.

Barreto, T. C., Ribeiro, K. S., Marques, A. T. & Santos, C. M (2012). Levantamento das principais parasitoses intestinais que acometem crianças da comunidade Tamarindo em Campos dos Goytacazes-RJ. Revista POBS, 7 (2), 53-61.

Brasil (2005). Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem com estabelece as condições e padrões de lançamento de efluente, e dá outras providências. CONAMA. http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf.

Brito, A. M. G., Melo, C. M., Reis, A. A., Brito, R. G. & Madi, R. R. (2013). Protozoário comensal em amostra fecal: Parâmetro para prevenção de infecção parasitária via fecal-oral. Scire Salutis, 3 (2), 17-22.

Busato, M. A., Dondoni, D. Z., Rinaldi, A. L. S. & Ferraz, L. (2015). Parasitoses intestinais: o que a comunidade sabe sobre este tema? Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 10 (34), 1-6.

Cociancic, P., Torrusio, S. E., Zonta, M. L., Navone, G. T. (2020). Risk factors for intestinal parasitoses among children and youth of Buenos Aires, Argentina. One Health 9:100116, 1-5.

Cunha, H. F. A., Lima, D. C. I., Brito, P. N. F., Cunha, A. C., Junior, A. M. S. & Brito, D. C. (2012). Qualidade físico-química e microbiológica de água mineral e padrões da legislação. Revista Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science, 7 (3), 155-165.

Esteves, B. S. (2006). Biomassa, produtividade primária e composição nutricional de Typha domingensis Pers. na lagoa do Campelo, RJ. Universidade Estadual do Norte Fluminense. Dissertação em Ecologia e Recursos Naturais.

Ferreira, G. R. & Andrade, C. F. S. (2005). Alguns aspectos socioeconômicos relacionados a parasitoses intestinais e avaliação de uma intervenção educativa em escolares de Estiva Gerbi, SP. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 38, 402-405.

Fregonesi, B. M., Sampaio, C. F., Ragazzi, M. F., Tonani, K. A. A., Segura-Muñoz, S.I. (2012). Cryptosporidium e Giardia: desafios em águas de abastecimento público. Mundo Saúde, 36, 602-609.

Ijaz, M. K., Talukder, K. A., Aslam, M., Haque, R., Ganguly, S., Azmi, I. J, Hossain, M. S., Mukherjee, A. K., Raj, D., Ahmed, I., Kamal, J., Rubino, J. R. & Nur-e-Kamal, A. (2013). Natural contamination of human hands with enteric parasites in Indian Subcontinent. World Journal of Clinical Infectious Diseases, 3 (2), 13-19.

Khadka, S., Sapkota, S., Adhikari, S., Dubey, A.K., Thapa, A., Bashyal, R., Bhusal, H. (2021). Intestinal Parasitoses among Chepang and Musahar Community People of Makwanpur and Nawalparasi Districts of Nepal. Acta Parasitologica, 66 (1):146-154.

Lima, K. S., Soares, D. A. S., Costa, F. É. V. & Cruz, R. H. R. (2019). Recursos hídricos e monocultura de Palma: a problemática socioambiental no caso do rio Uesugi, em Igarapé-açu (Pará/Brasil). Revista GeoAmazônia, 7, 142-167.

Lopes, T. V., Fernandes, C. O. M., Michelon, L., Hijano, A., Félix, S. R., Schons, S. V. & Nobre, M. O. (2014) Parasitas zoonóticos em fezes de cães de praças públicas em municípios da região sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, 8 (2), 242-250.

Lopes, L. F & Peres, P. E. (2010). Incidência de parasitoses humanas diagnosticadas no município de Rosário do sul-RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 1 (1), 41-46.

Ludwig, K. M., Frei, F., Filho, F. A. & Paes, J. T. R. (1999). Correlação entre condições de saneamento básico e parasitoses intestinais na população de Assis, Estado de São Paulo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 32 (5), 547-555.

Manfroi, A, Stein, A.T & Castro Filho, E.D. (2009). Abordagem das parasitoses intestinais mais prevalentes. Projeto Diretrizes, 1-26.

Melo, J. F. M. (2010). Diagnóstico da qualidade de água de abastecimento na comunidade de Santa Cruz, em campos dos Goytacazes (RJ), educação ambiental e alternativas sanitárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, IFF.

Mitsch, W. J. & Gosselink, J. G. (2000). The Value of Wetlands: Importance of Scale and Landscape Setting. Ecological Economics. Ecological Economics, 35, 25-33.

Neves, D. P., Melo, A. L., Linardi, P. M. & Vitor, R. W. A. (2016). Parasitologia Humana. 13ª ed. São Paulo: Editora Atheneu.

Nunes, A. L. B. P., Cunha, A. M. O., Marçal Junior, O. (2006). Coletores de lixo e enteroparasitoses: o papel das representações sociais em suas atitudes preventivas. Ciência & Educação (Bauru), 12 (1), 25-38.

de Paula, S. M., Ramires, I., Da Silva, F. G., Conticelli, T. K., De Gênova, K. B., Brabes, K. C. DA S., Negrão, F. J. (2013). Qualidade da água do rio Dourados, MS – parâmetros físico-químicos e microbiológicos. Evidência, 13 (2), 83–100.

Pereira, A. P. M. F., Alencar, M. F. L., Cohen, S.C., Souza-Júnior, P. R. B., Cecchetto, F., Mathias, L. S., Santos, C. P., Almeida, J. C. A. & De Moraes Neto, A. H. A. (2012). The influence of health education on the prevalence of intestinal parasites in a low-income community of Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro State, Brazil. Parasitology, 139, 791–801.

Pestana, M. S. V. (2015). Saneamento: um indicador de qualidade de vida na comunidade do entorno da Lagoa do Vigário. Monografia apresentado ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, campus Campos-Centro.

Ribeiro, J. W. & Rooke, J. M. S. (2010). Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde pública. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Colegiado do Curso de Especialização em Análise Ambiental da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Rodrigues, R. M., Prado, G. P., Rubini, B., Marcon, C., Ternus, C., Couto, C., Casarotto, C., Rempel, G., Wronski, J. L., Corradidalazen, J. V., Dariff, M. S. T., Mellanidumke, Maritssadacol, P., Herrmann, R. & Hublerfigueiro, T. (2013). A Importância da Higiene no Combate as Parasitoses Intestinais, Sul Brasil Rural.

Santos, A. S. & Merlini, L. S. (2010). Prevalência de enteroparasitoses na população do município de Maria Helena, Paraná. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 15 (3), 899-905.

Santos, R. S. & Mohr, T. (2013). Saúde e qualidade da água: Análises Microbiológicas Físico-Químicas em Águas Subterrâneas. Revista Contexto & Saúde, 13 (24), 46-53.

Skenderovic, I., Kalac, B., & Becirovic, S. (2015). Environmental pollution and waste management. Balkan Journal of Health Science, 3 (1), 1-10.

Souza, F.P. (2009). Estudo de Ocupação Espontânea na Lagoa do Vigário, no Município de Campos dos Goytacazes - RJ, propostas mitigadoras e amparo legal. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, Campus Campos Centro.

Viana, L. G., Dias, D. F. S., Oliveira, V. P. S., Oliveira, M. M. (2013). Qualidade das águas da Lagoa do Tai, em São João da Barra, RJ. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, Campos dos Goytacazes: Essentia Editora, 7 (1), 139-151.

WHO. (2017). Universal and equitable access to safe water for all by 2030. https://www.who.int/water_sanitation_health/monitoring/coverage/water2017-930px.jpg.

WHO. (2019). Drinking-water. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/drinking-water.

Published

31/07/2022

How to Cite

GALLO, S. S. M.; EDERLI, N. B.; OLIVEIRA, F. C. R. de; PESTANA, M. dos S. V.; LIMA, R. M. Gastrintestinal parasites of residents of Vigário pond, Rio de Janeiro state and analysis of pond water quality. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e283111032789, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32789. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32789. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences