Sustainability indicators in municipal waste management in the municipality of Salvaterra (Ilha do Marajó-Pará)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32812

Keywords:

Salvaterra; PEIR Indicators methodology; Municipal solid waste.

Abstract

The municipality of Salvaterra is located on Ilha do Marajó and is one of the Brazilian municipalities where the final disposal of solid waste still occurs incorrectly. In this sense, the present work aimed to analyze the current scenario of solid waste management in the municipality of Salvaterra/PA through the PEIR (Pressure-State-Impact-Response) sustainability indicator system. The results demonstrate that the waste generated in the municipality is discarded in a dump located near the city and that the health service residues, produced in hospitals, are burned in the open in this same dump. There is no type of solid waste management, soil sealing or treatment of gases generated by the decomposition of city waste, which further aggravates the situation as water resources and soil can be contaminated by leachate, the population is vulnerable to contagion of vector-borne diseases and the burning of healthcare waste contributes to air pollution and can also cause respiratory disease. Thus, it is noted that the system of sustainability indicators PEIR proved to be an effective tool to carry out the first data collection and the municipal diagnosis on the reality of waste in Salvaterra, being, in this way, a starting point that can subsidize actions, stimulate and direct new studies and complement the construction of the municipal waste management plan.

Author Biographies

Maria Eduarda Assunção Ogorodnik , Universidade do Estado do Pará

Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária, pela Universidade do Estado do Pará. Pesquisadora com ênfase em gerenciamento de resíduos sólidos e sustentabilidade.

Heloiza Santos Borges, Universidade do Estado do Pará

Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade do Estado do Pará (UEPA). Mestranda no Programa de Pós Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA-UEPA), com ênfase nas áreas de estudo de ecossistemas amazônicos, desenvolvimento urbano e sustentabilidade.

Anne Sanches de Castro , Universidade Federal do Pará

Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental, pela Universidade Federal do Pará. Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, pela Faculdade Ideal (FACI).

Deyved Leonam Guimarães do Nascimento, Universidade Federal do Pará

Graduado em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará. Mestre em Engenharia Civil (Saneamento) pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC/UFPA). Participou do Grupo de Pesquisa Hidráulica e Saneamento da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária e Ambiental, com ênfase em Resíduos Sólidos, Abastecimento de Água, Esgotamento Sanitário, atuando no momento nos seguintes temas: Gerenciamento de Resíduos.

Octavio Cascaes Dourado Junior, Universidade do Estado do Pará

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade da Amazônia (1997), graduação em Direito pelo Centro Universitário do Estado do Pará (2009), Especialização em Direito Administrativo pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2020), Mestrado em Engenharia Civil - Hidráulica pela Universidade de São Paulo (2001) e Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido - Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - NAEA/UFPa (2011). Atualmente é professor Adjunto IV da Universidade do Estado do Pará, na área de Recursos Hídricos. Tem experiência em Direito, nas áreas de Direito Ambiental e Administrativo e Engenharia, com ênfase em meio ambiente e Recursos Hídricos.

 

Andrea Fagundes Ferreira Chaves, Universidade do Estado do Pará

Graduação em Engenharia Sanitaria pela Universidade Federal do Pará (2000), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (2002) e doutorado em Gestão pela Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro (2015). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, pesquisador da Universidade Estadual do Pará e professor assistente iii da Universidade Estadual do Pará. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Saneamento Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, gestão ambiental, aterro sanitário, gerenciamento e saude ambiental.

 

References

ABRELPE (2020). Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2020. https://abrelpe.org.br/panorama-2020/.

Barbosa, E. A. (2012). Resíduos sólidos: aspectos conceituais e classificação. In: Batista, R. C.; Barbosa, E. M; Barbosa, M. F. N. (Org.). Gestão dos Recursos Naturais. Rio de Janeiro: Ciência Moderna. p. 169-210.

Bezerra, A. M. S., Silva, A. N. B., Andrade, A. W. N., Honorato, N. R. M., Silva, A. P. F. (2019). Estudo de Impacto Ambiental do lixão municipal de Currais Novos, estado do Reio Grande do Norte – Brasil. Anais do 10º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos, João Pessoa, PB, Brasil.

Brandão Júnior, E. L. B., Bernardo, G. P., Bernardo, L. P., do Nascimento, S. I. B., Lima, B. F. R., da Silva, K. V. C. C., & Cavalcante, G. M. E. (2018). Queima Inadequada de Resíduos Sólidos Domésticos, Principais Gases Tóxicos e Manifestações Clínicas: Uma Revisão de Literatura. ID on line. Revista de psicologia, 12(42), 602-612.

Brasil (2010). Lei n.º 12.305/2010 – Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n.º 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, DF.

Brasil (2020). Lei nº 14.026/2020 – Atualiza o marco legal do saneamento básico. Brasília, DF.

Brito, A. L. C. & Cândido, G. A. (2015). Contribuições do sistema de indicador de sustentabilidade Pressão-Estado-Impacto-Resposta (P-E-I-R) na análise situacional da vulnerabilidade socioambiental das terras indígenas. Espacios, 36 (6), p.116.

Faleiros, F. Kappier, C., Pontes, F. A. R., Silva, S. S. D. C. Goes, F. D. S. N. D. & Cucick, C. D. (2016). Uso de questionário online e divulgação virtual como estratégia de coleta de dados em estudos científicos. Textro & Contexto-Enfermagem, 20.

IBGE (2021). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/salvaterra/panorama.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo.

Gouveia, N. (2012). Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro 17 (6), p.1502-1510.

Lopes, L. (2006). Gestão e Gerenciamento Integrados dos Resíduos Sólidos Urbanos: Alternativas para pequenos municípios. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Dept. de Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Lopes, M.G.(2019). Propostas de gestão de resíduos sólidos urbanos para municípios considerados como “pequeno porte”: sistematização de diretrizes e procedimentos relacionados à educação ambiental. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, Centro Universitário UNIFACVEST. Lages.

Marques, R.F.P.V., Silva, A.M., Rodrigues, L.S., Mendes, L.F., & Oliveira, A.S. (2021). Impactos da disposição de resíduos sólidos urbanos no solo em municípios de Minas Gerais–Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, 14(3), 1382-1392.

Mesquita Júnior, J. M. (2007). Gestão integrada de resíduos sólidos. Coordenação de Karin Segala. Rio de Janeiro: IBAM.

Moreira, R. S. (2016). Contribuições do sistema de indicador de sustentabilidade Pressão-Estado-Impacto-Resposta (P-E-I-R) na análise situacional do gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos em Aurora – CE. Monografia. Licenciatura em Ciências Biológicas. Universidade Federal de Campina Grande (UFCG/CFP). Cajazeiras.

Moreira, R.S., Barros, J. D. S, Silva, J. L. A., Araújo, J. T. & Pordeus, A. V. (2017). Sustentabilidade Socioambiental no gerenciamento de resíduos sólidos urbanos: estudo de caso com aplicação do modelo Pressão-Estado-Impacto-Resposta. Revista Espacios. 38 (58), p.5.

OECD - Organisation for Economic Co-operation and Development. (1998). Towards sustainable development: environmental indicators. Paris.

Oliveira, F. A., Miranda, R. A. & Soares, L. A. (2019). Impactos ambientais em áreas de disposição de resíduos sólidos em Santa Helena de Goiás. Revista Gesrão & Sustentabilidade Ambiental, 8 (1), p. 688-706.

Oliveira, T. B.& Galvão Junior, A. C. (2016). Planejamento municipal na gestão dos resíduos sólidos urbanos e na organização da coleta seletiva. Eng Sanit Ambient, 21 (1), p. 55-64.

Portella, M. O. & Ribeiro, J. C. J. (2014). Aterros sanitários: aspectos gerais e destino final dos resíduos. Revista Direito Ambiental e Sociedade, 4 (1), p. 115-134.

Reis, P.T.B.; Mattos, U.A.O. & Silva, E.R. (2018). Gestão municipal de resíduos sólidos urbanos à luz da Política Nacional de Resíduos: estudo de caso no município de Japeri, RJ, Brasil. Sistemas & Gestão, 13 (3), p. 321-333.

Reis, R. L., Peixoto, F. S., Miranda, C. D. S., Rosa, P. C. M., & Silva, C. H. (2019). Impactos socioambientais causados pela dinâmica do lixão do município de Bragança-PA, Brasil. Anais do 2º Congresso Sul-Americano de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade. Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Santos, E. F., Lara, D. M., & Prestes, M. M. B. (2021). Gestão compartilhada dos resíduos sólidos como instrumento para a educação ambiental na escola. Revista Brasileira de Meio Ambiente e Sustentabilidade, 1(2), 167-189.

Salvaterra. (2016). Lei nº 1.189/2016 – Institui a Política Municipal de Resíduos Sólidos; e define metas, princípios e diretrizes e dá outras providências. Salvaterra – PA.

Silva, K. K. B. (2019). Implementação de projeto integrado de compostagem e educação ambiental em uma escola na cidade de Natal-RN. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Engenharia Civil, Centro de Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Silva, M. E. & Cândido, G. A. (2012). A análise de indicadores de sustentabilidade na problemática de resíduos sólidos em Campina Grande – PB. Reuna, 17 (1), p. 91- 110.

Silva, S. S. F. (2010). Diagnóstico situacional dos resíduos sólidos urbanos no Município de Cuité-PB, através da aplicação do Sistema de Indicador de Sustentabilidade Pressão-Estado-Impacto-Resposta (P-E-I-R). Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande.

Soares, A. M. (2017). Avaliação do gerenciamento de resíduos sólidos através do sistema de indicadores de sustentabilidade Pressão-Estado-Impacto-Resposta (PEIR). Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, CFP/UFCG, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras.

Soler, J. A.P., Delgado, F. M., Sanjuán, A. M. B., & García, M. N (2018). Modelos para evaluar la sostenibilidad de las organizacione. Estudios Gerenciales, 34 (146), 63-73.

Tayra, F. & Ribeiro, H. (2006). Modelos de Indicadores de Sustentabilidade: principais experiências. Saúde e Sociedade, 15 (1), p. 8495.

Published

07/08/2022

How to Cite

OGORODNIK , M. E. A.; BORGES, H. S.; CASTRO , A. S. de .; NASCIMENTO, D. L. G. do; DOURADO JUNIOR, O. C.; CHAVES, A. F. F. Sustainability indicators in municipal waste management in the municipality of Salvaterra (Ilha do Marajó-Pará). Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e480111032812, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32812. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32812. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Engineerings