Primary care for pregnant and postpartum women in the prison system: an integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.32934

Keywords:

Prisons; Penitentiaries; Maternity; Prison

Abstract

This study aims to describe the current scenario of primary care for pregnant and postpartum women in the prison system. The referring research project was a study in which an integrative literature review was carried out, made use of a qualitative approach, of a descriptive nature, the search and location of data was carried out in the databases: Scientific Electronic Librany Online and Biblioteca in Health, the inclusion criteria for the selection of articles will be: Complete articles from 2016 to 2022 available in Portuguese and foreign languages, the validated Ursi instrument was used for data collection, Methods and data analysis were performed through the Bardin's method (2011). During the research of articles from 2016 to 2022, a deficit of current articles on the subject in question was noticed, given its importance in the qualification of professionals and information to the population. Articles from 2016 show how pregnant and postpartum women experience pregnancy in prison, while the most current articles from 2018 to 2022 address strategies for improving the pregnancy and postpartum process in prison to be less painful among inmates. The study made it possible to know and understand how pregnant and postpartum women are treated as pregnant women and are treated and cared for, according to SUS guidelines and legislation laws.

References

Alves, L. C., & Wendramin, C. (2019). Assistência gestacional no sistema carcerário brasileiro: a necessidade de revisão desses estabelecimentos para o atendimento às mulheres encarceradas. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 4, e21227. https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/21227

Araújo, M. M. et al. (2020). Assistência à saúde de mulheres encarceradas: análise com base na Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Escola Anna Nery, v. 24, n. 3. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2019-0303

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo. Edição 70.

Chaves, L. H. & Araújo, I. C. A. (2020). Gestação e maternidade em cárcere: cuidados de saúde a partir do olhar das mulheres presas em uma unidade materno-infantil. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. https://doi.org/10.1590/S0103-73312020300112

Félix, R. S. et al. (2017). O enfermeiro na atenção pré-natal às mulheres em sistema carcerário. Rev enferm UFPE, Recife, 11(10):3936-47. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i10a15187p3936-3947-2017

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, (4. ed.) Atlas.

Leal, M. C. et al. (2016). Nascer na prisão: gestação e parto atrás das grades no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 21(7):2061-2070. https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.02592016

Lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005. (2005). Altera a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós- parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União. Brasília, 2005 abr 8; Seção 1, página 1. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11108.htm

Lopes, T. C., & Pinheiro, R. (2016). Trajetórias de mulheres privadas de liberdade: práticas de cuidado no reconhecimento do direito à saúde no Centro de Referência de Gestantes de Minas Gerais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 26, n. 4. https://doi.org/10.1590/S0103-73312016000400007

Lourenço, L. C., & Alvarez, M. C. (2017). Estudos sobre prisão: um balanço do estado da arte nas ciências sociais nos últimos vinte anos no Brasil (1997-2017). BIB - Revista Brasileira De Informação Bibliográfica Em Ciências Sociais, (84), 216–236. https://bibanpocs.emnuvens.com.br/revista/article/view/441

Matos, K. K. C., Costa e Silva, S. P., & Nascimento, E. A. (2019). Filhos do cárcere: representações sociais de mulheres sobre parir na prisão. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, e180028. https://doi.org/10.1590/Interface.180028

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 17(4): 758-64. https://www.scielo.br/j/tce/a/XzFkq6tjWs4wHNqNjKJLkXQ/?format=pdf&lang=pt

Minayo, M. C. de S. (2017). Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa, 5(7), 1–12. https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/82

Ministério da Justiça. (2018). Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias – Infopen Mulheres. (Vol. 2). Brasília/DF. https://dados.mj.gov.br/dataset/infopen-levantamento-nacional-de-informacoes-penitenciarias

Oliveira, A. S. (2018). O papel do enfermeiro na assistência ao pré-natal de baixo risco. (Monografia de Graduação). Instituto de Educação a Distância, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, São Francisco do Conde.

Pereira, É. L. (2016). Famílias de mulheres presas, promoção da saúde e acesso às políticas sociais no Distrito Federal, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 21(7):2123-2134. https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.16792015

Sales, A. C. et al. (2020). Cuidado em saúde das mulheres grávidas privadas de liberdade: revisão integrativa. Revista Baiana De Enfermagem, v. 35: e36114. https://doi.org/10.18471/rbe.v35.36114

Santana, J. C. B., & Reis, F. C. A. (2019). Percepção da Equipe de Enfermagem Acerca da Assistência à Saúde no Sistema Prisional. Rev Fund Care, 11(5):1142-1147. http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6859/pdf_1

Silva, J. B. et al. (2020). Mulheres em privação de liberdade: narrativas de des(assistência) obstétrica. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, 24, e1346. https://dx.doi.org/10.5935/1415.2762.20200083

Souza, G. C., Cabral, K. D. S., & Leite-Salgueiro, C. D. B. (2018). Reflexões sobre a assistência em enfermagem à mulher encarcerada: um estudo de revisão integrativa. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, v. 22, n. 1, p. 55-62. https://doi.org/10.25110/arqsaude.v22i1.2018.6240

Published

15/08/2022

How to Cite

PINTO, E. S.; ROCHA, T. S.; SILVA, P. R. O.; SANTOS, L. L. dos; ALMEIDA, L. R.; ALMEIDA, C. J. D. de; SANTOS, J. M.; LIMA, L. G.; PEREIRA FILHO, E. da S.; DOURADO, F. N. Primary care for pregnant and postpartum women in the prison system: an integrative literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e64111132934, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.32934. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32934. Acesso em: 6 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences