Patient safety: device connections

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.33188

Keywords:

Damage to the patient; Equipment and supplies; Nursing care; Patient safety.

Abstract

Introduction: Annually, approximately 100,000 people died in hospitals in the United States as victims of adverse events. After this disclosure came the Age of Patient Safety. Objective: It is intended to expand the reflection on errors in the connections of therapeutic devices that can lead to serious adverse events, even lethal. Methodology: Theoretical reflection involved reading, analyzing and interpreting articles that served as the basis for the phases of this construction. Results: After reading the selected publications, eight categories were elaborated, entitled: Statistical data of adverse events; To err is human, adverse event is system failure; Prescription Safety Protocol; Use and Administration of Medication; Safety culture; Patient co-payment; Permanent Education and Academic Training. Conclusion: The patient safety culture must be widely disseminated in health services. Failures and human errors are expected in any institution and, therefore, it is essential to implement strategies to prevent them.

References

Argolo, E. (2017). Enfermagem é principal barreira para evitar erro relacionado ao uso de medicamento. Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Avelar, A. F. M., Salles, C. L. S., Bohomol, E., Feldman, L. M., Peterlini, M. A. S., Harada, M. J. C. S., D’innocenzo, M., Pereira, M. L. G., & Hangai, R. K. (2010). 10 passos para a segurança do paciente. Conselho Regional de Enfermagem do Estado de São Paulo, Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente. SÃO PAULO.

Brasil. (2013). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Protocolo de Segurança na Prescrição, uso e Administração de Medicamentos. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Ministério da Saúde; Fundação Oswaldo Cruz; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2017). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Assistência Segura: Uma Reflexão Teórica Aplicada à Prática. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa.

Brasil. (2020). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ministério da Saúde. Cultura de Segurança do Paciente.

Dias, J. D., Mekaro, K. S., Tibes, C. M. S., & Zem-Mascarenhas, S. H. (2014). Compreensão de enfermeiros sobre segurança do paciente e erros de medicação. REME - Rev Min Enferm.18(4): 866-873.

IBSP. Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente. (2016). Mais de dois brasileiros morrem nos hospitais a cada três minutos por falhas evitáveis.

ISMP. Instituto para Práticas Seguras no Uso dos Medicamentos. (2016). Prevenção de erros envolvendo a administração de medicamentos de uso oral por via parenteral. Boletim. 5(4).

ISMP. Instituto para Práticas Seguras no Uso dos Medicamentos. (2019a). Alerta de Segurança – Previna erros de administração envolvendo seringas.

ISMP. Instituto para Práticas Seguras no Uso dos Medicamentos. (2019b). Prevenção de erros relacionados às interrupções dos profissionais durante o processo de medicação.

Leyes, L., Porcires, F., Godino, M., & Barbato, M. (2020). Estudio de incidencia de riesgos y eventos vinculados a la seguridad en una unidad de cuidados intensivos. Rev Méd Urug, 36(3):246-253.

Mangili, D. C., Assunção, M. T., Zanini, M. T. B., Dagostin, V. S., & Soratto, M. T. (2017). Atuação ética do enfermeiro frente aos erros de medicação. Enferm. Foco; 8(1):62-66.

Matsuba, C. S. T., Serpa, L. F., Maciqueira, S. R., Prete, R. T., Minutti, A., Silva, C. R. M., Gomes, K. L. P., Totti, F., & Toledo, D. O. (2019). Campanha “Mantenha-se Conectado”: 9 passos importantes para promover a segurança nos erros de conexão em Terapia Nutricional. BRASPEN J; 34(1):24-31.

Neto, A. V. L., Silva, F. A., Brito, G. M. O. L., Elias, T. M. N., Sena, B. A. C., & Oliveira, R. M. (2019). Análise das notificações de eventos adversos em um hospital privado. Enfermería Global; 55: 324-33.

Padilla, C. A., & Alcaraz, A. M. C. (2018). Análisis de incidentes críticos: una herramienta para aprender de los errores. Educ Med.;19(1):60-63.

Reason, J. (2000). Human error: models and management. Brit Med J.

Reason, J.(2003). Human error. London: Cambridge University Press.

Ribeiro, G. S. R., Silva, R. C., Ferreira, M. A., Silva, G. R., Campos, J. F., & Andrade, B. R. P. (2018). Falhas de equipamentos: condutas dos enfermeiros e implicações na segurança do paciente. Rev Bras Enferm.;71(4):1942-50.

Treviso, P., Peres, S. C., Silva, A. D., & Santos, A. A. (2017). Competências do enfermeiro na gestão do cuidado. Rev. Adm. Saúde; 17(69).

Wegner, W., Silva, S. C., Kantorski, K. J. C., Predebon, C. M., Sanches, M. O., & Pedro, E. N. R. (2016). Educação para cultura da segurança do paciente: Implicações para a formação profissional. Esc Anna Nery; 20(3):e20160068.

Xelegati, R., Gabriel, C. S., Dessotte, C. A. M., Zen, Y. P., & Évora, Y. D. M. (2019). Eventos adversos relacionados ao uso de equipamentos e materiais na assistência de enfermagem a pacientes hospitalizados. Rev. Esc. Enferm. USP; 53: e03503.

Zanatta, M. (2019). Erros de conexão: práticas seguras e riscos na administração de soluções por sondas enterais e cateteres vasculares. CAISM/UNICAMP.

Published

07/08/2022

How to Cite

AMARIJO, C. L. .; FIGUEIRA, A. B. .; GONÇALVES, N. G. da C. . Patient safety: device connections . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e474111033188, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.33188. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33188. Acesso em: 4 dec. 2022.

Issue

Section

Health Sciences