The quality of education in Amapá and its reflection on Ideb indicators of its public schools in the early years of elementary school

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33438

Keywords:

IDEB; Educational Indicators; Quality of Education; Amapá.

Abstract

Brazil, from the 1990s onwards, with education reforms and the modernization of the State, implemented policies aimed at evaluating and gauging education. In 2005, IDEB was created, which is an index that quantifies students' learning in Portuguese and Mathematics, relating it to school flow. This study analyzes IDEB's educational indicators in the state of Amapá and their relationship with the quality of education offered in elementary school in the early years. Through the collection of data on public platforms of educational indicators, low educational indicators were found, which is a reflection of the influence of two factors analyzed in this research: the lack of infrastructure and learning equipment and also the absence of democratic management in almost all of the public schools in Amapa, facts that prevented the state from achieving the IDEB goals between 2013 and 2019.

Author Biographies

Francisco das Chagas Rodrigues de Morais, Universidade Federal do Amapá

Mestre em Planejamento e Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará-UECE(2022), com pesquisa relacionada a análise de indicadores do IDEB no estado do Amapá. Graduado em Geografia pela Universidade Estadual do Maranhão-UEMA (2003). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia da População. É professor de Geografia do quadro efetivo do Governo do Estado do Amapá desde 2006, exercendo sua docência atualmente no Ensino Médio na Escola Estadual Profª Ruth de Almeida Bezerra e também exerce o cargo de Técnico em Assuntos Educacionais na Universidade Federal do Amapá-UNIFAP desde 2014. Exerceu ainda no período de 1998 a 2005 o cargo de professor efetivo das redes municipais de ensino de Aldeias Altas-MA e Caxias-MA.

Rodrigo Santaella Gonçalves, Instituto Federal do Ceará

Professor de sociologia no ensino médio, ensino superior e pós-graduação, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará; Pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará, sob a tutoria do Prof. Dr. Edemilson Paraná; membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas das UECE. Doutor em Ciência Política pela USP, com pesquisa relacionada à relação entre teoria e prática em Fernando Henrique Cardoso, sob orientação do Prof. Dr. Bernardo Ricupero. Mestre em Ciência Política pela UNICAMP, 2013, com pesquisa sobre as relações do pensamento indianista boliviano com o marxismo, a partir das reflexões do grupo Comuna na Bolívia, sob orientação do Prof. Dr. Alvaro Bianchi. Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Ceará no ano de 2010. Realizou, entre 2007 e 2008, estudos durante um ano na Universidad Nacional de La Plata, Argentina, focados principalmente em história social e política da América Latina. Atualmente, iniciando projeto de pesquisa sobre as possibilidades abertas pela tecnologia avançada (automação, inteligência artificial, etc.) para a reconfiguração dos horizontes políticos da esquerda no Brasil e no mundo.

References

Amapá. (2010). Lei nº 1.503, de 9 de julho de 2010. Regulamenta a gestão democrática escolar nas unidades escolares da rede estadual de ensino. Diário Oficial do Estado do Amapá. http://www.al.ap.gov.br/pagina.php?pg=buscar_legislacao&n_leiB=1503,%20de%2009/07/10

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília.

Brasil. (1996). Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Diário Oficial da União. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil. (2014). Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educacao – PNE e dá outras providencias. Diário Oficial da União. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

Brilhante, A. L. P., Fecury., A. A., Freitas, R. I. R., Dendasck., C. V., Araújo., M. H. M., Macêdo, J. R., Moreira, E. C. de M., Souza, K. O., Silva, I. R., Oliveira., & Dias, C. A. G. M. (2020). Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), observado e projetado, das escolas estaduais do norte do Brasil e do estado do Amapá entre 2007 e 2017. Research, Society and Development, 9(7), e712974871. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4871.

Demo, P. (1987). Introdução ao ensino da metodologia da ciência. Vol. 2. São Paulo: Ed. Atlas.

Demo, P. (1998). Pesquisa qualitativa. Busca de equilíbrio entre forma e conteúdo. Revista latino-americana de enfermagem, Ribeirão Preto, 6(2), 89-104. https://www.scielo.br/j/rlae/a/wSwfj7n6VCZJ4gShkMCFF9f/?format=pdf&lang=pt

Fernandes, R. (2007). O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb): Metas intermediárias para a sua trajetória no Brasil, estados, municípios e escolas. INEP/MEC. https://download.inep.gov.br/educacao_basica/portal_ideb/o_que_sao_as_metas/Artigo_projecoes.pdf.

Idalino, A. C. F. (2021). Políticas de avaliação no Brasil: perspectivas de qualidade e autonomia impressas nas sistemáticas de avaliação da região norte (2009-2019). Dissertação de Mestrado. Universidade federal do Amapá. Macapá. 133 p. https://www2.unifap.br/ppged/files/2021/09/Disserta%C3%A7%C3%A3o_ADRIANA-CRISTINA-FURTADO-IDALINO_VERS%C3%83O-FINAL.pdf

Inep. (2021a). Resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica : 2019 : resumo técnico [recurso eletrônico]. – Brasília. 81 p. : il. https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resultados_indice_desenvolvimento_educacao_basica_2019_resumo_tecnico.pdf.

Inep. (2021b). Resumo Técnico: Censo da Educação Básica Estadual 2020 [recurso eletrônico]. ‐ Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2021. 20 p. : il. https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resumo_tecnico_do_estado_do_ceara_censo_da_educacao_basica_2020.pdf

Instituto Pró-Livro. (2019). Retratos da Leitura em bibliotecas escolares. https://snel.org.br/wp/wp-content/uploads/2020/11/ipl_relatorio_final.pdf.

Mec. (s.d). Ideb - Apresentação. Site. http://portal.mec.gov.br/conheca-o-ideb.

Mello., & Souza, A. (2005). Dimensões da avaliação educacional. Petrópolis: Ed. Vozes.

Minayo, M. C. S., & Sanches, O. (1993). Quantitativo-Qualitativo: oposição ou complementaridade? Caderno de Saúde Pública. 9(3), 239-62. https://www.scielo.br/j/csp/a/Bgpmz7T7cNv8K9Hg4J9fJDb/?format=pdf&lang=p.

Mota, P. A. T., Dantas, C. W. M., Fernandes, L. S. L., & Dublante, C. A. S. (2021). Democratização da gestão escolar: mecanismos de participação na escola. Research, Society and Development, 10(12), e374101220297. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20297.

Paro, V. H. (2003). Eleições de Diretores: a escola pública experimenta a democracia. (2ª. ed.) São Paulo. Ed. Xamã.

Paro, V. H. (2006). Gestão democrática da escola pública. (3ª ed.): Ática.

Pedra Branca do Amapari. (2019). Ideb. Site. https://qedu.org.br/cidade/3446-pedra-branca-do-amapari/ideb?dependence=3&grade=1&edition=2019.

Riscal, J. R., & Luiz, M. C. (2016). Gestão democrática e a análise de avaliações em larga escala: o desempenho de escolas públicas no Brasil. 159 p. São Carlos: Pixel. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=49171-gestao-democratica-e-a-analise-de-avaliacoes-larga-escala&Itemid=30192.

Riscal, J. R. (2020). Correlação do IDEB 2015 com os indicadores educacionais: a situação atual das unidades federativas do Brasil. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/12800.

Sá, A. D. (2018). A Educação Básica no Amapá Pós Estadualização: Perspectivas do Poder Público e Percepções dos Profissionais da Educação. Dissertação de Mestrado - Universidade Federal do Amapá –UNIFAP. http://repositorio.unifap.br/handle/123456789/267.

Santos, M. P. (2014). Gestão e democracia na escola: implicações para o debate. Revista Eletrônica Pesquiseduca, 5(10), 356–371. https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/315.

Serra do Navio. (2019). Ideb. Site. https://qedu.org.br/cidade/3444-serra-donavio/ideb?dependence=3&grade=1&edition=2019.

Silva, N. C., & Barbalho, A. A. (2019). O Processo de Escolha de Gestores Escolares no Estado do Amapá. Inovação &Amp; Tecnologia Social, 1(2), 162–177. https://doi.org/10.47455/2675-0090.2019.1.2.2051.

Travitzki, R. (2020). Qual é o grau de incerteza do Ideb e por que isso importa? Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, 28(107), 500-520, abr./jun. https://www.scielo.br/j/ensaio/a/pQL73NQVkgPcWSxDtzFb5Tj/?format=pdf&lang=pt.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Ática.

Unesco. (2019). Qualidade da infraestrutura das escolas públicas do ensino fundamental no Brasil. Relatório. Brasília: 122 p. https://educacaointegral.org.br/wp-content/uploads/2019/08/Qualidade-dainfraestrutura-das-escolas-públicas-do-ensino-fundamental-no-Brasil-UNESCODigital-Library.pdf.

Vasconcelos, J. C., Lima, P. V. P. S., Rocha, L. A., & Khan, A. S. (2021). Infraestrutura escolar e investimentos públicos em Educação no Brasil: a importância para o desempenho educacional. Ensaio (Rio de Janeiro. online), p. 874-898, 2021. https://doi.org/10.1590/S0104-40362020002802245.

Published

17/08/2022

How to Cite

MORAIS, F. das C. R. de; GONÇALVES, R. S. The quality of education in Amapá and its reflection on Ideb indicators of its public schools in the early years of elementary school. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e127111133438, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33438. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33438. Acesso em: 30 nov. 2022.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences