The challenges for the effectiveness of environmental governance at the municipal level in cities in the Amazon: articulation, implementation of public policies and the role of the State

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33574

Keywords:

Municipal environmental governance; Amazon; Municipal environmental management.

Abstract

This article aims to present a diagnosis of Municipal Environmental Governance carried out from the assessment of managers in the municipalities of Apuí, Boca do Acre, Lábrea and Manaus, Amazonas, based on data collected via Google Forms. There were 26 open questions, which sought to identify: the role of institutions in the implementation of public policies; environmental activities carried out by them; participation in the Municipal Environment Council; identification of organizations that make up governance and local governance; proposed actions to improve governance and environmental governance; interaction for environmental decision making; social and private sector participation; transparency and environment structure; effectiveness and efficiency in local governance and implementation of the local Agenda 21. From the construction of this scenario, the main challenges for the effectiveness of Local Environmental Governance were identified and evaluated, namely: the need to strengthen the integration between Municipalities, State and Civil Society, as the spaces for discussion are limited, there is little continuity of actions, and they do not involve actors from representative organizations or segments; the need for institutional strengthening of the municipal environmental agency; greater availability of resources for investment in institutional projects and institutional strengthening; the need to train those involved in Environmental Governance and to expand and strengthen the insertion of civil society representatives in decision-making spaces. The indicators revealed how fragile the environmental management instruments are, especially for those municipalities (Apuí, Lábrea and Boca do Acre) located in the arc of deforestation in the Amazon.

Author Biography

Neliton Marques da Silva, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em Entomologia Agrícola pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz - ESALQ/USP.  Engenheiro Agronômo, UFAM. Professor Titular da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Amazonas. Professor e orientador no Programa de  Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia da  Universidade Federal do Amazonas.

References

Andrade, J. C. S. (2009). Participação do setor privado na governança ambiental global: Evolução, contribuições e obstáculos. Revista Contexto Internacional, 31 (2), 215-250. https://www.scielo.br/j/cint/a/7b3RvRTRxfFLryDpKYMTbhn/abstract/?lang=pt.

Armada, C. A. S., & Pavan, K. (2012). O papel das organizações não governamentais na evolução do direito ambiental e na emergência de uma sociedade civil global. Revista Eletrônica Direito e Política, 7 (3), 1712- 1741. www.univali.br/direitoepolitica.

Avelino, E. F., Rivas, A S. A. F., Santos, R. M. S. S., & Gomes, O. C. (2021). Despesas com gestão ambiental nos estados da Amazônia Legal. Revista Desenvolvimento em Debate, Rio de Janeiro, 9 (2), 121-139. https://revistas.ufrj.br/index.php/dd/article/viewFile/47104/25389.

Ávila, R. D., & Malheiros, T. F. (2012). O Sistema Municipal de Meio Ambiente no Brasil: avanços e desafios. Saúde Soc. São Paulo, 21(supl.3), 33-47.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Ed. Edição 70.

Brasil (1988). Constituição Federal de 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm.

Brasil. Lei complementar nº 140, de 8 de dezembro de 2011. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp140.htm.

Bresser-Pereira, L. C. (2004). Introdução à organização burocrática. Ed.Thomson, 2004.

Câmara, J. B. D. (2011). Governabilidade, Governança Ambiental e Estado de Meio Ambiente. Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável. Tese de Doutorado. Brasília.

Câmara, J. B. D. (2013). Governança ambiental no Brasil: ecos do passado. Revista de sociologia e política, 21 (46), 125-146.

Carvalho, S. A., & Sobrinho, L. L. P. A (2017). Governança da sustentabilidade ambiental global. Revista Saberes da Amazônia, 2 (4), 31-54. https://www.fcr.edu.br/ojs/index.php/saberesamazonia/article/view/64.

Drucker, P. F. (1998). Introdução à administração. Tradução de Carlos A. Malferrari. (3ª. Ed.) Pioneira.

Empinotti, V. L., Jacobi, P. R., & Fracalanza, A. P (2016). Transparência e a governança das águas. Estudos Avançados, 2016. 30 (88), 63-75. https://www.scielo.br/j/ea/a/GSLJhFjqYCcR96w4LvSzCPk/?lang=pt&format=pdf.

Icmbio (1997). Resolução CONAMA n° 237, de 19 de dezembro de 1997. https://www.icmbio.gov.br/cecav/images/download/CONAMA%20237_191297.pdf.

Jabobi, P. R (2003). Espaços públicos e práticas participativas na gestão do meio ambiente no Brasil. Revista Sociedade e Estado, 18 (1/2) 315-338. https://www.scielo.br/j/se/a/wybqkw6cbYNf4zJc6PNdn5x/?format=pdf&lang=pt.

Malheiros, T. F., Phlippi JR, A., & Coutinho, S. M. V. (2008). Agenda 21 nacional e indicadores de desenvolvimento sustentável: contexto brasileiro. Revista Saúde e Sociedade, 17 (1), 7-20. https://www.scielo.br/j/sausoc/a/3LH377kMN38MwKxP9JpPBnn/?lang=pt&format=pdf

Milani, C. R. S. (2008). O princípio da participação social na gestão de políticas públicas locais: uma análise de experiências latino-americanas e européias. Revista de Administração Pública. 42 (3), 551-79. https://www.scielo.br/j/rap/a/w8Sd7tHxv3dHcLmgW5DrpZs/?lang=pt&format=pdf

MMA. Ministério do Meio Ambiente (2021). Agenda 21. https://antigo.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21/agenda-21-global.html.

Moura, A. M. M.(2016). Governança ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas. Brasília. https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=28192

Nações Unidas Brasil (2020). A ONU e o meio ambiente. https://brasil.un.org/pt-br/91223-onu-e-o-meio-ambiente.

Nina, A. S., Almeida, O. T., & Lobo, I. D (2020). A gestão ambiental dos municípios paraenses: gastos públicos, descentralização e sustentabilidade. Revista planejamento e políticas públicas, 42 (3), 551-79.

Oliveira, C. M. de (2019). Agenda 21: propostas de integração. Revista Direito Ambiental e Sociedade, 9 (3), 33-56. http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/direitoambiental/article/view/7976.

Prodes (2019). Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite. Prodes Municipal. http://www.dpi.inpe.br/prodesdigital/prodesmunicipal.php

Sanches, A. C., & Figueiredo Neto, L. F (2017). Análise das Políticas Públicas Ambientais Adotadas pelos Municípios do Estado de Mato Grosso do Sul entre 2013 e 2014. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 6 (2), 124-139.

Unicamp. (2021). Agenda 21 do Brasil - Um projeto de Nação. https://www.unicamp.br/fea/ortega/agenda21/brasil.htm.

Weiss, J. S. (2016). O Papel da sociedade na efetividade da governança ambiental. IN: Governança ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas. http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/9292.

Published

24/08/2022

How to Cite

SANTOS, R. M. da S. .; SILVA, N. M. da . The challenges for the effectiveness of environmental governance at the municipal level in cities in the Amazon: articulation, implementation of public policies and the role of the State. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e340111133574, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33574. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33574. Acesso em: 6 oct. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences