Tackling syphilis in Vitória (ES) 2016-2019: a qualitative assessment for public management

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33646

Keywords:

Syphilis; Control; Preventive measures; Health assessment.

Abstract

Syphilis remains a public health problem in Brazil and worldwide. Vitória, the capital of Espírito Santo, has reformulated its plan to fight the disease since 2016. Objective: To describe the facilities, difficulties and contributions of the actions developed in the plan to fight syphilis in the city of Vitória (ES), for the four-year period 2016-2019, in the perception of health professionals and managers. Method: An evaluation study for management, with a descriptive character and a qualitative approach. Two focus groups were carried out with 11 managers and 87 semi-structured interviews with health professionals, being 29 doctors, 29 nurses and 29 syphilis references, based on a script that addressed the eight axes of the Vitória vs. Syphilis, with three evaluative questions for each axis. Identical scripts, with 24 evaluative questions, were applied and processed through lexical content analysis. The speeches of the focus group and the interviews were recorded and transcribed literally, using the Voice Noteped Speech to Test application, available at https://dictation.io/speech. The analysis was carried out using the Iramuteq Program, which allowed the organization of the analysis categories. Results: The main facilities were: the availability of rapid test in spontaneous demand and suspected pregnancy; and the availability of prevention supplies. The main difficulties: the insufficiency of human resources (HR) in relation to the demand for work; the lag of pediatricians in the network; and the filling of information by professionals in the electronic medical record. Among the main contributions are: prenatal follow-up with consultations and increase in tests; the reporting of VDRL results by the laboratory for all units; and reducing the spread of the disease. Conclusion: The facilities, difficulties and contributions identified will support managers in defining actions to improve the fight against syphilis.

References

Andrade, L. S. & Frncischetti, I. (2019). Referência e contrarreferência: compreensões e práticas. Sau. & Transf. Soc. 10(1/2/3):54-63. Florianópolis.

Arruda, D. O., Silva, M. B. O. & Mariani, M. A. P. (2020). Análise da Imagem do Destino Turístico Rio de Janeiro, com base em comentários publicados no TripAdvisor. Revista de Administração Unimep, 18(2): 123-144.

Barbosa, L. G., Damasceno, R. F., Silveira, D. M. M. L, Costa, S. M. & Leite, M. T. S. (2019). Recursos Humanos e Estratégia Saúde da Família no norte de Minas Gerais: avanços e desafios. Cadernos Saúde Coletiva, 27(03):287-294.

Brasil. (2008). Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: Princípios e Diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde.

Novaes, H. M. D. (2000). Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Rev. Saúde Pública, 34(5), 547-59.

Brasil (2018). Boletim Epidemiológico da Sífilis, 49 (45). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais (DIAHV). Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Brasil (2019). Profissionais de saúde, vamos cadastrar a população? Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2021). Boletim Epidemiológico da Sífilis, n. 01 (Número especial). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI). Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Chianca ,T. K., SANTOS, E. M. & CRUZ, M. M. (Org.) (2014). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à prática da avaliação de programas de controle de processos endêmicos, Saúde debate [Internet]., 41(spe), 400-404. Rio de Janeiro: Fiocruz.

Colussi, C. F. & Pereira, K. G. (2016) Territorialização como instrumento do planejamento local na Atenção Básica [Recurso eletrônico]. Florianópolis: UFSC. (Série – Formação para Atenção Básica).

Costa, S. V., Escoval A. & Hortale, V. A. (2014) Contratualização na Atenção Primária à Saúde: a experiência de Portugal e Brasil. Ciênc Saúde Coletiva, 19(8):3593-604.

Decreto Municipal n0 17.551. (2018). Institui o Comitê de Investigação de Mortalidade Materno-Infantil e Transmissão Vertical de HIV, Sífilis Congênita, Hepatites Virais, Toxoplasmose e Zika do município de Vitória e dá outras providências. Vitória ES: Prefeitura Municipal.

Donabedian, A. (1980). The definition of quality: a conceptual exploration. In Donabedian A. Explorations in quality assessment and monitoring, p. 1-31. Ann Arbor, Michigan: Health Administration Press.

Engstrom, E. M., Lacerda, A., Belmonte, P. & Teixeira, M. B. ( 2019). A dimensão do cuidado pelas equipes de Consultório na Rua: desafios da clínica em defesa da vida. Saúde em Debate, 43(spe7):50-61.

Gavalote, H. S., Franco, T. B., Freitas, P. S. S, Lima, E. F. A. L, Garcia, A. C. G & Andrade, M. A. C. (2016). A gestão do trabalho na estratégia saúde da família: (des)potencialidades no cotidiano do trabalho em saúde. Saúde Soc. 25(4):988-1002. São Paulo.

GNU. General Public License. (2020). Wikipédia. Recuperado em 23 de abril de 2021 em: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/GNU_General_Public_License.

Gonçalves da Silva, P., Santos, S. V. M. & Vasconcelos Neto, J. P. (2020) Sífilis adquirida: dificultades para adesão ao tratamento. Rev. iberoam. Educ. investi. Enferm., 10(1):38-46.

Medina, M.G.; Abdon, C.; Aquino, R (2021). Conceitos básicos em avaliação de intervenções de saúde. In: Medina, M.G.; Aquino, R. Avaliação em saúde: elementos teóricos e recomendações para a elaboração de projetos. Salvador: EDUFBA.

Novaes, H. M. D. (2000). Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Rev. Saúde Pública, 34(5), 547-59.

Ozelame, J. E. E. P., Frota, O. P., Ferreira Júnior, M. A. & Teston EF. (2020). Vulnerabilidade à sífilis gestacional e congênita: uma análise de 11 anos. Rev enferm UERJ, 28(1); e50487. Rio de Janeiro: UERJ.

Pereira Júnior, E. A. & Ruas, C. M. (2019). Retenção de profissionais em Unidades Básicas de Saúde. Rev. Adm. Saúde, 9(75):e165. São Paulo.

Pinto, I. S., Oliveira, J. S. B., Suto, C. S. S., Pinto, F. S & Nobre T. C. N. (2021). Práticas de saúde na prevenção das infecções sexualmente transmissíveis. Research, Society and Development, 10(10):e306101018755.

Rocha, A., Araújo, M., Miranda, A. E., De Leon, R., Da Silva Junior, G. B. & Vasconcelos, L. (2019). Management of sexual partners of pregnant women with syphilis in northeastern Brazil - a qualitative study. BMC health services research, 19(1): 65.

Sapatini, T. F., Gasparino, R. C., Polli, L. & Oliveira, A. S. Avaliação de um programa admissional para a equipe de enfermagem. (2016). Esc Anna Nery, 20(3):e20160065.

Scussel, M. R. R & Machado, D. M. (2017). Política nacional de assistência integral à saúde do homem: uma revisão integrativa. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, 5(2):235-244.

Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (2013). Sistema de Gestão Informatizado Rede Bem Estar (SGIRBE). Vitória (ES): SEMUS.

Secretaria Municipal de Saúde. (2016) . Plano de enfrentamento “Vitória contra sífilis”. Vitória, ES: Prefeitura Municipal.

Secretaria Municipal de Saúde. (2019). Análise Situacional de Saúde no município de Vitória – Sífilis. Gerência de Vigilância em Saúde. Coordenação de Vigilância Epidemiológica. Coordenação de Informação em Saúde. Vitória, ES

Silva, G. C. B. & Rodrigues F. F. (2018). Fisiopatologia da sífilis congênita. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 04(10):122-136.

Silva, L. C. S., Padro, M. A., Fernandes, M. R., Moraes Filho, A. V., Souza, M.C., Costa, T. A. M., Carneiro, L. C. et al. (2021). Inconformidades nos registros em prontuários: opinião dos trabalhadores de saúde. Research, Society and Development, 10(12): e294101220587.

Silva, M. B. O., Arruda, D. O. & Mariani, M. A. P. (2021). Boca a boca online no turismo: análise netnográfica de avaliações no setor hoteleiro. Observatório de Inovação do Turismo – Revista Acadêmica, 15(1):58-80.

Sousa, M. F., Prado, E. A. J., Leles, F. A. G., Andrade, N. F., Marzola, R. F., Barros, F. P. C. & Mendonça, A. V. M. (2019). Potencialidades da Atenção Básica à Saúde na consolidação dos sistemas universais. Saúde em Debate, 43(spe5):82-93.

Spiteri,G., Unemo, M., MåRdh, O., Amato-Gauci, A. J. (2019). The resurgence of syphilis in high-income countries in the 2000s: a focus on Europe. Epidemiology and Infection, 147(e143), 1–8.

Tanaka, O.Y (2017). Avaliação em Saúde: novos tempos, novas construções. In: Tanaka, O.Y. Avaliação em saúde: contribuições para incorporação no cotidiano. 1. ed. Rio de Janeiro: Atheneu.

Published

26/08/2022

How to Cite

BARCELOS, M. R. B. .; LIMA, E. de F. A. .; BOF, S. M. S. .; SILVA, M. B. de O. da .; FILIPPON, J.; FIGUEIREDO, K. C. de .; VARGAS , T. B. .; BARROSO, J. A. M.; SOUZA, M. P. de .; PRIMO, C. C. . Tackling syphilis in Vitória (ES) 2016-2019: a qualitative assessment for public management. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e399111133646, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33646. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33646. Acesso em: 28 sep. 2022.

Issue

Section

Health Sciences