Validation of instrument for medical report to family members of patients hospitalized in Intensive Care Unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33740

Keywords:

Communication; Intensive Care Unit; Information Dissemination; Physician-patient relations.

Abstract

Objective: To develop and validate a previously constructed instrument to assess communication and humanization with patients' relatives and family physician relationships, during the medical report, in the context of the Intensive Care Unit. Methodology: This is methodological research, with a quantitative and qualitative approach, carried out in 2020 and 2021. After the instrument was developed, the Delphi Technique was used to validate the content with the participation of eight experts. Data collection took place through interviews and questionnaires. In the data analysis, the Content Validity Index was calculated with a minimum agreement rate of 0.70. Results: The items that composed the instrument in relation to the issuer were: aspect of the professional, compliance and identification of the family, behavior of the doctor according to the reactions of the family members due to the great emotional burden, optimization of the consultation time, the doctor's behavior during the consultation; to the receiver were: in case of patients incapable of decision, before the family; to the message were: information directed to the legal representative, regarding the information passed, control over the posture; to the environment were: characteristics of the environment, confidentiality and privacy during the conversation. Conclusion: All items had a CVI greater than 0.70. The instrument is able to assess what it proposes and how promising its application is in communication actions and doctor-patient relationships.

Author Biographies

Anthonny Toyokytty Yoshida, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduating in Medicine. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Isabella Di Dea Morelli, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduate in Medicine. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Natália Mazetto Rocha, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduate in Medicine. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Marina Avanzi de Oliveira Clausen, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduate in Medicine. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Jaime José Bastos da Silva, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduating in Nursing. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Arlete Aparecida Marçal, Fundação Educacional do Município de Assis

Nurse. Master in Communication. Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Shirlene Pavelqueires, Fundação Educacional do Município de Assis

Nurse. PhD in Nursing (USP). Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Caroline Lourenço de Almeida, Fundação Educacional do Município de Assis

Nurse. Doctor in Nursing (UEL). Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

Daniel Augusto da Silva, Fundação Educacional do Município de Assis

Nurse. Doctor of Science (EPE / UNIFESP). Educational Foundation of the Municipality of Assis (FEMA). Assis, SP, Brazil.

References

Ariès, P. (2014). O homem diante da morte. Ed. Unesp.

Bicley, L. S. B. (2015). Propedêutica Médica. Ed. Guanabara Koogan.

Campos, C. F. C., & Fígaro, R. (2021). A Relação Médico-Paciente vista sob o Olhar da Comunicação e Trabalho. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 16(43), 2352.

Coriolano-Marinus, M. W. L., Queiroga, B. A. M., Ruiz-Moreno, L., & Lima, L. S. (2014). Comunicação nas práticas em saúde: revisão integrativa da literatura. Saúde e sociedade. 23(4), 1356-1369

Diniz, S. S., Queiroz, A. A. F., Rollemberg, C. V. V., & Pimentel, D. (2018). Comunicação de más notícias: percepção de médicos e pacientes. Revista da Sociedade Brasileira de Clinica Médica. 16(3), 146-151.

Ferreira, P. D.; & Mendes T. N. (2013). Família em UTI: importância do suporte psicológico diante da iminência de morte. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar. 16(1), 88-112.

Gomes, C. F. M., & Silva, D. A. da. (2020). Aspectos epidemiológicos do comportamento suicida em estudantes universitários. Research, Society and Development, 9(5), e38953106.

Lima, J. T., Silva, R., Assis, A. P., & Silva, A. (2019). Checklist for managing critical patients' daily awakening. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. 31(3), 318–325.

Luiz, F. F., Caregnato, R. C. A. & Costa, M. R. (2017). Humanização na Terapia Intensiva: percepção do familiar e do profissional de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. 70(5), 1095-1103.

Machado, E. M., & Brusamarello, T. (2020). Nível de conforto na dimensão segurança de familiares de pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Enfermagem em Foco. 11(3), 218-223.

Massaroli, A., Martini, J. G., Lino, M. M., Spenassato, D., & Massaroli, R. (2017). Método Delphi como referencial metodológico para a pesquisa em enfermagem. Texto e contexto enfermagem. 26(4), e1110017.

Mendes, J. A., Lustosa, M. A., & Andrade, M. C. M. (2009). Paciente terminal, família e equipe de saúde. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar. 12(1), 151-173.

Meneguin, S., Nobukuni, M. C., Bravin, S. H. M., Benichel, C. R., & Matos, T. D. S. (2019). O significado de conforto na perspectiva de familiares de pacientes internados em UTI. Nursing (São Paulo). 22(252), 2882–2886.

Ministério da Saúde (2009). Portaria nº 1.820 de 13 de agosto. Dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde. Diário Oficial da União. Seção 1, p. 80.

Mufato, L. F. & Gaíva, M. A. M. (2019). Empatia em saúde: uma visão integrativa. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 9, e2884.

Nicola, T., & Weis, A. H. (2020). Primary Health Care Planning workshops: construction and validation of an assessment instrument. Revista Brasileira de Enfermagem, 73(6), e20190545.

Perão, O. F., Nascimento, E., Padilha, M., Lazzari, D. D., Hermida, P., & Kersten, M. (2021). Social representations of comfort for patients' family members in palliative care in intensive care. Revista Gaúcha de Enfermagem, 42, e20190434.

Piscitello, G. M., Parham, W. M., Huber, M. T., Siegler, M., & Parker, W. F. (2019). The timing of family meetings in the medical intensive care unit. The American Journal of Hospice & Palliative Care. 36(12), 1049–1056.

Polit, D. F. & Beck, C. T. (2011) Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. Artmed.

Porto, C. C. (2014). Semiologia médica. Ed. Guanabara Koogan.

Rodrigues T. D. F. (2012). Fatores estressores para a equipe de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva. Revista Mineira de Enfermagem. 16(3), 454-462.

Rosemberg, B. (2006). Comunicação e participação em saúde. Fiocruz.

Santos, A. P. F. B., Andrade, J. F., Alves, G. C. S., Silva, S. D., Sanches, C., & Chequer, F. M. D. (2020). A análise do uso da técnica Delphi na tomada de decisão em pacientes críticos: uma revisão sistemática. Revista de Medicina. 99(3), 291-304.

Santos, R. O. (2018). A importância da comunicação no processo de liderança. Revista de Administração em Saúde. 18(72), 1-26.

Santos, K. M. A. B. & Silva, M. J. P. (2006). Percepção dos profissionais de saúde sobre a comunicação com os familiares de pacientes em UTIs. Revista Brasileira de Enfermagem. 59(1), 61-6.

Silva, D. A. da, & Marcolan, J. F. (2022). Tendência da taxa de mortalidade por suicídio no Brasil. Revista Baiana de Enfermagem. 36, e45174.

Silva, D. A. da, & Marcolan, J. F. (2021). O impacto das relações familiares no comportamento suicida. Research, Society and Development, 10(2), e17310212349.

Silva, J. L. R. da., Souza, S. R. de., Alcântara, L. F. F. L. de., Macedo, E. C., Lucas, D. M. da S., ... Câmara, L. de S. (2021). Comunicação na transição do paciente oncológico para os cuidados paliativos: uma revisão integrativa. Research, Society and Development, 10(4), e38210414302.

Souza, A. G., Giacomin, K., Aredes, J. S., & Firmo, J. O. A. (2018). Comunicação da morte: modos de pensar e agir de médicos em um hospital de emergência. Physis - Revista de Saúde Coletiva. 28(3), 1-19.

Souza, D. O., & Maurício, J. C. (2018). A antinomia da proposta de humanização do cuidado em saúde. Saúde e sociedade. 27(2), 495-505.

Sousa, I.V., Brasil, C. C. P., Silva, R. M., Vasconcelos, D. P., Filho, J, E. V., Finari, T. J., ... Pinheiro, C. P. O. (2019). Enfrentamento de problemas que impactam na saúde de uma comunidade socialmente vulnerável sob a ótica dos moradores. Ciência e saúde coletiva. 24(5), 1647-1656.

Torres, G. M. C., Figueiredo, I. D. T., Cândido, J. A. B., & Pinto, A. G. A. (2019). Comunicação não-verbal no cuidado com usuários hipertensos na Estratégia Saúde da Família. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social. 7(3), 284-295.

Witiski, M., Makuch, D. M. V., Rozin, L., & Matia, G. (2019). Barreiras de comunicação: percepção da equipe de saúde. Ciência, cuidado e saúde. 18(3), e46988.

Published

28/08/2022

How to Cite

YOSHIDA, A. T. .; MORELLI, I. D. D. .; ROCHA, N. M.; CLAUSEN, M. A. de O. .; SILVA, J. J. B. da .; MARÇAL, A. A. .; PAVELQUEIRES, S.; ALMEIDA, C. L. de .; SILVA, D. A. da. Validation of instrument for medical report to family members of patients hospitalized in Intensive Care Unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e455111133740, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33740. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33740. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences