Visions of inclusive education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.35492

Keywords:

Inclusive education; Equality; Brazil; Public policies.

Abstract

Since becoming a democracy, the educational system in Brazil has developed considerably, but it is still far from being satisfactory according to the legal framework. The justification for this study lies in the need to understand that inclusive education aims to educate all children regardless of individual differences or difficulties and is a way to change discriminatory attitudes, promote welcoming communities and an inclusive society. Within this context, taking a democratic perspective, what quality of education is being provided, taking into consideration aspects such as influence and power over one's own life situation, participation, solidarity, and freedom of expression? The overall aim of this study is to examine the guarantee of the Law and how the educational institution works with the rights of intellectually disabled people to equal education. This will be compared to the legal framework to which the country has adhered and the country's governing document for the school, with a focus on inclusive education and its challenges. Hypothetically, a quality education is one that provides resources and support, giving all individuals equal opportunities to learn and develop. The study is a literature review. While there is still much work to be done to implement the principle of an equal education for all in schools in Brazil, the provision of inclusive education should be seen as a process.

References

Alrø, H. & Skovsmose, O. (2002). Diálogo e aprendizagem na educação matemática: intenção, reflexão, crítica. Boston: Kluwer Academic Publishers. 2002.

André, M. E. D. A. (1983) Texto, contexto e significado: algumas questões na análise de dados qualitativos.Cadernode pesquisa 66-71.

Arnesen, A., & Allen, J. (2009). Políticas e práticas para o ensino da diversidade sociocultural. Conceitos, Princípios e Desafios na Educação de Professores. Conselho da Europa.

Börjesson, M. P. . (2003). O filho da infância difícil. Lund: literatura estudantil.

Brasil, (2016). http://www.un.int/brazil/brasil/brazil-education.htm>. O sistema educacional desigual do Brasil equivale a grandes problemas.

Brock, C. E.S, S. (2004). Os desafios da educação no Brasil. Oxford: livros do simpósio.

Egeberg, S. (2010). Teorias psicológicas do desenvolvimento: uma introdução. E. Jerlang (Ed.) Escola de História Cultural: (3ª ed.). Estocolmo: Liber. Fatos econômicos. http://www.ekonomifakta.se/en/Fakta/Utbildning-och-forskning/Investment-- Educação e Pesquisa / Custo por Estudante.

Enciclopédia das nações. Brasil, (2016) - educação (nd) A Inclusão. http://www.nationsencyclopedia.com/Americas/Brazil-Education.html.

Freire, P. (1972). Pedagogia para oprimidos. (3.ed.). Estocolmo; Gummessons. 205p.

Fontelles, M. J.,Simões, M. G., Farias, S. H & Fontelles, R. G. S.(2009). Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista paraense de medicina, 23(3), 1 –9.

Gil, A. C. (2009). Como elaborar projetos de pesquisa. (4ª. ed.),Atlas

Gil, A. C. (2019). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Goldenberg, M. (19997) A arte de pesquisar. Record

Gil, A. C. (2010). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6. ed.). Atlas.

Heaney , T. (2005). Problemas na pedagogia freireana. <http://www.nl.edu/academics/cas/ace/resources/Documents/FreireIssues.cfm#conscienti zation>.

James, S. . (2007). Cuidados de enfermagem das crianças: princípios e práticas. (3ª ed). St. Louis, Missouri: Saunders. 300p. 2007.

Lei de diretrizes e bases da educação nacional, Nº 9.394, (1996). http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf.

Linikko, J. (2009). É importante encontrar a chave. Estocolmo: Serviço Universitário US-AB. LOPEZ, I. Educação inclusiva: uma nova fase de educação especial no Sri Lanka. Gotemburgo: Departamento de Educação e Didática da Universidade de Gotemburgo. 2009.

Matheson, C. M. (2000). Questões educacionais na era de aprendizagem. Nova Iorque: Continuum. 3(4), .31-165. 2000.

Merriam, S. (1994). Estudo de caso como método de pesquisa. Lund: literatura estudantil. 1994.

IBGE, (2009). Folha online. http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u635691.shtml>.

ONU- Organização das Nações Unidas. (2006). Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. http://www.un.org/disabilities/convention/conventionfull.shtml.

Nota técnica do Mec 2010-05-11. (2022). http://www.vereadoramaragabrilli.com.br/noticias/440-nota-tecnica-do-mec-.html.

Persson, B. (2003). Desigualdades dos alunos e conhecimento da educação especial. Estocolmo: Liber. Persson, RS. Análise pragmática: reescrever e interpretar dados quantitativos. Morrisville, NC: Lulu Press. 2003.

Stubbs, S. (2008). Lá onde tem poucos recursos. Oslo: The Allas Alliance, 2008. http://www.eenet.org.uk/resources/docs/IE%20few%20resources%20200.pdfInclusive Education.

Svenska, U. (2006). Declaração de Salamanca e Salamanca +10, Conselho Sueco da Unesco Série 2/2006.

UNESCO. (2008). Educação de qualidade para todos: um assunto de direitos humanos. Escritório Regional de Educação para América Latina e Caribe (Orealc / UNESCO Santiago). http://unesdoc.unesco.org/images/0015/001505/150585por.pdf.

UNESCO. (2015). Diretrizes políticas sobre inclusão na educação. Educação das Nações Unidas. http://www.inclusive-education-in- action.org/iea/dokumente/upload/72074_177849e.pdf.

Vítková, M. (2013). Teoria e prática no desenvolvimento de uma escola inclusiva em casa e no exterior - Clima escolar, ensino inclusivo, heterogeneidade na escola, didática inclusiva. In: Pančocha, K., VítKOVÁ, M., et al. Análise dos determinantes sociais da educação inclusiva. Brno: Paido, p. 43-55. 2013.

Published

24/10/2022

How to Cite

GUIMARÃES JUNIOR, J. C.; DUQUE, R. de C. S. .; SANTOS, C. A. F. dos .; FREITAS, D. V. L. .; SOUZA, A. de .; SILVA, J. A. da .; SOUSA , A. R. de .; SANTOS, R. dos .; QUEIROZ , P. P. N. de .; CAMPOS, R. C. V. .; BELINELLO, R. C. E. . Visions of inclusive education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e01111435492, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.35492. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/35492. Acesso em: 8 dec. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences