Profile of the population served by the Recife street clinic

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.35958

Keywords:

Health Profile; Public Policy; Primary Health Care; Homeless persons.

Abstract

Objective: In view of the construction of public health policies in Brazil, focusing on neglected populations, it is known that the care of the homeless population is still in the infancy. In this sense, this article describes the sociodemographic and epidemiological profile of the homeless population assisted by the Recife Street Clinic. Methods: A quantitative cross-sectional descriptive study and a sample of 94 homeless people, using a questionnaire developed by the researchers. For the analysis of continuous numerical variables, measures of central tendency and their dispersions and Pearson's chi-square test with significance of p-value < 0.05 for categorical variables were used. Results: Most of the sample consisted of men (61.7%) and of mixed race (59.6%). Approximately half (41.5%) of the interviewees indicated that family disagreements are the main reason for being on the street, in addition to a tendency to perpetuate the homeless situation, given the percentage of 35.1% having been in this situation for more than 10 years. A preference was identified for overnight stays on the streets (88.3%), as well as a percentage of 85.1% reporting some morbidity. Conclusion: This study highlights the need to implement public policies through a more fair and equitable approach for the population in question.

References

Andrade, L. P., da Costa, S. L., & Marquetti, F. C. (2014). A rua tem um ímã, acho que é a liberdade: Potência, sofrimento e estratégias de vida entre moradores de rua na cidade de Santos, no litoral do Estado de São Paulo. Saude e Sociedade, 23(4), 1248–1261. https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000400011

Bezerra, I. H. P., Filho, I. M., Costa, R. J. L. M., Sousa, V. J. de, & Carvalho, M. V. G. de. (2015). População em situação de rua: um olhar da enfermagem sobre o processo saúde/doença. Enfermagem Revista; v. 18, n. 1 (2015). http://periodicos.pucminas.br/index.php/enfermagemrevista/article/view/9365/10323

Brasil - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE. (2008). Estatísticas do Século XX. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv37312.pdf

Brasil, & Ministério da Saúde. (2010). Portaria no 4.279, de 30 de dezembro de 2010. In Diário Oficial da União (Issue Brasília-DF, Seção 1, 31 dez. 2010). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/prt4279_30_12_2010.html

Brasil, C. N. do M. P. (2015). Ação Nacional Em Defesa Dos Direitos Fundamentais Defesa Dos Direitos Das Pessoas Em Situação De Rua (1st ed.). Brasília : CNMP. https://www.cnmp.mp.br/portal/publicacoes/8969-guia-de-atuacao-ministerial-defesa-dos-direitos-das-pessoas-em-situacao-de-rua

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. In Texto constitucional originalmente publicado no Diário Oficial da União de 5 de outubro de 1988. (Vol. 2016, p. 496). https://doi.org/10.1007/s13398-014-0173-7.2

Brasil. (2012). Política Nacional de Atençao Básica. In Ministério da Saúde: Vol. I. http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2014). Saúde da população em situação de rua. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_populacao_situacao_rua.pdf

Constitution of the World Health Organization. (1946). Public Health Reports, 61, 1268–1279. https://apps.who.int/gb/bd/PDF/bd47/EN/constitution-en.pdf

De Alcantara, S. C., De Abreu, D. P., & Farias, A. A. (2014). Pessoas em Situação de Rua: Das Trajetórias de Exclusão Social aos Processos Emancipatórios de Formação de Consciência, Identidade e Sentimento de Pertença. Revista Colombiana de Psicologia, 24(1), 129–143. https://doi.org/10.15446/rcp.v24n1.40659

Hallais, J. A. S., & de Barros, N. F. (2015). Street Outreach Offices: Visibility, invisibility, and enhanced visibility. Cadernos de Saude Publica, 31(7), 1497–1504. https://doi.org/10.1590/0102-311X00143114

Justo, J. S., & Nascimento, E. C. do. (2005). Errância e delírio em andarilhos de estrada. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18(2), 177–187. https://doi.org/10.1590/s0102-79722005000200005

Mattos, R. M., & Ferreira, R. F. (2004). Quem vocês pensam que (elas) são? - Representações sobre as pessoas em situação de rua. Psicologia & Sociedade, 16(2), 47–58. https://doi.org/10.1590/s0102-71822004000200007

Melo, T. H. de A. (2011). A Rua e a Sociedade : articulações políticas , socialidade e a luta por reconhecimento da população em situação de rua. https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/48438

Meta Instituto de Pesquisa de Opinião. (2008). A Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua. https://wwp.org.br/wp-content/uploads/2016/11/Pesquisa-Nacional-sobre-a-População-de-Rua-Relato-de-Uso-WWP-_-PORT.pdf

Ministério da Saúde, G. do M. (2011). Portaria no 122, de 25 de Janeiro de 2011. 24, 5. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0122_25_01_2012.html

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2009). Rua - Aprendendo a Contar. https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Livros/Rua_aprendendo_a_contar.pdf

Ministério do Planejamento, O. e G. (2011). Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/93/cd_2010_caracteristicas_populacao_domicilios.pdf

Natalino, M. A. C. (2020). Estimativa da população em situação de rua no Brasil (setembro de 2012 a março de 2020) TT - Nota Técnica n. 73. Nota Técnica / IPEA. Disoc, 73, 13. http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/10074

Paula, H. C., Daher, D. V., Koopmans, F. F., Faria, M. G. de A., Brandão, P. S., & Scoralick, G. B. F. (2018). Implementation of the Street Outreach Office in the perspective of health care. Revista Brasileira de Enfermagem, 71, 2843–2847. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0616

Pimenta, M. de M. (2019). Pessoas em situação de rua em Porto Alegre: processos de estigmatização e invisibilidade social. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 19(1), 82-104. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2019.1.30905

Prefeitura de Belo Horizonte CRR-UFMG. (2013). Terceiro Censo da População em Situação de Rua de Belo Horizonte (S. C. Souza (Ed.)). CRR-UFMG. https://crr.medicina.ufmg.br/project/assets/ckfinder/files/Relatório Terceiro Censo POP em situação de rua PBH(1).pdf

Recife, S. de S. do R. (2014). PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE 2014-2017. http://www2.recife.pe.gov.br/sites/default/files/plano_municipal_de_saude_2015_revisado_menor.pdf

Recife, Secretaria de Assistência Social. (2005) População em situação de Rua na cidade do Recife - Censo e análise qualitativa. Prefeitura Do Recife. https://www.recife.pe.gov.br/pr/secsocial/populacaorua.php

Ribeiro, M. O. (2003). A rua: um acolhimento falaz às crianças que nela vivem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 11(5), 622–629. https://doi.org/10.1590/s0104-11692003000500009

Rosenthal, D., Mallett, S., & Myers, P. (2006). Why do homeless young people leave home? Australian and New Zealand Journal of Public Health, 30(3), 281–285. https://doi.org/10.1111/j.1467-842X.2006.tb00872.x

Schervinski, A. C., Negrão Merry, C., Evangelista, I. C., & Cardoso Pachedo, V. (2017). Atenção à saúde da população em situação de rua. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, 14(26), 55. https://doi.org/10.5007/1807-0221.2017v14n26p55

Sicari, A. A., & Zanella, A. V. (2018). Pessoas em Situação de Rua no Brasil: Revisão Sistemática. Psicologia: Ciência e Profissão, 38(4), 662–679. https://doi.org/10.1590/1982-3703003292017

Silva, A. F. A. e. (1999). Estatuto da criança e do adolescente: avaliação histórica. Educar Em Revista, 15. https://doi.org/10.1590/0104-4060.188

West, R. S. (2016). Políticas de Drogas e Redução de Danos: um estudo sobre o Programa Atitude. https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2021/07/ufpe-programa-atitude-sumario-executivo-2016.pdf

Published

23/10/2022

How to Cite

RODRIGUES, M. L. de A. C. .; CARDOSO, Y. F. .; BELTRÃO, M. J. B. .; JORDÁN, A. de P. W.; LEITE, B. de A. .; BARBOSA, L. N. F. . Profile of the population served by the Recife street clinic. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e157111435958, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.35958. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/35958. Acesso em: 9 dec. 2022.

Issue

Section

Health Sciences