Herbicides registered for control of infesting plants in the cultive of Glycine max (L.) Merr. (soybeans) in Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36154

Keywords:

Registered companies; Oilseeds; Patent; Weed; National registry.

Abstract

Chemical management is the most used in soybean crop to control weedplants. Thus, the registration of a herbicide must follow standards for its production, import, export, marketing and consumption, in addition to its effects on agriculture, health and the environment, and the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply (MAPA) is the body that grants the federal registry and to obtain legal protection, the patent application must be filed with the National Institute of Industrial Property (INPI). The aim of this study was to trace the scenario of patenting herbicides registered and marketed for soybean crop in Brazil, during the years 2012 to 2022. For this, the patent was searched in the plant protection system (Agrofit) base of mapa. According to Agrofit, a total of 1,005 herbicides for soybeans were registered, since 1989 alone, during the period studied alone, 647 products whose marketing was associated with 56 companies were registered, especially: Rainbow Defensivos Agrícolas Ltda.; Dow Agrosciences Industrial Ltd.; UPL of Brazil Industry and Trade of Agricultural Insumuous S.A.; Adama Brasil S.A. and Nortox S.A. The increase in soybean production has leveraged the herbicide market, awakening research for the development of new compounds to be registered and marketed, mainly due to the resistance of weed plants to herbicides.

Author Biographies

Amanda Maria de Sousa Diogenes Ferreira, Universidade Federal do Amapá

PhD Student of PPGBIONORTE

Raullyan Borja Lima e Silva, Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá

Researcher of IEPA, Teacher of PPGBIONORTE

References

Alphabet Incorporation. (2022) Google Acadêmico. https://scholar.google.com.br/.

Brasil. (1989). Lei n. 7.802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências.

Brasil. (2002). Decreto n. 4.074 de 04 de janeiro de 2002. Regulamenta a lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências.

Brasil. (2018). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Projeções do agronegócio: Brasil 2017/18 a 2027/28 – projeções de longo prazo. Brasília: Mapa.

Cantuária, P. de C., Medeiros, T. D. S., Pereira, L. A., Soares, A. C. S., Farias, J. E. dos S., Melo, L. de S., Santos, A. R. R. dos, Cantuária, E. da S. R., Carvalho, J. da C. P., Neri, M. W. de L., & Silva, R. B. L. e. (2022). Diagnosis of the flowers and ornamental plants sector of the municipality of Macapá. Research, Society and Development, 11(4), e41611427468. https://doi.org/10.33448/rsd-v11i4.27468.

Carneiro, F. F. et al. (2015). Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular.

Carvalho, J. da C. P., Cantuária, P. de C., Cantuária, M. F., & Silva, R. B. L. e. (2022). Biodiversity and Local Development in the Community of San Francisco of Iratapurú/Amapá in the use of access and sharing of benefits of associated traditional knowledge. Research, Society and Development, 11(10), e70111032380. https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32380.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). PIB do agronegócio cresceu abaixo das projeções. PIB do agronegócio. 15/03/2022. https://www.cepea.esalq.usp.br/upload/kceditor/files/Cepea_CNA_PIB_JAn_Dez_2021_Mar%C3%A7o2022.pdf.

Cooper, H. M. Organizing Knowledge Synthesis: A Taxonomy of Literature Reviews. Knowledge in Society, 1(1), 1988.

Correia, N. M.; & Rezende, P. M. de. (2002). Manejo integrado de plantas daninhas na cultura da soja. Editora UFLA.

Fleck, N. G.; & Candemil, C. R. G. (1995). Interferência de plantas daninhas na cultura da soja (Glycine max (L.) MERRILL). Ciência Rural, 25(10), 27–32.

Freitas Júnior, G. (2013). Importação de agrotóxicos bate registro. Valor Econômico. 21/05/2013. http://www.valor.com.br/agro/3131586/importacao-de-agrotoxicos-bate-gravar. Acesso em: 20 jun. 2022.

Gazziero, D. L. P.; et al. (2015). Manual de identificação de plantas daninhas da cultura da soja. (2a ed.), Embrapa Soja. 126 p.

Jungmann, D. de M.; & Bonetti, E. A. (2010). A caminho da inovação: proteção e negócios com bens de propriedade intelectual: guia para o empresário. Brasília: IEL.

Lopes, C. V. A.; & Albuquerque, G. S. C. de. (2018). Agrotóxicos e seus impactos na saúde humana e ambiental: uma revisão sistemática. Saúde em Debate, 42(117), 518-534. https://doi.org/10.1590/0103-1104201811714.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – Agrofit. (2022a). http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). (2022b). Mapa registra fungicida inédito para controle da ferrugem asiática da soja. Defesa Agropecuária. Atualizado em 07/02/2022. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/mapa-registra-fungicida-inedito-para-controle-da-ferrugem-asiatica-da-soja-1.

Ministério da Agricultura e do Abastecimento. (1989). Decreto-Lei n.º4074/2002".

Minstério da Educação. (2021). Portal Periódicos. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 2021. http://www.periodicos.capes.gov.br/.

Nunes, J. L. da S. (2022). Defensivos agrícolas veja todos agrotóxicos registrados no Agrolinkfito. https://www.agrolink.com.br/culturas/soja/informacoes/defensivos_361534.html.

Oliveira, C. O. (2021). Plantas daninhas da soja: conheça as mais comuns. 2021. https://www.myfarm.com.br/plantas-daninhas-soja/. Acesso em: 26 jun. 2022.

Oliveira, M. C.; Pereira, G. A. M. (2020). Documentando os herbicidas no Brasil em 2020. Herbicidas no Brasil. https://maxweeds.rbind.io/pt/post/herbicidas-2020/.

Ost, F. (1995). A Natureza a Margem da Lei: a ecologia à prova do Direito. Piaget.

Pitelli, R. A. (1985). Interferência de plantas daninhas em culturas agrícolas. Informe Agropecuário, (11), 16-27.

Procópio, S. de O. et al. (2022). Recomendações técnicas para a produção de soja na região agrícola do Sealba. Circular Técnica 94. EMBRAPA. Aracaju, SE.

Randalph, J. J. (2009) A guide to writing the dissertation literature review. Practical Assessment, Research & Evaluation, 14(13), 1-13

Rufino, C. G. F.; et al. (2016). Portfólio Embrapa de Cultivares de Soja: Sistema Intacta. EMBRAPA SOJA. Catálogo. 2ª edição. https://www.embrapa.br/documents/1355202/1529289/Portf%C3%B3lio+Sistema+Intacta/60ec412e-b9c9-4d07-8fab-a5b3a102b58a?version=1.0. Acesso em: 20 jun. 2022.

Santos, A. C.; Freitas, J. L.; Silva, R. B. L. E.; Moraes, L. L. C.; Matos-Filho, J. R.; Cruz-Junior, F. O.; & Cantuária, P. C. (2015) Caracterização da atividade extrativa vegetal na comunidade São Tomé, Ferreira Gomes, Amapá, Brasil. Biota Amazônia, 5, 42-47

Santos, B. G. et al. (2018). Riscos humanos na utilização de agrotóxicos de uma determinada área rural do município de Quatro Pontes – PR, BR. Brazilian Journal of Development, v. 4, n. 7, p. 4519-4529.

Scientific Electronic Library Online. Scielo. https://search.scielo.org/?q=plantasdaninas/herbicidas/culturadasoja&where=ORG.

Schumacher, S. de O. R. (2017). Visão geral do patenteamento por tipos de defensivos agrícolas e perfil dos principais defensivos importados no Brasil. Dissertação (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Inovação) Academia de Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento, Divisão de Programas de Pós-Graduação e Pesquisa, Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, Rio de Janeiro.

Silva, M. M.; Domingues, S.; & Bonadiman, A. (2019). Avaliação de Intoxicação por agrotóxicos e práticas de uso de trabalhadores rurais na Serra Catarinense. Brazilian Journal of Development, 5(9).

Sindiveg. (2016). Defensivos Agrícolas: importação de produtos técnicos e formulados cai em 2015. Sindiveg Notícia. http://sindiveg.org.br/defensivos-agricolas-importacao-de-produtos-tecnicos-e-formulados-cai-em-2015/.

Soares, A. C. S. Silva, M. S. da, Amaral, S. da S., Queiroz, L. O. de, Pereira , A. R. dos S., Abreu, V. S., Costa Neto, W. V. da ., Rabelo, F. G., Araújo, N. M., & Cantuária, P. de C. . (2021). To burn or not to burn? A case study of the unburned farm in the community of São Sebastião do Livramento-Cutias/AP. Research, Society and Development, 10(16), e155101622537. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i16.22537

Published

25/10/2022

How to Cite

FERREIRA, A. M. de S. D. .; SILVA, R. B. L. e; CANTUÁRIA, P. de C. Herbicides registered for control of infesting plants in the cultive of Glycine max (L.) Merr. (soybeans) in Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e232111436154, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36154. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36154. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences