Perception of attenders of urban parks Garanhuns – PE during the COVID-19 pandemic

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36187

Keywords:

Coronavirus; Public spaces; Urban life.

Abstract

The contamination by the new coronavirus has provoked reflections and questions about the transformations that the city has been going through during this period. And knowing that green areas are important for the lives of the population residing in urban centers, the study aimed to verify through an interview during the COVID-19 pandemic period how regulars perceive and use urban parks, in addition to a interview with park administrators. Thus, it was possible to identify that the parks receive daily the population that lives nearby, in addition to tourists. It was found that in Parque Euclides Dourado there were more female respondents, aged between 18 and 24 years, with single marital status, while in Parque Ruber Van Der Linden users are more often male, aged 35 years. to 44 years, with single marital status. And that parks are valued by their visitors, as they are perceived and used for providing social and environmental function, in addition to offering leisure and health promotion, thus contributing to the quality of life of their users. However, better planning of the suitability of the interior of the parks for the use of the population is necessary, since there was a difference in the adaptation of these spaces during the pandemic period. In this way, the research also aims to contribute to the guidelines to be developed by public managers, with the intention of subsidizing appropriate protocols for the population that uses these spaces.

References

Amador, M. B. M. (2012). Percepção da paisagem do Parque Euclides Dourado no município de Garanhuns – PE. VIII Fórum Ambiental da Alta Paulista, 8(4).

Brito, E. M., Régis, M. M., & Lamano-Ferreira, A. P. N. (2016). Perfil e percepção ambiental de frequentadores do Parque do Guarapiranga – São Paulo/SP. Revista Cientifica, 9(14).

Brito, E. M., Nascimento, A. P. B., Nascimento, J. F. N., & Gallardo, A. L. C. F. (2019). Percepção e uso de parques da cidade de São Paulo: contribuição à agenda dos objetivos do desenvolvimento sustentável. XLII Encontro da ANPAD – EnANPAD.

Chaves, A. M. S. (2017). Indicadores de qualidade ambiental de áreas verdes públicas da cidade de Garanhuns – PE. 166. Dissertação (Mestrado em geografia) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe.

Costa, R. G. S., & Colesanti, M. M. (2011). A contribuicao da percepcao ambiental nos estudos de áreas verdes. Reaga – O Espaço geográfico em análise, 22.

Dacanal, C., Labaki, L. C., & Silva, T. M. L. (2010). Vamos passear na floresta! O conforto térmico em fragmentos florestais urbanos. Ambiente Construido, Porto Alegre,10(2), 115-132.

DECRETO Nº 48.832 DE MARÇO DE 2020. Define no âmbito socioeconômico medidas restritivas temporárias adicionais para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus. https://legis.alepe.pe.gov.br/texto.aspx?tiponorma=6&numero=48832&complemento=0&ano=2020&tipo=&url=

Denzin, N. K., & Linconln, Y. S. (2006). Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: Denzin, N. K., & Lincoln, Y.S. (Orgs.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. (2a. Ed.): Artmed.

Dorneles, F. E., Dal’molin, R., Kucmaski, V. N., Guarda, C., Lutinski, J. A., Busato, M. A., Sá, C. A. (2020). Percepção da população de Chapecó (SC) sobre Áreas Verdes Urbanas. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, 08(56). https://doi.org/10.17271/2318847285620202267

Faustino, D. U., & Teles, R. M. S. (2021). Pesquisa de satisfação em parques urbanos: um estudo no Parque Ibirapuera (SP). Revista Brasileira de Ecoturismo, 14(3), 391-416.

Ferreira, A. D. (2005). Efeitos positivos gerados pelos parques urbanos: o caso do Passeio Público da Cidade do Rio de Janeiro, 99. Niteroi, Rio de Janeiro: Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) –Universidade Federal Fluminense.

Gomes, M. A. S. (2014). Parques urbanos, políticas públicas e sustentabilidade. Mercator-revista de geografia da UFC, 13(2), 79-90.

Gil, A. C. (1991). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Atlas.

IBGE. (2021). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. Censo 2021. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pe/garanhuns.html

Lima, S. M., & Garcez, D. S. (2017). Áreas verdes públicas urbanas e sua relação com a melhoria da qualidade de vida: Um estudo de caso em um Parque Ecológico Urbano na cidade de Fortaleza (Ceará, Brasil). RBCIAMB, 48,140-151. https://doi.org/10.5327/z2176-947820170126

Lima, G. A., Régis, M. M., Viana, N. M., & Nascimento, A. P. B. (2020). Percepção e uso de um ecossistema urbano: parque da cidade Toronto, São Paulo, Brasil. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, 08(65), 122-133.

Lima, A. E. F. L., & Rocha, N. M. M. (2009). Dinâmica dos parques urbanos de Fortaleza – CE: Considerações sobre o Parque Rio Branco. Conexões: Ciência e Tecnologia, 3(1), 53-61. https://doi.org/10.21439/conexoes.v3i1.128

Mcginn, A. P., Everson, K. R., Herring, A. H., Huston, S. L., & Rodrigues, D. A. (2008). The association of perceived and objectively measured crime with physical activity: a crossectional analysis. Journal of physical activity & health, 5(1), 117-131.

Moreira, R. J. D. C. (2021). O uso público do parque estadual turístico do Alto Ribeira (SP) durante a pandemia: relatos de experiências de (re)conexão sociedade-natureza. 98. Monografia em Turismo, Universidade Federal de Ouro Preto – UFPO.

Régis, M. M., Nascimento, A. P. B., & Côrtes, P. L. (2020). Percepção e uso de parques urbanos para a conservação de ecossistemas terrestres. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, 08(55). https://doi.org/10.17271/2318847285520202285

Santos, S. A. (2017). Percepção ambiental dos frequentadores de áreas verdes uma cidade do interior da região sul do Brasil: um estudo sobre parques urbanos. 68. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá.

Santos, T. B., Nascimento, A. P. B., & Regis, M. M. (2019). Áreas verdes e qualidade de vida: uso e percepção ambiental de um parque urbano na cidade de São Paulo, Brasil. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade – GeAS, 8(2), 363-388.

Scalise, W. (2002). Parques Urbanos – evolucao, projeto, funcoes e uso. Revista assentamentos humanos, 4(1), 17-24.

SECULT/PE. (2021). Secretária de Cultura de Pernambuco. Parque Ruber Van Der Linden – Pau Pombo. https://www.mapacultural.pe.gov.br/espaco/301/.

Silva, A. S., Corrêa, E. S., Ferreira, I. L. A., Figueiredo, K. R. S., & Lopes, N. F. .S N. (2012). Percepção ambiental de frequentadores e estudo dos impactos do Parque Ecológico Laguna da Jansen, Município de São Luís, MA. In Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 3.

Silva, E. A. P. C., Silva, P. P. C., Oliveira, L. S., Santos, A. R. M., Rechia, S., & Freitas, C. M. S. M. (2016). Percepcao da qualidade do ambiente e vivências em espaços públicos de lazer. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 38(3), 251-258.

Siqueira, L. C. (2008). Política ambiental para quem?. Ambiente & Sociedade, 11(2), 425-437.

Soares, A., Machado, F., Gularte, Y., & Borges, D. V. B. (2019). Importância dos parques urbanos para promoção da qualidade de vida dos indivíduos. Disciplinarum Scientia, 15(2), 243-257.

Soares, M., & Brasil, L. (2021). Impacto da pandemia da Covid-19 nos hábitos de utilização dos parques verdes urbanos: o caso de Condeixa-a-Nova. Revista de Geografia e Ordenamento do Território (GOT), 20,167-190. http://dx.doi.org/10.17127/got/2020.20.008

Sousa, A. R. P., Araújo, J. L. L., & Lopes, W. G. R. (2012). Percepção ambiental no turismo do Parque Ecológico Cachoeira do Urubu nos munícipios de Esperantina e Batalha no estado do Piauí. Raega – O espaço geografico em análise, 24.

Szeremeta, B., & Zannin, P. H. T. (2013). A importancia dos parques urbanos e áreas verdes na promoção da qualidade de vida em cidade. RAEGA – O espaço geografico em análise, 29, 177-193.

Teramussi, T. M. (2008). Percepção ambiental de estudantes sobre o Parque Ecológico do Tietê, São Paulo – SP. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Vidal, D. G., Fernandes, C. O., Viterbo, L. M. F., Vilança, H.; Barros, N., & Maia, R. L. (2021). Usos e percepções sobre jardins e parques públicos urbanos. Finisterra, 116, 137-157.

Ximenes, D. S. S., Silva, G. M. N., Maglio, I. C., Chiquetto, J. B., Amato-Lourenço, L. F., Vasconcellos, M. P., Jacobi, P. R., Coutinho, S. M. V., & César, V. A. B. S. S. (2020). Emoções momentâneas: comportamentos e hábitos cotidianos pós-pandemia. Documento oficial do Centro de Síntese USP-Cidades Globais do IEA USP.

Published

26/10/2022

How to Cite

PAIVA, I. M. M.; ANDRADE, L. P. de .; ANDRADE, H. M. L. da S. Perception of attenders of urban parks Garanhuns – PE during the COVID-19 pandemic. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e266111436187, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36187. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36187. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences