Corporate Sustainability and Environmental Certification in Companies

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36199

Keywords:

Companies; Responsibility; Sustainability; Corporate sustainability.

Abstract

As environmental issues are, in a definitive way, inserted in the interests of society and organizations, being discussed looking for new alternatives, companies included in their scope the concern with the environmental impacts they generate on the environment in their list of guidelines. Sustainability in Brazilian organizations is a topic that is being increasingly addressed, dating back to the 20th century. The way for companies to publicly prove this respect for the environment is by acquiring environmental certification. In this article, we will approach ISO 14001 certifications through quantitative methodologies and bibliographic research, presenting the results of certifications obtained in the last six years by Brazilian companies, as well as the importance of these certifications not only for organizations but also for society as a whole. one all.

References

Acoroni¹, J. C. P., da Silva, A. V., & de Souza, E. D. (2013). EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Melhores Práticas em economia de energia em um setor industrial.

Bellen, H. M.V. (2005). Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. FGV editora.

Berto, P. J., Ferraz, D., & Rebelatto, D. A. D. N. (2020). Economia Circular, Bioeconomia e Investimento Sustentável: Uma Revisão Sistemática da Literatura. In Conference: XXVII Simpósio de Engenharia de Produção.

Braga, C. (2009). Introdução: Contabilidade Ambiental-Ferramenta para a Gestão da Sustentabilidade.

Certifiq, Inmetro (2022). <https://certifiq.inmetro.gov.br/Grafico/HistoricoCertificadosValidos>.

Cunha, F. A. F. D. S., & Samanez, C. P. (2014). Análise de desempenho dos investimentos sustentáveis no mercado acionário brasileiro. Production, 24, 420-434.

Dias, R. (2003). A Sustentabilidade nas Organizações. In: Dias, Reinaldo; Zavaglia, Tércia; Cassar, Maurício. Introdução à administração: Da Competitividade à Sustentabilidade. Campinas, SP: Editora Alínea.

Figueiredo, G. N., Abreu, R. L., & Las Casas, A. L. (2009). Reflexos do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) na imagem das empresas: uma análise do consumidor consciente e do marketing ambiental. Pensamento & Realidade, 24(1).

França, S. L., & Alledi, C. Responsabilidade Social Organizacional.

Gârdan, D. A., Andronie, M., Gârdan, I. P., Andronie, I. E., Iatagan, M., & Hurloiu, I. (2018). Bioeconomy development and using of intellectual capital for the creation of competitive advantages by SMEs in the field of biotechnology. Amfiteatru Economic Journal, 20(49), 647-666.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA.

Kalayci, I., Uzun, A. D., & Özkurt, H. (2017, September). Bioeconomy and/or Biotechnology: Limited Improvements in Turkey. In International Conference on Transformations and Innovations in Management (ICTIM 2017) (pp. 167-179). Atlantis Press.

Lopes, V. F. (2014). Método para avaliar a montagem de produtos com base no DFA no âmbito do tripé da sustentabilidade.

Martins, G. D. A., & Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da investigação cientifica. São Paulo: Atlas, 143-164.

Martins, J. K. D. B. (2021). Inovação social e sustentabilidade ambiental: um estudo na empresa Verde Novo.

Naime, R. H., Godecke, M. V., & Figueiredo, J. A. S. (2012). O consumismo e a geração de resíduos sólidos urbanos no Brasil. Revista Eletrônica em gestão, educação e tecnologia ambiental, 1700-1712.

Piske, O. (2011). O processo de globalização e a necessária sustentabilidade ambiental.

Reis, T. B. (2015). Ontologia ISE/GRI: Integração do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e a Global Reporting Iniciative (GRI).

Sá, M., Golçalves, E. B., Bittarello, K., & Lapolli, E. M. (2013). Responsabilidade socioambiental: um desafio para a micro e pequena empresa. X Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

Santos, É. H., & da Silva, M. A. (2017). Sustentabilidade empresarial: um novo modelo de negócio. Revista Ciência Contemporânea, 2(1), 75-94.

Silva, D. A., & Ribeiro, H. (2005). Certificação ambiental empresarial e sustentabilidade: desafios da comunicação. Saúde e Sociedade, 14, 52-67.

Silva, N. N. D. O. (2007). Gestão ambiental empresarial.

Sousa, R. (2020). Terceira revolução industrial. Brasil Escola.

Tachizawa, T. (2005). Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira. In Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira (pp. 427-427).

Takenaka, E. M. M. T., Campos, R. M., & dos Reis Teixeira, G. K. (2011). Marketing verde e sua contribuição nas organizações. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, 7(11).

Viana, M. M. (2008). Inventário do ciclo de vida do biodiesel etílico do óleo de girassol (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Zouain, D. M., Ferreira, C. D. C., Macedo, M. Á. D. S., Sant'anna, P. R. D., Longo, O. C., & Barone, F. M. (2011). Gestão de capital de giro: contribuição para as micro e pequenas empresas no Brasil. Revista de Administração Pública, 45, 863-884.

Published

19/10/2022

How to Cite

MEIRELLES, C. S. .; SILVA, D. C. da .; SANTANA, L. S.; NASCIMENTO, T. M. A. do .; PEREIRA, V. de A. .; MORAIS, M. de O. Corporate Sustainability and Environmental Certification in Companies. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e106111436199, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36199. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36199. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Engineerings