Health care for users with hearing impairment: integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36362

Keywords:

Hearing loss; Hearing impaired person; Health services accessibility.

Abstract

The deaf community is composed of people who use Sign Language as their first means of communication, being deaf and hearing. Having difficulties in accessing places that are common to other people such as hospitals, this causes there to be a hindrance in the communication of the deaf with the health professional during urgent care, where the health professional has no understanding, and most often has no experience on sign languages. Thus, it tends to have an ineffective communication that is harmful to the method of therapeutic intervention. The aim of this review is to address the communication difficulties in the use of health services by deaf users. In the methodology, the software IRAMUTEQ® (Interface de R pour lês Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires) was used for processing and analysis of the textual corpus made from the articles collected through the Google Acadêmico and Scielo databases. With this, our results were chosen for the use of the descending hierarchical classification (CHD) performed textual analysis of the research, with this the study showed the main difficulties during the care of the deaf person in the health service beyond the struggles of the deaf community and how it affects the quality of the service provided. Thus, concluding that the deaf person constituted or not of citizenship deserves a quality care, which seeks the integral recovery of their health and encouraging the learning of LIBRAS by health professionals.

References

Aragon, C A, & Santos I B .(2015) Deficiência auditiva/surdez: conceitos, legislações e escolarização. Educação, Batatais, 5(2), 119-140.

Arakawa, A M (2011). Análise De Diferentes Estudos Epidemiológicos em Audiologia Realizados no Brasil. Revista CEFAC. 13(1):152-158

Barbosa, M A et al (2010). Atendimento à pessoa surda que utiliza a Língua de Sinais, na pespectiva do profissional da Saúde. Cogitare Enferm. (4):639-45

Batista J B (2016). Comunicação entre profissional da saúde e usuários surdos: estratégias e desafios. Lume trabalhos acadêmicos e técnicos, TCC Saúde Coletiva. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/152739

Bardin I. Análise de conteúdo. P.229, São Paulo, 2016.

Berndt L K (2018). Itinerário Terapêutico de Crianças e Adolescentes com Deficiência Auditiva. Universidade federal de santa catarina Centro de ciências da saúde. Curso de graduação em enfermagem. https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/191409

Bornholdt, L. et al (2018). Cuidados de Enfermagem a indivíduos com surdez e/ou mudez em instituição hospitalar. Revista Enfermagem in derme – 88-27

Brasil (2001), Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/ces1133.pdf

Brasil (2002), Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002, Dispõe sobre a íngua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências

Brasil (2015). Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

Brasil(2004). Ministério da Saúde. Portaria nº 2.073, de 28 de julho de 2004. Institui a Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva. Brasília

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1998.

Brasil. Ministério da Saúde. Biblioteca Virtual da Saúde. Surdez. 2020

Britto F R, & Samperiz M M F (2010). Dificuldades de comunicação e estratégias utilizadas pelos enfermeiros e sua equipe na assistência ao deficiente auditivo. Einstein. 8(1 Pt 1):80-5

Costa, D G O. et al (2021). A percepção de pessoas surdas sobre o acolhimento e cuidado dos profissionais de enfermagem em unidades de emergência. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2021 Vol 13(5). https://doi.org/10.25248/REAS.e7451

Duarte, S B R, et al. (2013). Aspectos históricos e socioculturais da população surda. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v20(4), 1713-1734.

Felipe I M A, Neves D B, & Nunes S P H (2016). Atendimento aos surdos nos serviços de saúde: acessibilidade e obstáculos. Revista Infarma, Ciencias farmacêuticas. 28(3), 57- 165.

Kendrick D, & Cruz G C (2018). Oficialização da libras: movimento surdo e política linguística de resistência. Revista Trama. 14(32). 04 – 14

Krause K, & Klein A F (2018). Políticas públicas para surdos: os pontos legais e críticos na acessibilidade. V Seminário Internacional de Direitos Humanos e Democracia. V Mostra de Trabalhos Cientificos. file:///C:/Users/Usu%C3%A1rio/Downloads/9042- Texto%20do%20artigo-38114-1-10-20180227.pdf>

Machado, W C A et al (2018). Integralidade na rede de cuidados da pessoa com deficiência. Texto Contexto Enfermagem 27(3): e4480016.

Marconi, M. A; & Lakatos, E. M. (2017). Fundamentos de metodologia científica. (8ª ed.), editora atlas.

Moreira, P. A. L (2008). O fator linguístico na aprendizagem e desenvolvimento cognitivo da criança surda. Revista virtual de cultura surda e diversidade. Edição nº 03ISSN 1982-6842.

Oliveira,Y C A de, Celino S D M, & Costa G M C (2015). Comunicação como ferramenta essencial para assistência à saúde dos surdos. Physis Revista de Saúde Coletiva. 25 [ 1 ]: 307-320.

Pagliuca, L. M. F.; et al (2015). Repercussão de políticas públicas inclusivas segundo análise das pessoas com deficiência. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem. 19(3)

Silva R N A da, et al (2015). Assistência ao surdo na atenção primária: concepções de profissionais. JMPHC. Journal of Management and Primary Health Care. J Manag Prim Heal Care 6(2):189-204

Souza M A, et al (2018). O uso do software IRAMUTEQ na análise de dados em pesquisas qualitativas. Revista da escola de enfermagem da USP, v. 52, e03353.

Souza M F N S, Araújo A M B, Sandes L F F, Freitas D A, Soares W D, Vianna E S M, & Sousa A A D (2017). Principais dificuldades e obstáculos enfrentados pela comunidade surda no acesso à saúde: uma revisão integrativa de literatura. Revista CEFAC 19(3):395-405.

Published

04/11/2022

How to Cite

PARENTE, J. S.; BARROS , C. do S. D.; ALVES, M. E. F. .; TRINDADE, R. da C.; NUNES, Y. C. G.; AMADOR, A. F.; SANTOS, L. C. dos .; REIS, R. A. dos. Health care for users with hearing impairment: integrative literature review . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e513111436362, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36362. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36362. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Health Sciences