Science teaching in the early years of elementary school: student learning and teacher practice

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3644

Keywords:

Teaching; Learning; Teachers; Formation; School context.

Abstract

In the scope of Science Teaching, it is possible to perceive the learning potentials developed with the students, resulting in changes in the school routine and in the practice of teachers, thus realizing the paths of training, of the evaluation processes about Science Teaching. For that, it is necessary to understand how Science Teaching happens in the basic school, specifically its limits and possibilities. In this study we aim to understand the configuration of Science Teaching during the students' learning process and the practice of teachers from the early years of elementary school. This is an exploratory research with a qualitative approach, using, as theoretical foundations, the studies of Pimenta (1994), Freire (1996), Gasparin (2003) Kosik (2010). The results show the following limits: i) teachers' embarrassment when the class does not achieve the expected results; ii) the need for greater articulation between Science Teaching and the reality of students, school and teachers; iii) the need for greater monitoring and pedagogical support for the results to be achieved; iv) the recurrence of training as a way of making students able to teach Science. Therefore, it is necessary that alternatives are created to minimize the gaps regarding Science Teaching, bringing it closer to the reality of the school, students, teachers, favoring quality education.

Author Biographies

Maria Elizete Pereira Alencar Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (2008). Cursou duas especializações (lato sensu) em Educação Infantil e Gestão Escolar pela FALC e UFC, respectivamente. Atualmente é professora de ensino fundamental l (4º ano). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Tem trabalhado com os seguintes temas de pesquisa: educação de jovens e adultos, educação infantil, ensino fundamental I, práticas pedagógicas, treinamento de professores e avaliação externa na escola básica.

Francisca Helena de Oliveira Holanda, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (1995). Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2009), Especialização em Educação Biocêntrica pela Universidade Estadual do Ceará (2005). Doutorado em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (2013-2017). Foi professora de educação básica da Prefeitura Municipal de Maracanaú (1995 a 2016) no ensino fundamental, supervisão escolar e gestão escolar. Atuou como professora de educação básica da Prefeitura de Fortaleza (2001-2005) no ensino fundamental com ênfase na educação de jovens e adultos e da Faculdade Vale do Jaguaribe - FVJ, Ceará, esta última instituição (2011-2013) no curso de pedagogia, em disciplinas de fundamentos da educação; em especializações em gestão escolar. Tem experiência na área de Educação, com área de concentração em Educação de Adultos, formação de professores, avaliação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, pedagogia, geografia, política educacional e gestão, banco mundial, legislação da educação básica, estágio supervisionado, monografia I e II, reprodução do capital, universalização do ensino, Projeto de Educação para Todos (EPT) e ontologia marxiana. É colaboradora do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário - IMO/UECE e atualmente, professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, campus Canindé e Maracanaú, nos programas de licenciatura em Matemática e Licenciatura em Química.

Maria Cleide da Silva Barroso, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (2004). Foi aluna do curso de Filosofia da UECE. Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará UFC (2009). Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará UFC (2017). Pesquisadora Colaboradora do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operacional IMO do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará UECE. Professora Permanente de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática MACIMAT / IFCE (acadêmico). Coordenar o grupo de estudos de Licenciatura em Química do IFCE Campus Maracanaú, intitulado: Trabalho, educação e políticas de treinamento docente: uma análise no contexto do capitalismo contemporâneo. É coordenadora de área do PIBID.Coordenação do Laboratório de Práticas Pedagógicas - LAPP, no IFCE / Campus Maracanaú. É Professora de Licenciatura em Química do IFCE - Campus Maracanaú. Tem experiência na área de Educação, principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores; Educação e Marxismo; Construtivismo e Formação Docente; Professor e prática reflexiva; Educação Infantil; Avaliação de Sistema; Didática; História do curso de Pedagogia no Brasil e Estágio Supervisionado.

References

Bizzo, N. (2009). Ciências: fácil ou difícil?. São Paulo: Biruta.

Bogdan, R & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação. Uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora.

Brasil. (1997). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais:

Ciências Naturais/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC.

Brasil. (1996) Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 13. ed. Brasília: Câmara dos Deputados.

Delizoicov, D. (2000). La Educación em Ciências y La Perspectiva de Paulo Freire. Alexandria- Revista de Educação em Ciências e Tecnologia, 1(2): 37 – 62.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Gasparin, J.L. (2003). Uma didática para a Pedagogia Histórico-Crítica, 2. Ed. Campinas: Autores Associados.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projeto de pesquisa. 4ª. Ed. São Paulo: Atlas.

Gomes, R. A. (1993). análise de dados em pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M.C.S.de. Pesquisa social: teoria método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 67-79.

Kosik, K. Dialética do concreto. (2010). Trad. NEVES, Célia; TORÍBIO, Alderico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

Marx, K. (1996). Vida e obra. São Paulo: Editora Nova Cultural. (Coleção Pensadores).

Matos, K. S. L. de. & Vieira, S. L. (2001). Pesquisa educacional: o prazer de conhecer. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, UECE.

MINAYO, M. C. de S; (Org) (2016). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes.

Pereira, A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 18 Abril 2020.

Saviani, D. (1991). Pedagogia histórico crítica: Primeira as aproximações. 2. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991.

Santos, W.L.P. & Mortimer, E.F. (2002). Uma análise de pressupostos teoricos da abordagem CT-S (Ciência - Tecnologia - Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio- Pesquisa em Educação em Ciências, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 1-23.

Pimenta, S. G. (1994). O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? São Paulo: Cortez, 1994.

Yin, R.K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução Daniel Grassi. 3ª. Ed. Porto Alegre: Bookman.

Published

21/04/2020

How to Cite

OLIVEIRA, M. E. P. A.; HOLANDA, F. H. de O.; BARROSO, M. C. da S. Science teaching in the early years of elementary school: student learning and teacher practice. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 6, p. e163963644, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i6.3644. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3644. Acesso em: 2 mar. 2024.

Issue

Section

Education Sciences