Pharmaceutical assistance to patients with Systemic Lupus Erythematosus under Azthioprine and Hydroxychloroquine: a literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36657

Keywords:

Pharmaceutical assistance; Azathioprine; Hydroxychloroquine; Systemic lupus erythematosus.

Abstract

The present study aims to report the importance of pharmaceutical care for patients with Systemic Lupus Erythematosus using Azathioprine and hydroxychloroquine. And specifically, describe the role of Pharmaceutical Care for patients with chronic diseases; present the characteristics of the autoimmune disease Lupus erythematosus; and demonstrate the need for pharmacotherapeutic monitoring of the drugs Azathioprine and Hydroxychloroquine. This study was carried out through a bibliographic and systematic review and online data collection. As for the use of Azathioprine, it is considered one of the safest when it comes, mainly, to more severe clinical conditions related to lupus nephritis. With regard to Hydroxychloroquine, in its use for the treatment of SLE, the drug is responsible for acting by inhibiting the B cell receptor and signaling. In this sense, the drug treatment of SLE must occur in a strategic and individualized way for each case, since it will depend on which organs were affected and the severity of the symptoms, since the analysis of intervention in the health-disease process carried out by the pharmacist, must have information regarding the symptoms presented by the patient: the beginning of the problem, the duration, the severity, the description, if it is acute or chronic, if it has concomitant symptoms, if it has aggravating or relieving factors, and the presence or not from previous treatments. Therefore, pharmaceutical care serves as a way to control the use of medicines, so that the effect of the medication is effective and effective, without causing damage to human life.

References

Abreu, R. D. S., Miranda, K. S., Simões, A. B. A., Vieira, G. D., & Sousa, O. V. (2020). Assistência farmacêutica em unidades básicas de saúde: um foco no serviço farmacêutico. Brazilian Journal of health Review, Curitiba, 3(4), 9797-9911 jul./aug.10.34119/bjhrv3n4-220

Andrade, L. S., & Carvalho, C. H. R. (2020). A relevância do farmacêutico na atenção primária à saúde: relato de experiência. REVA Acad. Rev. Cient. da Saúde. Rio de Janeiro, RJ, 5(1), 10-17 jan./abr.

Becker, L. V., et al. (2018). Papel do sistema purinérgico no Lúpus Eritematoso Sistêmico: um estudo clínico e de revisão. Tese (Doutor em Bioquímica Toxicológica) - Programa de pós-graduação em Ciências Biológicas.

Bermudez, J. A. Z., et al. (2018). Assistência Farmacêutica nos 30 anos do SUS na perspectiva da integralidade. Ciência & Saúde Coletiva [online], 23(6), 1937-1949. 10.1590/1413-81232018236.09022018

Brasil. (2013). Portaria nº 100, de 7 de Fevereiro de 2013. Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Lúpus Eritematoso Sistêmico. Ministério da Saúde.

Brasil. (2004). Resolução n. 338, de 06 de maio de 2004. Aprova a Política Nacional de Assistência Farmacêutica [resolução na internet]. Conselho Nacional de Saúde. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Seção 1 n. 96, 20 de maio de 2004. [acesso em 04 set 2019]. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2004/res0338_06_05_2004.html

Campos, J. M., Silva, T. ,M. & Errante, P. R. (2017). Tratamento farmacológico no Lúpus Eritematoso Sistêmico. Revista UNILUS Ensino e Pesquisa, 14 (35), abr./jun. Recuperado de: http://revista.unilus.edu.br/index.php/ruep/article/download/788/u2017v14n35e788

Costa, B. P., et al. (2021). Prática farmacêutica na seleção e programação de medicamentos no Sistema Único de Saúde (SUS): Revisão de literatura. Research, Society and Development, 10(14), e547101422522. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i14.22522

Costa, R. A. C., Silva, L. L. L., Souzam, D. A., & Castro, F. J. (2020). Práticas integrativas e complementares no tratamento de Lúpus Eritematoso Sistêmico. JNT- FACIT BUSINESS AND TECHNOLOGY JOURNAL, 1(21), 105-113, dez. http://revistas.faculdadefacit.edu.br/index.php/JNT/article/download/771/565

Cristália. (2022). IMUNEN - (azatioprina). From: https://www.cristalia.com.br/arquivos_medicamentos/212/Imunen_Bula_Paciente.pdf

Duarte, D. A. C. (2019). Rúpus: como e quando diagnosticar? Dissertação (Mestrado Integrado em Medicina) – Faculdade de Medicina Lisboa, Universidade de Lisboa, Lisboa. https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/42924/1/DanielaCDuarte.pdf

Escórcio, I. P. M., et al. (2021). Acompanhamento farmacoterapêutico dos pacientes portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico do município de Piripiri-PI. Research, Society and Development, 10(4), e33110413482. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13482

Ferreira, R. L., & Terra Júnior, A. T. (2018). Estudo sobre a automedicação, o uso irracional de medicamentos e o papel do farmacêutico na sua prevenção: Imagem: Vida e Saúde. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, (9), 570–576. https://doi.org/10.31072/rcf.v9iedesp.617

Furlan, F. L., Lemes, M. A., Pires, C. T., Azevedo, G., Bernardi, G. F., Simões, Y. S., Marcia Dias, M. R., & Skare, T. L. (2018). Qualidade de vida em tratamento de lúpus eritematoso sistêmico com antimaláricos. Rev Soc Bras Clin Médica, 16(1), 2-6, jan-mar. Recuperado de: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/06/884974/1612-6.pdf

Gois, J. N. M., & Oliveira, J. C. (2019). Atenção farmacêutica aos pacientes com Alzheimer: elaboração do plano farmacoterapêutico. Ponta Grossa, PR: Atena Editora.

Guerim, P. H., Leal, D. B. R., & Marquezan, P. K. (2022). Medicamentos utilizados no tratamento de lúpus eritematoso sistêmico e suas repercussões orais. Research, Society and Development, (11)5, e17511528151. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i5.28151

Img Brasil. (2022) Sulfato de hidroxicloroquina. Drogasil. https://img.drogasil.com.br/raiadrogasil_bula/SulfatodeHidroxicloroquina400mgEMS.pdf

Junior, G. J. A. T., Silva, C. E. F., & Magalhães, V. (2011). Aplicação dos critérios diagnósticos do lúpus eritematoso sistêmico em pacientes com hanseníase multibacilar. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 11(1), 85-90. https://doi.org/10.1590/S0037-86822011000100019

Lima, S. C. (2018). Influência dos genes da imunidade inata e adaptativa PTPN22, IF1H1 e VDR e dos genes de reparo de DNA RAD52, LIG4 e STK17A na patogênese do Lúpus Eritematoso Sistêmico. Tese (doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Biociências. Biologia Aplicada à Saúde. Recife.

Lopes, A. B., et al. (2021). Abordagem do lúpus eritematoso sistêmico em gestantes: revisão narrativa. Revista Eletrônica Acervo Científico; 32, 8587-8587. DOI: https://doi.org/10.25248/reac.e8587.2021

Macedo, R. M., Garcia, T. R., Castanheira, E. P., Noleto, D. C., Freitas, T. V. M., & Freitas, A. A. (2020). Lúpus Eritematoso Sistêmico: relação entre os diferentes tratamentos e evolução clínica. Rev Med (São Paulo), 99(6), 573-580, nov-dez. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i6p573-580

Mota, D. M., Vigo, A., & Kuchenbecker, R. S. (2019). Reações adversas a medicamentos no sistema de farmacovigilância do Brasil, 2008 a 2013: estudo descritivo. Cadernos de Saúde Pública [online], 35(8), e00148818. https://doi.org/10.1590/0102-311X00148818

Nazaré, K. A., Leal, W. S., Fernandes, E. L., Silva, F. C. S., Araújo, M. E. S., Melo, D. A., Rodrigues, B. T. F., & Lopes, L. A. (2021). Lúpus Eritematoso Sistêmico: métodos de diagnóstico e estratégias de tratamento. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR, (34)3, 36-41. https://www.mastereditora.com.br/periodico/20210507_074214.pdf

Neder, P. R. B., Ferreira, E. A. P., & Carneiro, J. R. (2017). Adesão ao tratamento do lúpus: efeitos de três condições de intervenção. Psic., Saúde & Doenças, (18)1, 203-220. http://dx.doi.org/10.15309/17psd180117

Oliveira, H. S. B., & Corradi, M. L. G. (2018). Aspectos farmacológicos do idoso: uma revisão integrativa de literatura. Rev Med (São Paulo), 97(2), 165-76. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i2p165-176

Oliveira, N. V. B. V., et al. (2017). Atuação profissional dos farmacêuticos no Brasil: perfil sociodemográfico e dinâmica de trabalho em farmácias e drogarias privadas. Saúde e Sociedade [online], 26(4), 1105-1121. https://doi.org/10.1590/S0104-12902017000002

Oliveira, R. C. (2015). Imunopatogenia do Lúpus Eritematoso Sistêmico na Bahia: envolvimento de autoanticorpos e prolactina. Tese (Doutorado) – Instituto de Ciências da Saúde, Programa de PósGraduação em Imunologia. Salvador.

Oliveira, R. F., Vale, E. S., Brito, A. L. N., et al. (2022). Fatores associados em gestantes com Lúpus Eritematoso Sistêmico. Revista Eletrônica Acervo Saúde,15(2). https://doi.org/10.25248/reas.e9854.2022

Pastore, D. E. A., Costa, M. L., Parpinelli, M. A., & Surita, F. G. (2018). Uma Revisão Crítica Sobre o Acompanhamento Obstétrico de Mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 40, p. 209-224. https://doi.org/10.1055/s-0038-1625951

Pawlak-Bus, K., Gaca-Wysocka, M., Grzybowski, A., & Leszczynski, P. (2016). Visão atual sobre o tratamento derivado de cloroquina da perspectiva reumatologista e possíveis efeitos colaterais oculares. Pol Merkur Lekarski., 40(237), 202-206. https://medpress.com.pl/pubmed.php?article=237202

Pedro, E. M., Menezes Júnior, J. O., Silva, F. A. B., & Sobreira, M. V. S. (2020). A prática da atenção farmacêutica nas drogarias: revisão de literatura. Temas em Saúde, 20(5), João Pessoa. 10.29327/213319.20.5-3

Pereira, A. S., et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed.UAB/NTE/UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pinto, A. F. D. A. (2020) Critérios de cuidados individuais e coletivos nas drogarias em tempo de COVID-19. Gestão e Tecnologia Faculdade Delta, 1(30), 6-9. https://www.faculdadedelta.edu.br/revistas3/index.php/gt/article/download/61/31

Rees, F., Doherty, M., Grainge, M. J., Lanyon, P., & Zhang, W. (2017). A incidência e prevalência mundial de lúpus eritematoso sistêmico: uma revisão sistemática de estudos epidemiológicos. Rheumatology (Oxford, England), 56(11), 1945–1961. 10.1093/reumatologia/kex260

Ribeiro, A. C., & Araújo, N. C. (2021). Cuidados paliativos em reumatologia: séries de casos. Revista Científica, IAMSPE, 10(1). http://www.iamspe.sp.gov.br/wp-content/uploads/cedep/revistacientifica/revistacientificadoiamspevol10no01-v2.pdf

Rocha, A. S., & Giotto, A. C. (2020). A Importância da Assistência Farmacêutica em Home Care. Revista de Iniciação Cientifica e Extenção: Revisão de Literatura, 3(1), 390-400. https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/298

Sampaio Júnior, H. C., Lopes, H. C., Rocha, L. S. S., Cavalcante, M. O. B., & Carvalho Júnior, A. L. (2020). Avaliação dos sintomas, complicações, tratamento e efeitos colaterais medicamentosos sobre a qualidade de vida de portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES): revisão de literatura. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, 3(4), 10303-10318. https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-253

Santana, D. P. H., Taveira, J. C. F., & Eduardo, A. M. L. E. N. (2019). A Importância da Atenção Farmacêutica na Prevenção de Problemas de Saúde. Revista de Iniciação Científica e Extensão, 2(1), 59–60. https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/235

Santana, K. S., Horácio, B. O., Silva, J. E., Cardoso Júnior, C. D. A., Geron, V. L. M. G., & Terra Júnior, A. T. (2018). O papel do profissional farmacêutico na promoção da saúde e do uso racional de medicamentos. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente. Ariquemes: FAEMA, 9(1), jan./jun. https://doi.org/10.31072/rcf.v9i1.538

Silva, P. H. O., & Bittencourt, I. M. (2021). Revisão Sistemática da Literatura de Competências Profissionais para Inovação: uma análise dos últimos 10 anos. Cadernos de Prospecção, 14(4), 1130–1144. https://doi.org/10.9771/cp.v14i4.33456

Soares, L. S. S., Brito, E. S., & Galato, D. (2020). Percepções de atores sociais sobre Assistência Farmacêutica na atenção primária: a lacuna do cuidado farmacêutico. Revista Saúde Debate, Rio de Janeiro, 44(125), 411-426, abr-jun. 10.1590/0103-1104202012510

Souza, C. B. C., Araújo, D. K. L., & Sousa, M. N. A. (2022). Manejo terapêutico medicamentoso do Lúpus eritematoso sistêmico na gestação. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 25(1), 142-153. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2022.v25i1.966

Surita, F. G., & Pastore, D. E. (2018). Lúpus eritematoso sistêmico e gravidez. Protocolos Febrasgo, (90). febrasgo.org.br/media/k2/attachments/Vol.Z47ZnZ6Z-Z2019.pdf

Xiong, W., & Lahita, R. G. (2014). Pragmatic approaches to therapy for systemic lupus erythematosus. Nat Rev Rheumatol, 10(2), 97-107. 10.1038/nrrheum.2013.157

Published

04/11/2022

How to Cite

SOUSA, M. V. de .; MENDONÇA, L. A. de . Pharmaceutical assistance to patients with Systemic Lupus Erythematosus under Azthioprine and Hydroxychloroquine: a literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e503111436657, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36657. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36657. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Health Sciences