Acceptability about the use of generic drugs and its challenges in the pharmaceutical market

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37083

Keywords:

Generic drug; Acceptance; Challenges; Bioavailability.

Abstract

Introduction: Drugs are pharmaceutical forms obtained for the therapeutic purpose for diagnostic purposes, so drugs are indispensable for human health. Then the generic drug policy in Brazil, implemented by law 9.787/99 established generic as identical to the reference, aiming at a greater introduction of drugs throughout the Brazilian territory ensuring a higher quality of life for the population. Anvisa guarantees the effectiveness of these drugs through bioequivalence testing, thus ensuring their interchangeability. Objective: To make an analysis about the acceptability of society in relation to the use of generic drugs and what are its challenges in the pharmaceutical market. Methodology: Refers to a bibliographic literature research, of the type integrative, qualitative and exploratory review, carried out in the databases: Scielo, Google scholar and Anvisa website. Result of discussions: Although it has been noted that the acceptance of generic drugs have grown since their arrival here in Brazil, it was observed the importance that health professionals have ahead to help expand the knowledge of the quality of generic drugs and that they are fully interchangeable as original medicine. Conclusion: It is concluded, then, that generics are of great importance for health promotion and that knowledge about their efficacy has increased over the years, but it is of paramount importance for physicians and pharmacists to explain the effectiveness of these drugs so that this acceptance can have more confidence.  

References

Almeida, S. R. P. D. (2015). Políticas Públicas para o acesso aos medicamentos no Brasil: o caso da Farmácia Popular (Dissertação de Doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Alonso, M. A. S., Barbosa, A. F., Silva, N. G. C., Cruz, K. D. M. B., Silva, J. R. G., de Mattos Machado, S. H., & Silva, D. A. (2015). Adesão à prescrição de medicamentos genéricos por parte dos profissionais da área médica. Acta Biomedica Brasiliensia, 6(1), 45-55.

ANVISA (2020a). Medicamentos genéricos. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. https://www.gob.br/anvisa/pt-br/assuntos/medicamentos/genericos.

ANVISA (2020b). Medicamentos genéricos: estatísticas e listas. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/medicamnetos/genericos/estatiticas.

Araújo, L. U., Albuquerque, K. T. D., Kato, K. C., Silveira, G. S., Maciel, N. R., Spósito, P. Á. ... & Storpirtis, S. (2010). Medicamentos genéricos no Brasil: panorama histórico e legislação. Revista Panamericana de Salud Pública, 28(6), 480-492.

Bueno, M. M., & Storpirts, S. (2009). Aspectos regulatórios e perspectivas para o registro e o pós-registro de medicamentos genéricos e similares no Brasil. Storpirtis S, Gonçalves, JE, Chiann C, Gai MN. Biofarmacotécnica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 231-43.

Carneiro, JMB, Díaz, EMP, & Romeiro, E. (2019). Percepção do consumidor de embalagens de medicamentos genéricos e sua influência na escolha do produto: um estudo em Minas Gerais, Brasil. Gestão & Produção, 26 (1).

Cassiano, V., & Barroso, W. B. G. (2013). Propriedade Industrial: Oportunidades e Barreiras para a Produção de Medicamentos Genéricos no Brasil. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 2(1), 140-160.

Costa, JS, de Oliveira, MB, Figueiredo, FJB, de Almeida Pinheiro, T., Ruas, LPR, de Almeida Pinheiro, T., & Guimarães, TA (2022). Aceitabilidade dos medicamentos genéricos entre os alunos de um curso de farmácia do Norte de Minas Gerais. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 11 (1), e4811122923-e4811122923.

Da Cruz, AFP, Balieiro, AS, Cruz, JB, de Melo Neves, A., & Costa, PHP (2021). Fatores associados à associação dos medicamentos genéricos pela população. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10 (10), e68101018438-e68101018438.

Da Silva, C. S. (2020). A importância da implantação dos medicamentos genéricos no Brasil (Bachelor’s thesis). Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

De Amorim Rodrigues, L., de Oliveira Freitas, T., Coelho, V. A. T., de Souza, C. G., & de Araújo, L. B. S. (2020). Medicamentos genéricos nos últimos 20 anos e a percepção dos consumidores. Revista Multidisciplinar do Nordeste Mineiro, 1(01).

De Oliveira Lemes, E., de Almeida, N. S. V., Eubanks, P. H. P., de Resende, S. R., & da Luz, W. C. M. (2018). História do Medicamento Genérico no Brasil. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, 22(2), 119-123.

De Souza, C. M. A. (2016). Dezesseis anos de política de genérico no Brasil: desafios e perspectivas (Monografia de Bacharelado). Universidade Federal do Rio de Janeiro

De Souza, C. M. A. (2020). A regulação do preço dos medicamentos genéricos no Brasil (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Freitas, M. S. T. (2016). Intercambialidade entre medicamentos genéricos e similares de um mesmo medicamento de referência (Dissertação de Doutorado). Universidade de São Paulo.

Froda, I. A., Carvalho, M., Lopes, E. L., & Pinochet, L. H. C. (2020). " Can it be a generic?": a study on the buying behavior of Brazilian medicine consumers. Revista Gestão & Tecnologia, 20(3), 106-127.

Gomes, L. D. S. S. (2017). Análise do conhecimento e da aceitação dos medicamentos genéricos pelos profissionais de saúde da Santa Casa de Misericórdia do município de Cachoeira Bahia.

Lei n° 9.787, de 10 de fevereiro de 1999. Altera a Lei n° 6.360, de 23 de Setembro de 1976, que dispõe sobre a vigilância sanitária, estabelece medicamento genérico, dispõe sobre a utilização de nomes genéricos em produtos farmacêuticos e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado de: http://www.planalto.gob.br/ccivil¬_03/leis/L9787.htm.

Lei n° 13. 874, de 20 de Setembro de 2019. Institui a Declaração de direitos de Liberdade Econômica; estabelece garantias de livre mercado; altera leis. Brasília, DF. Recuperado de: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1998/prt3916_30_10_1998.html.

Leite, S. N., Vieira, M., & Veber, A. P. (2008). Estudos de utilização de medicamentos: uma síntese de artigos publicados no Brasil e América Latina.

Leonardi, Egle. (2020). ICTQ. Genérico é uma estratégia consolidada no Brasil. https://ictq.com.br/industria-farmaceutica/854-generico-e-um-sucesso-consolidado-no-brasil.

Luppe, M. R., Rossi, C. M., Torres, R. R., & de Souza Aguiar, H. (2020). Análise de atributos na preferência entre consumo de medicamentos genéricos e similares ou medicamentos de referência. Revista Gestão Organizacional, 13(2), 48-66.

Machado, BG, Amaral, AR, Neto, AR, de Figueiredo, BQ, de Oliveira Ferreira, M., Ribeiro, RM, & Tolentino, VP (2022). Aceitação dos medicamentos genéricos e seus desafios: uma revisão integrativa de literatura. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 11 (8), e26711831133-e26711831133.

Medeiros, L. B., Mendes, D. H. V., & de Oliveira Alvim, H. G. (2021). O grau de aceitação dos medicamentos genéricos no brasil. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, 4(8), 97-108.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. D. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto-enfermagem, 17, 758-764.

Moraes, S. L. C. D. S., (2016). Avaliação do perfil e aceitação do medicamento genérico de clientes de uma drogaria na cidade de Quirinópolis (Monografia de Bacharelado). Universidade de Rio Verde, Goiás.

Müller, G. G. (2019). Avaliação técnico-regulatória dos requisitos de qualidade para registro de medicamentos biológicos e biossimilares humanos: perspectivas e desafios no Brasil (Dissertação de Mestrado). Universidade de São Paulo.

Pereira, J. P. N. J. (2020). Produção Nacional de Medicamentos Genéricos: aspectos históricos, mercadológico e regulatório. In A. Carvalho de Oliveira et al., (Ed.), Farmácia clínica e Atenção Farmacêutica 2 (Cap. 4, pp. 49-58). Paraná, PR: Atena Editora.

Pinto, J. P. D. M. (2017). Competências para Inovar na Indústria Farmacêutica Brasileira.

PRÓGENÉRICOS. (2020). Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos. https://progenericos.org.br/genericos/numeros-do-setor/.

Scatolin, B. F. D. S., Melo, N. L. D., Garcia, R. F., & Marino, T. S. (2012). Evolução histórica do medicamento genérico: intercambialidade e aceitabilidade (Bachelor’s thesis). Fundação Educacional de Fernandópolis – Faculdades Integradas de Fernandópolis.

Sebben, S. N. B., & Fernandes, L. C. (2019). Conhecimento e aceitação dos medicamentos genéricos por usuários: uma revisão integrativa. Revista Destaque Acadêmico, Lajedo, 11(3), 211-229.

Souza, Á. P. S., Silva, A. K. O. D., Silva, L. D. A., Almeida, P. D. S., Khouri, A. G., Santos, S. O., ... & Silveira, A. A. D. (2019). A importância da intercambialidade e dos medicamentos genéricos e similares. Referências em Saúde da Faculdade Estácio de Sá de Goiás-RRS-FESGO, 2(2).

Published

17/11/2022

How to Cite

SILVA, E. R. C. .; SOUZA, T. F. M. P. . . Acceptability about the use of generic drugs and its challenges in the pharmaceutical market. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e282111537083, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37083. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37083. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences