The national humanization policy and the work of the nursing team

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37585

Keywords:

Nursing Professional; Emergency Room; Service humanization; Humanization.

Abstract

The work of the nursing professional has been increasingly intense and marked by physical and psychic exhaustion. With this, it is worth mentioning that these professionals deserve attention focused on their quality of health. From this perspective, the National Humanization Policy emerges as a tool modifying the management, working conditions and quality of care offered to health users. Therefore, this study aims to identify the nursing team's understanding of the National Humanization Policy and how the nursing team works in hospitals after the implementation of the National Humanization Policy. The study is a descriptive-exploratory research, with a qualitative approach, carried out with the nursing team in the Adult Emergency Room and Child Emergency Room units in a Clinical Hospital of the Federal University of Triangulo Mineiro, in the Triangulo Mineiro. The data collected were submitted to the content analysis technique / thematic mode. As a result, it was found that professionals have basic knowledge of the National Humanization Policy, looking only at the patient and that the changes in the work environment were positive. Therefore, it was concluded that strategies are needed to bring the knowledge in its entirety to these professionals, through training and refresher courses.

References

Amaral, L. F. P., & Calegari, T. (2019). Humanização da Assistência de enfermagem à Família na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Cogitare Enfermagem., Curitiba, 21(3):01-09. https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/44519.

Amestoy, S. C., Schwartz, E., & Thofehrn, M. B. A (2006). Humanização do Trabalho para os Profissionais de Enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem., São Paulo, 19(4):444-449. http://www.scielo.br/pdf/ape/v19n4/v19n4a13.pdf.

Araujo, P. M. C. G., Bohomol, E., & Teixeira, T. A. B. (2020). Gestão da Enfermagem em Hospital Geral Público Acreditado no Enfrentamento da Pandemia

por COVID-19. Enfermagem em Foco, 11(1.ESP).

Barbosa, G.C., Meneguim, S., Lima, S.A.M., & Moreno, V. (2013). Política Nacional de Humanização e Formação dos Profissionais de Saúde: Revisão Integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem.; Brasília, 66(1):123-127. https://www.scielo.br/j/reben/a/Xft5GGxBgzdgDWtHthCS5GQ/?format=pdf&lang=pt

Benevides, R., & Passos, E. (2005). A Humanização como Dimensão Pública das Políticas de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva., Rio de Janeiro, 10(3):561-571.

Brasil. (2008). Humaniza SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Secretaria de Atenção à Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, (4). http://bvsms.saude.gov.br.

Brasil. (2013). Política Nacional de Humanização. Secretaria de Atenção à Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf.

Casate, N.M.S., & Correa, A. K. (2005). Humanização do Atendimento em Saúde: Conhecimento Veiculado na Literatura Brasileira de Enfermagem. Revista Latino Americana em Enfermagem, 13(1):105-111.

Corbani, S. C., Schwartz, E., Bretas, A. C. P., & Matheus, M. C. C. (2009). Humanização no Cuidado de Enfermagem: O que é isso? Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, 62(3):349-354. https://www.scielo.br/j/reben/a/Z5yjFq7KW3HW7C34DRstwHp/?format=pdf&lang=pt

Fontanella, B. J. B., Luchesi, B. M., Saidel, M. G. B., Ricas, J., Turato, E. G., & Melo, D. G. (2011). Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cadernos de Saúde Pública [online]. 27(2):388-394.

Geremia, D. S., Vendruscolo, C., Celuppi, I. C., Adamy, E. K., Toso, B. R. G. O., & Souza, J. B. (2020). 200 Anos de Florence e os desafios da gestão das

práticas de enfermagem na pandemia COVID-19. Revista latino-americana de enfermagem, 28:e3358.

Goulart, B. N. G. de Chiari., & Brasília, M. (2010). Humanização das práticas do profissional de saúde: contribuições para reflexão. Ciência & Saúde Coletiva [online]., 15 (1):255-268. https://www.scielo.br/j/csc/a/CT9XdBbVbctpmwzLjRLxm3q/?lang=pt#.

Lacaz, F. A. C. (2010). Política Nacional de Saúde do Trabalhador: Desafios e Dificuldades. In: Lourenço, E.; et al. (org.). O avesso do trabalho II: trabalho, precarização e saúde do trabalhador, São Paulo: Expressão Popular, 199-230.

Lima, T. J. V., Arcieri, R. M.; Garbin, C. A. S., & Moimaz, S. A. A. (2010). Humanização na atenção à saúde do idoso. Saúde Soc., São Paulo, 19(4):866-877. http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19n4/13.pdf.

Maestri, E., Nascimento, E. R. P. do.; Bertoncello, K. C. G., & Martins, J. de J. (2012). Avaliação das Estratégias de Acolhimento na Unidade de Terapia Intensiva. Revista Escola de Enfermagem USP., São Paulo, 46(1):75-81. http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n1/v46n1a10.pdf.

Martins, C. P., & Luzio, C. A. (2016). Política Humaniza SUS: Ancorar um Navio no Espaço. Interface Comum. Saúde Educ., Botucatu, 21(60):13-22. http://www.scielo.br/pdf/icse/v21n60/1807-5762-icse-1807-576220150614.pdf.

Medeiros, L. M. O. P., & Batista, S. H. S. S. (2016). Humanização na Formação e no Trabalho em Saúde: Uma Análise da Literatura. Revista Trabalho, Educação e Saúde [online]. 14(3):925-951. https://www.scielo.br/j/tes/a/jLPmBhBN6nSTn9JTP4qvYGQ/?lang=pt#.

Medeiros, S. M., Ribeiro, L. M., Fernandes, S. M. B. A., & Veras, V. S. D. (2006). Condições de Trabalho e Enfermagem: a Transversalidade do Sofrimento no Cotidiano. Rev Eletrônica Enferm., Goiânia, 8(2):233-40. https://www.fen.ufg.br/fen_revista/revista8_2/v8n2a08.htm.

Menezes, M. L., & Santos, L. R. C. S. (2017). Humanização na Atenção Primária à Saúde: um olhar sobre o trabalhador da saúde. Rev. Saúde.com., Jequié 13 (1):786-96. http://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/453/365.

Michelan, V. C. A., & Spiri, W. C. (2018). Perception of nursing workers humanization under intensive therapy. Rev. Bras. Enferm., Brasília, 71(2):372-8. http://www.scielo.br/pdf/reben/v71n2/0034-7167-reben-71-02-0372.

Minayo, M. C. de S. (2013). O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec, n° 11.

Paixão, G. L. S., Freitas, M. I., Cardoso, L. C. C., Carvalho, A. R., Fonseca, G. G., Andrade, A. F. S. M., Passos, T. S., & Torres, R. C. (2021). Estratégias e

desafios do cuidado de enfermagem diante da pandemia da covid-19. Revista Brasileira de Desenvolvimento, 7 (2), 19125-19139.

Pereira, M. J. B., Fortuna, C. M., Mishima, S. M., Almeida, M. C. P., & Matumotolet, S. A. (2009). Enfermagem no Brasil no Contexto da Força de Trabalho em Saúde: Perfil e Legislação. Rev. Bras. Enferm., Brasília, 62(5):771-7. http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n5/22.pdf.

Rocha, L. P., Cezar-Vaz, M. R., Almeida, M. C. V., Borges, A. M., Silva, M. S., & Sena-Castanheira, J. (2015). Workloads and occupational accidents in a rural environment. Texto & Contexto Enferm., Florianópolis, 24(2):325-35. http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n2/0104-0707-tce-24-02-00325.pdf.

Souza, V. R. S., Marziale, M. H. P., Silva, G. T. R., & Nascimento, P. L. (2021). Tradução e validação para a língua portuguesa e avaliação do guia COREQ. Acta Paul Enfermagem., 34, eAPE02631.

Treccossi, S. P. C., Ferreira, J. C., Oliveira, R. M., Santos, R. P., & Carvalho, A. R. S. (2020). Protagonismo da enfermagem na organização de uma unidade

para assistência à pacientes com Coronavírus. J. nurs. health, 20104039-20104039.

Published

26/11/2022

How to Cite

PEREIRA, N. C.; GOULART, B. F.; REZENDE, M. P. The national humanization policy and the work of the nursing team. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e548111537585, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37585. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37585. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences