Analysis of the 12x36 hours workday: the flexibilization and the impacts on the worker's health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i1.39356

Keywords:

Working Hours; Flexibilization; 12x36 Working Hours; Labor Reform; Impacts.

Abstract

This study deals with the flexibilization of Brazilian labor law, especially regarding the workday of employees submitted to the regime of 12 hours of work for 36 hours of rest. In this context, issues related to the changes brought by Law No. 13,467/2017, the so-called Labor Reform, will be addressed in relation to the aspects of this journey from the perspective of a flexibilization of labor law, its regulation in the legal system and its implications on the health of workers. The study of the theme aims to evaluate potential direct impacts on the rights of workers constitutionally guaranteed, because it is a modality of the working day with broader application, with radiating effects on the social, legal and economic sphere. As a methodological procedure, an applied research is used, from a hypothetical-deductive investigation, with a qualitative approach, developed through a bibliographic, legislative, and jurisprudential review, with the objective of proposing a formative evaluation. It is concluded that the theme is foreseen in the legislation at the same time that it generates controversy due to the unrestricted flexibilization and the worrisome consequences on the worker's health.

References

Avelino, J. A. (2019). Jornada de trabalho 12 x 36: prejudicialidade à saúde do trabalhador. Revista Interfaces Científicas - Direito, 7(2), 101–116. https://doi.org/10.17564/2316-381X.2019v7n2p85-100 >

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Casa Civil, 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm.

Brasil. (1943). Presidência da República. Casa Civil Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm.

Brasil. (Sessão do Pleno). Tribunal Superior do Trabalho. Súmula nº 444. Resolução nº 185 de 14 de setembro de 2012 acrescenta a súmula. https://www.legjur.com/sumula/busca?tri=tst&num=444.

Cairo Jr., J. (2017) Curso de direito do trabalho (13a ed). Ed. JusPodivm

Correia, H., & Miessa, É. (2018) Manual da reforma trabalhista. JusPodvim.

Costa, K. N. R., Almeida, I. C., & Lupatini, M. P. (2020). A reforma trabalhista sob a perspectiva dos direitos humanos. Research, Society and Development, (7), e427974058. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4058

Delgado, M. G. (1995) A jornada no direito do trabalho brasileiro. Revista do Tribunal Regional do Trabalho 3ª Região, Belo Horizonte, 25(54), 173-203.

Dias, F. G. (2018) Efeitos da flexibilização da jornada de trabalho na reforma trabalhista. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em direito). Faculdade Unisul. Palhoça.

Garcia, G. F. B. (2015) Curso de Direito do Trabalho. (8a ed): Forense

Ghisleni, M. S. D. V. (2006) Flexibilização do Direito do Trabalho. http://www.univates.br/files/files/univates/graduacao/direito/FLEXIBILIZACAO_DO_DIREITO_DO_TRABALHO.pdf.

Leite, C. H. B. (2019) Curso de direito do trabalho. (11a ed): Saraiva Educação

Macedo, G. M., & Chaves, J. V. M. (2021) A (in)constitucionalidade da jornada 12x36 após a reforma trabalhista: uma análise da ADI 5994 do STF. Jus.com.br. https://jus.com.br/artigos/91765/a-in-constitucionalidade-da-jornada-12x36-apos-a-reforma-trabalhista-uma-analise-da-adi-5994-do-stf

Maranhão, N. (2017) Reforma trabalhista: jornada de 12 horas de trabalho por 36 de descanso – impressões iniciais do art. 59-A. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 8. Região. Belém, 50(99), 85-92

Martinez, L. (2020) Curso de direito do Trabalho (11a Ed): Saraiva Educação

Martins, T. P., & Reis, P. A. G. S. (2019) A Revolução Francesa de 1789 e a teoria da separação dos poderes como marco para o início da constitucionalização do direito francês instrumentalizado pela constituição de 1791. Organização Comitê Científico. https://www.indexlaw.org/index.php/historiadireito/article/view/5578

Martins Filho, I. G. S. (2009) Manual de direito e processo do trabalho. (18a Ed): Saraiva

Martins, S. P. (2020) Breve histórico a respeito do direito do trabalho. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, 95, 167-176.

Martins, S. P. (2022) Direito do Trabalho. (38a ed): Atlas

Medeiros, J. B., & Henriques, A. (2017) Metodologia científica na pesquisa jurídica. (9a ed.). Atlas

Ortega, L. C. (2015) O Contemporâneo Direito do Trabalho no Brasil e as práticas flexibilizatórias. Dissertação (Mestrado em Direito) - UNIMAR, Marília – SP.

Resende, R. (2020) Direito do trabalho. (8a ed): Forense; Método.

Severino, A. J. (2017) Metodologia do trabalho científico. (2a ed): Cortez

Vignoli, V. A. (2010). Flexibilização da jornada de trabalho: importância e limitações. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo. 10.11606/D.2.2010.tde-04012011-160412. www.teses.usp.br

Villela, F. G. (2010). Manual de direito do trabalho: teoria e questões. Elsevier

Published

01/01/2023

How to Cite

NASCIMENTO, C. F. do .; MEDEIROS, V. P. de . Analysis of the 12x36 hours workday: the flexibilization and the impacts on the worker’s health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e0412139356, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i1.39356. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/39356. Acesso em: 3 feb. 2023.

Issue

Section

Human and Social Sciences