The quality of service in a pharmaceutical office of a Basic Health Unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i1.39464

Keywords:

Pharmaceutical services; Health care quality acess, and evaluation; Health promotion.

Abstract

The present work addresses the care of patients assisted by the pharmaceutical public service, aimed at the guidance, control and prevention of injuries and irrational use of medicines, proposing to analyze the user's expectations before the pharmaceutical consultation and after the completion of the service. This article aims to demonstrate and analyze the quality of care in a pharmaceutical office at the Basic Health Unit (BHU), analyzing expectations and perceptions about it. The research was carried out in a basic health unit, where the SERVQUAL instrument was applied, which consists of a form used to measure the quality of a service, based on the user's responses before and after the experience with it, in this case treating of the pharmaceutical service. It is, therefore, an investigative, exploratory and descriptive study with a qualitative and quantitative approach. 102 patients were interviewed, of which 81% were women, with the predominant age group being between 41-60 years. Assessment of the dimensions contemplated in the form allowed viewing an expectation and perception of the service as positive by the users, with only a few points of improvement being identified in relation to the physical space and alternative therapeutic options, facts that would be linked to the relatively recent implementation of the service. Therefore, it is concluded that the provision of pharmaceutical services was well evaluated by users, which shows the quality of care provided by the professionals who work there. The importance of this service as a tool for promoting health and strengthening the performance of the clinical pharmacist in primary care is also highlighted.

References

Araujo, A. M., Filho, J. M. M., Pinto, R. J., Machado, W. R. B., & Silva, A. C. G. C. (2017). Análise da qualidade em um restaurante universitário através da ferramenta SERVQUAL15(4).

ANVISA - Agência nacional de vigilância sanitária. Resolução da diretoria colegiada-rdc n 44, de 17 de agosto de 2009.

Barros, M. E., & Araújo, I. G. (2021). Avaliação das intervenções farmacêuticas em unidade de terapia intensiva de um hospital de ensino,12(3),2-4.

Botton, A., Cúnico, S. D., & Strey, M. N. Diferenças de gênero no acesso aos serviços de saúde: problematizações necessárias. Mudanças. 2017; 25(1):67-72. https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/MUD/article/view/7009/5608

Br, Mg (2019).Evaluación de la calidad de servicio en base al modelo SERVQUAL aplicado al establecimiento de salud I-3 Víctor Raúl del distrito de Piura.

Carvalho, M. L. F., Neves, S. M., Campos, L. B. P., & Oliveira, C. H. (2019). Aplicação da ferramenta servqual para a análise da qualidade em serviços e benchmarking: estudo de caso em empresas varejistas, 23-43.

Campos, A. C. B., & Carvalho, S. M. S. (2018). Aplicação do modelo Servqual na bienal do livro da Zona da Mata: o olhar dos interagentes abrindo novas páginas para melhoria da qualidade, 23(52),85-93.

Cecilio, L. C. O., & Reis, A. C (2018). Apontamentos sobre os desafios (ainda) atuais da atenção básica à saúde, 34(8),2-10. Reports In Public Health.

Costa, P. G., Mota, R. M. B., Silva, A. C. G. C. Junior, G. F. T., & Souza, L. S. (2016). Contribuições da Engenharia de Produção para Melhores Práticas de Gestão e Modernização do Bras, 02-15. Anais: Enegep- Encontro Nacional De Engenharia De Producão.

Contreras, F. G. Henríquez, N. A., & Rejas, L. P. (2019). Medición de calidad de servicio mediante el modelo SERVQUAL: el caso del Juzgado de Garantía de la ciudad de Puerto Montt - Chile,27(4),2-5.

CCF - Conselho Federal de Farmácia n 585 de agosto de 2013 art 2 p3.

Figueiredo, A. E. B., Ceccon, R. F., Figueiredo, J. H. C.(2020). Doenças crônicas não transmissíveis e suas implicações na vida de idosos dependentes.

Franca, R., Mota, E. T. S., Oliveira, K. H., Rios, A. S., Oliveira, L. D., Andrade, T. M. A., Costa, E. A. R. G. S., Júnior, R. R. J. A. O., Rabelo, A. M., & Almeida, M. F. M. (2021). Experiência da equipe multiprofissional em saúde da família no cuidado integral ao usuário diabético, 22(2),107-115. Disciplinarum Scientia.

Huszcz, R. S., & Santiago, R. M. (2018). Consultório farmacêutico: atuação do farmacêutico no SUS, 12(10),145-155. Revista Saúde e Desenvolvimento.

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).2010. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira.

Luiz, R. G., Lima, T. R., & Marquez, C. O. (2021). O perfil das consultas clínicas em consultórios farmacêuticos: uma revisão integrativa de literatura, 10(13),2-7.

Knechtel, M. R. (2014) Metodologia da pesquisa em educação: uma abordagem teórico-prática dialogada. Curitiba, PR: Intersaberes.

Lima, A. O., & Nobre, M. B. (2022). A utilização da ferramenta SERVQUAL para mensurar a qualidade do serviço em uma academia no município de Abaetetuba-PA,11(5).

Lima, B. O. (2022). Avaliação Da Qualidade Dos Serviços De Uma Academia Potiguar Utilizando A Ferramenta Servqual,10(1).

Maeda, J. A. (2018). Práticas Integrativas e Complementares da Saúde no Cuidado Farmacêutico na Rede de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, 2-30.

Menezes, A. P. R., Moretti, B., Reis, A. A. C.(2019). O futuro do sus: impacto das reformas neoliberais na saúde pública- austeridade versus universalidade 43(5).

Miranda, J. S., Marques, J. F. B., & Santos, W. L(2022). Papel do farmacêutico frente à pandemia de covid-19,5(10)

Pedraza, D. F., Nobre, A. M. D., Albuquerque, F. J. B., & Menezes, T. N. (2018). Acessibilidade às Unidades Básicas de Saúde da Família na perspectiva de idosos, 23(3),924-930.

Ribeiro, F. S. N., & Afonso, F. M. (2020). Práticas Integrativas E Complementares Como Suporte À Saúde Do Trabalhador: Uma Proposta Extensionista, 81-90.

Rodrigues, R. (2018). Qualidade Percebida Dos Serviços Prestados De Uma Clínica Odontológiga Em Palmeira Das Missões-Rs Através Do Modelo Servqual

Severino, A. J. (2018). Metodologia do trabalho científico. Ed. Cortez.

Silva, P. (2018). Avaliação Da Qualidade Da Prestação De Serviço Através Da Aplicação Da Escala Servqual Emuma Empresa Tercerizada

Santos, D. S., & Moraes, Y. J. (2021). O farmacêutico clínico na farmácia comunitária privada: revisão integrativa, 10(13),2-7.

Silva, P. A., Costa, I. C. Amador, E. M. Luz, D. A, Silva, V. G. Silva, M. V. S. Andrade, M. A. Lima, K. V. B. Cardoso, E. T. C., Cavalcante, L. S., & Pinheiro, P. N. Q. (2021). Consultório farmacêutico: resultados das intervenções farmacêuticas em uma unidade básica de saúde em Belém/Pará, 7(11)

Soares, I. O. (2022). Percepção Dos Clientes Sobre A Qualidade Do Serviço De Uma Empresa De Depilação A Laser, Estética E Belezaem Fortaleza Com Uso Da Ferramenta Servqual.

Vassalo, T. (2020). Avaliação da qualidade percebida dos serviços prestados por uma empresa de informática com o auxílio da ferramenta SERVQUAL.

Published

05/01/2023

How to Cite

PENA, S. C. A. .; LEAL, D. C. P. V. .; SILVA, P. A. .; AMADOR, E. O. .; COSTA, I. C. .; LUZ, D. A. da .; PINHEIRO, P. de N. Q. . The quality of service in a pharmaceutical office of a Basic Health Unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e13512139464, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i1.39464. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/39464. Acesso em: 3 feb. 2023.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences